10/10/2019
By
MJV Team

Inovação Aberta: o que é e como investir

Ao abrir o processo de inovação para funcionários e parceiros de inovação externos, várias vantagens significativas podem ser obtidas. Isso é o que chamamos de Inovação Aberta.

Aqui no blog, nós já produzimos diversos conteúdos sobre esse tema. Se quiser, pode conferir alguns artigos antes de continuar a leitura:

Inovação Aberta: o que é, quais tipos e benefícios

Inovação Aberta e Fechada: quais as diferenças?

Hoje vamos um pouco além. Continue lendo para ver algumas dicas de como investir em Inovação Aberta para potencializar resultados!

O que é Inovação Aberta?

A Inovação Aberta acontece quando uma organização não depende apenas de seu próprio conhecimento interno, fontes e recursos (como suas próprias equipes) para inovar (em produtos, serviços, modelos de negócios, processos etc.), mas também usa várias fontes externas (de comentários de clientes a patentes publicadas, passando por concorrentes, startups, universidades etc.).

Uma maneira bem prática de entender a Inovação Aberta é ver como ela se diferencia da Inovação Fechada — baseada na visão de que as ideias e os projetos inovadores só podem ser desenvolvidos internamente. 

Veja no quadro que segue:

INOVAÇÃO ABERTA INOVAÇÃO FECHADA
Filosofia da empresa “Buscaremos o melhor, esteja onde estiver”. 

Importação e exportação conscientes de conhecimento para melhorar e acelerar as próprias inovações.

“Nós podemos e vamos fazer isso sozinhos”. 

Convicção de que as inovações podem emergir dos recursos internos disponíveis.


Ideias de inovação
Intercâmbio de ideias/experiência para além dos limites da empresa. Ideias vindas dos gestores de projetos e seus liderados.

Papel do cliente
Co-inovador ativo. Destinatário passivo.

Capital de risco
Muito importante. Sem muita importância.

Capital humano
A empresa aproveita seus melhores talentos e busca reforços no mercado (em universidades, consultorias, parceiros de negócios etc.) É necessário garantir a contratação e a retenção dos melhores talentos (pesquisadores, técnicos, especialistas etc.).
Time de P&D A P&D externa pode criar um valor significativo, mas a P&D interna é necessária para capturar parte desse valor. Design, desenvolvimento e marketing internos: nossas próprias ideias, tecnologias, processos e mercados nos oferecem vantagens competitivas de longo prazo.
Visão de concorrência   Para liderar a competição, não é necessário oferecer as melhores ideias, mas aproveitar ao máximo as ideias internas e externas. Desenvolver um modelo de negócios melhor é mais importante do que ser o primeiro no mercado. Para liderar a competição, é necessário oferecer as melhores ideias. O vencedor é quem traz a inovação ao mercado primeiro.
Propriedade intelectual A inovação não precisa ser criada para lucrar com isso. Uma vantagem competitiva pode ser criada e o lucro pode ser gerado por outros usando sua propriedade intelectual e a empresa adquire ou “empresta” propriedade intelectual de terceiros. O próprio know-how é tratado de forma confidencial, a fim de protegê-lo e evitar os passeios gratuitos dos concorrentes. Patentes, direitos autorais e proteção da propriedade intelectual visavam proteger as idéias e pesquisas da empresa contra o roubo de idéias por outras empresas.

Como defender o investimento em Inovação Aberta?

O caráter colaborativo da Inovação Aberta pode assustar um pouco alguns executivos de negócios. Assim, a defesa de investimento nesse tipo de iniciativa costuma ser longa.

Longa, mas não impossível.

Confira, a seguir, algumas dicas para mostrar à diretoria da sua organização o porquê de investir em Inovação Aberta: 

  • Mostre os benefícios tangíveis da Inovação Aberta: apresente casos de estudo nos quais as empresas obtiveram ganhos monetários ao montar uma estratégia aberta de inovação. 
  • Monte um projeto: um escopo bem estruturado também ajuda na tangibilização da Inovação Aberta. Nesse primeiro momento, talvez você não precise detalhar tanto, mas mostre claramente para onde os recursos serão destinados.
  • Compare com os custos de inovar de modo tradicional: ao visualizar a redução dos gastos, os executivos de negócios conseguem entender melhor a importância da iniciativa.
  • Mostre que este é um tema importante para o Fórum Econômico Mundial: este e outros organismos internacionais têm trabalhado a Inovação Aberta como um meio de desenvolvimento econômico e social.
  • Estabeleça métricas e indicadores: também é importante demonstrar claramente como serão calculados e apresentados os retornos sobre o investimento (ROI). Confira, nesse artigo, como medir os resultados dos esforços de inovação do seu negócio!

A inovação aberta é mesmo para todas as empresas?

Existem três tipos de Inovação Aberta: “de entrada”, “de saída” e “casada”.

  1. Inovação Aberta de entrada: é sobre terceirização e aquisição de conhecimento de fora da organização; varredura do ambiente externo para para identificar, selecionar, utilizar e internalizar ideias.
  1. Inovação Aberta de saída: é a comercialização intencional e a captura de ideias desenvolvidas internamente para distribuí-las ao ambiente externo da organização. Isso pode ser desde a revelação seletiva de um produto para jornalistas ou a venda seletiva da tecnologia ou serviço aos clientes, com o objetivo de obter feedback.
  1. Inovação Aberta casada: é um tipo de inovação que é resultado da união de duas ou mais empresas. Esse “casamento” se dá com o objetivo de gerar ideias inovadoras em conjunto, de forma que o grupo possa explorar individualmente os ativos resultantes.

Dentro disso, sim, podemos afirmar que a Inovação Aberta pode ser implementada por todos os tipos de empresas em diversos segmentos de mercado. 

É preciso ter conhecimento dos métodos e práticas. Além de estruturar bons projetos para que a prospecção de resultados inovadores não seja uma mera “tentativa”, apenas um mero“experimento”.

6 passos para adotar a Inovação Aberta na sua empresa

Confira agora um passo a passo para começar a implementar a Inovação Aberta em seu negócio.

Passo 1: Identificar os obstáculos culturais

Muitas culturas empresariais estão presas no passado. Suas “melhores práticas” tradicionais não funcionam mais e obviamente não são as melhores para os padrões atuais.

Agora pense na cultura da sua própria empresa. Ela é uma abordagem rígida, de cima para baixo? Culturas hierárquicas geralmente ignoram as que estão na parte inferior. 

Ao contrário de uma cultura horizontal aberta, uma organização rígida provavelmente ignora os feedbacks (que podem levar a soluções criativas ou inovadoras).

A Inovação Aberta é muitas vezes uma vítima do pensamento limitado de “lucro e eficiência”. Concentrando-se estreitamente nesses dois conceitos, as organizações não conseguem enxergar o cenário maior e deixam de considerar o que acontecerá no longo prazo.

A lição aqui é simples: comece com as pessoas. Incentive-as a serem criativas e capacite-as ainda mais com o local de trabalho que acolhe e nutre soluções e ideias inovadoras.

Passo 2: Definir o que a inovação significa para sua organização

Não há plano de inovação por inovação. Não existe um modelo único de “inovação aberta” que traga resultados para todas as empresas de qualquer tamanho ou setor. 

Mas existe a abordagem correta para a inovação aberta, que afeta mudanças reais na cultura de sua empresa. E tudo começa com a sua definição de inovação.

O que significa inovar para sua empresa? Diferentes empresas têm diferentes maneiras de olhar para a inovação. 

Para a BMW, a inovação pode significar fabricar o melhor carro do mercado. Para a Apple pode não significar necessariamente um novo gadget, mas um processo de aperfeiçoamento das linhas existentes de produtos de hardware e software.  

Esse exercício ajudará sua organização a especificar quais metas de inovação alcançar e quais comportamentos inovadores devem ser incentivados.

Passo 3: Aproveitar a tecnologia para melhorar a colaboração

Uma cultura de Inovação Aberta depende muito da tecnologia para facilitar e acelerar a comunicação e a colaboração. 

Isso vai além do e-mail. A tecnologia acomoda mais do que o envio e recebimento de mensagens. 

Veja como você pode tirar o máximo proveito disso:

  1. Incentive os funcionários a compartilhar e discutir ideias em um fórum ou grupo de rede social.
  1. Facilite aos funcionários compartilhar arquivos e trabalhar juntos em um projeto ou experimento. Faça uso de aplicativos de compartilhamento de arquivos, como Dropbox e Google Drive, entre muitos outros disponíveis gratuitamente ou por um baixo custo.
  1. Incentive os funcionários a construir um banco de informações internas e compartilhar conhecimento com a ajuda de wikis. Um wiki, que é a mesma tecnologia que alimenta a Wikipédia, permite aos usuários criar novas páginas ou documentos e vinculá-los ao material relacionado. É uma poderosa ferramenta de pesquisa que pode economizar centenas de horas de funcionários por ano. Além disso, os wikis são uma das melhores maneiras de divulgar novas ideias e manter os funcionários atualizados.
  1. Use ferramentas internas de colaboração para ajudar os funcionários a atingir seus objetivos. Facilite o acesso de usuários específicos a um documento ou material necessário para levar o projeto adiante. E, mais importante, facilite para que todos discutam um projeto sem precisar abrir várias guias de navegação ou diferentes softwares.

Passo 4: Envolver agentes externos e internos no projeto

Em uma empresa verdadeiramente inovadora, todo mundo é um participante ativo e colaborador. Cada funcionário vai trabalhar motivado para contribuir com algo novo, e cada um vai para casa satisfeito depois de se dedicar ao seu trabalho 100%.

Agora, por que importa que todos participem ativamente? Para começar, todos, incluindo aqueles de fora da organização, estão livres para discutir suas ideias, não importando o quão pouco convencionais elas sejam. Todos também são livres para criticar ou expor ideias frágeis e apoiar ideias fortes. Isso deve ser um processo natural, não forçado, imposto por alguma autoridade.

Contrate equipes que realizam tarefas. Considere indivíduos habilidosos que não parecem se encaixar na cultura de sua empresa existente. Crie centros de pesquisa para incentivar a polinização cruzada de ideias, por exemplo.

Mas, novamente, o objetivo é simples: garanta que todos tragam uma contribuição positiva. 

Lembre-se se startups e empresas de tecnologia estão fazendo isso, sua organização pode definitivamente fazer também.

Passo 5: Medir o que é importante e ignorar o que não é

Existem métricas importantes usadas no rastreamento do ROI de uma empresa. Você provavelmente já sabe sobre elas. 

Mas você sabe que também existem métricas usadas para ajustar uma estratégia de Inovação Aberta? 

Em termos de construção de uma cultura de Inovação Aberta, as organizações precisam medir o “progresso” inicialmente em termos de participação, treinamento, pesquisa e engajamento. 

Comece respondendo:

  • Quantos projetos ativos existem? 
  • Quantas novas ideias foram geradas ao longo do tempo? 
  • Qual porcentagem do orçamento é gasto em pesquisa e exploração de tendências emergentes? 
  • Quantos reconhecimentos e prêmios relacionados à inovação a empresa ganhou?

À medida que seus programas relacionados à inovação amadurecem, você pode focar sua atenção nas principais métricas de negócios, como o ROI, o número de novos produtos lançados etc.

Passo 6: Abraçar os erros e aprender com eles

Esse é um dos conselhos mais difíceis de aceitar. Muitos executivos, na verdade, não aproveitam os erros e o tratam como um sinal de ineficiência. 

Mas os erros são apenas uma parte necessária de qualquer empreendimento, comercial ou não. 

Dê uma olhada nas principais organizações globais hoje e explore um pouco mais. Cada uma delas encontrou falhas no passado. O que as separa das outras empresas é a sabedoria de seus líderes para aprender com o fracasso. Parece brega, mas é verdade.

Incentive os funcionários a pensar de forma diferente sobre o erro. Não deixe que eles ignorem isso. Deixe-os enfrentá-lo, fazer algo sobre isso e ganhar sabedoria com eles. 

Para finalizar, é importante ressaltar que buscar ajuda especializada para montar um projeto de Inovação Aberta é uma ótima escolha. 

Aqui na MJV, nós trabalhamos na construção de estratégias de inovação e conseguimos excelentes resultados. 

Que tal, você conseguiu refletir em profundidade sobre a importância de investir em Inovação Aberta? Para continuar estudando o tema, baixe grátis o e-book Open Innovation: A Revolução da Inovação!

Voltar