01/11/2019
By
MJV Team

Por que grandes empresas devem firmar parcerias com startups?

Neste artigo, você vai entender o porquê desse movimento. Continue lendo para rememorar o conceito de startup e por que é importante aproveitá-lo e como fazer isso!

Cada vez mais, organizações estabelecidas estão buscando firmar parcerias com startups, de olho na inovação e criatividade. Muitas ideias inovadoras, que surgem hoje no mercado, resultam  desses relacionamentos que até pouco tempo eram improváveis.

O que é uma Startup?

O termo “startup” tem sido usado com uma frequência cada vez maior nos últimos anos para descrever jovens empreendimentos, sobretudo na área da tecnologia.

As startups geralmente são pequenas e inicialmente financiadas e operadas por um punhado de fundadores ou por apenas um indivíduo. Elas oferecem produto ou serviço que atualmente não é  entregue por outras empresas do mercado, ou que os fundadores acreditam ser oferecido de maneira inferior.

Nos estágios iniciais, as despesas das startups tendem a exceder suas receitas à medida que trabalham no desenvolvimento, teste e marketing de sua ideia. Como tal, elas geralmente exigem financiamento.

As startups podem ser financiadas por empréstimos tradicionais para pequenas empresas (por bancos ou cooperativas de crédito), patrocínios do governo ou doações de organizações sem fins lucrativos, por exemplo.

As chamadas incubadoras — organizações que se dedicam a desenvolver modelos disruptivos de negócios — podem fornecer capital e aconselhamento às startups,

Uma startup que consegue provar seu potencial é  capaz de atrair financiamento de capital de risco em troca de abrir mão de algum controle e/ou porcentagem de sua propriedade.

Em suma, uma startup pode ser definida como empresa emergente, normalmente com componente tecnológico central e alto potencial de crescimento exponencial. Geralmente, defende uma ideia inovadora que se destaca na linha geral do mercado.

Quais as vantagens de firmar parcerias com startups?

As grandes corporações encontram dificuldades quando tentam fazer a inovação interna disruptiva florescer. Muitas razões, tanto estruturais como cognitivas e comportamentais, explicam isso.

Em contraste, as startups lideram a inovação em quase todos os setores no mundo todo. Um ecossistema de startups prova sua expertise em encurtar os ciclos de inovação, explorar a tecnologia, aperfeiçoar os modelos de negócios existentes e inventar novos modelos de maneira mais rápida e eficaz.

Portanto, para uma organização de grande porte, firmar parcerias com startups é crucial. Basta olharmos para o mercado hoje para vermos essa realidade acontecendo: as marcas e empresas mais bem-sucedidas trabalham em colaboração com startups para criar e acelerar produtos e serviços disruptivos e revolucionários.

Enquanto as corporações tendem a assumir riscos mais calculados e têm ritmo mais lento, startups tendem a ser equipes estruturadas com hierarquias planas que são mais rápidas e dispostas a derrubar modelos existentes — se necessário — para atender melhor às  necessidades do mercado. Essas grandes diferenças são também as maiores razões para construir pontes entre os esses dois lados.

Uma corporação tradicional pode se beneficiar das parcerias com startups adquirindo as mais recentes tecnologias ou novos modelos de negócios, evitando a inflexibilidade que geralmente enfrenta ao tentar assumir todos os projetos internamente, entre outras razões.

Por que gastar milhões e perder tempo desenvolvendo uma solução que já está avançada em algum coworking da cidade? Por que não lançar um desafio a uma startup em vez de mobilizar — contratar, muitas vezes — toda uma equipe para planejar e executar um projeto?

Em suma, ao ter startups como aliadas, a grande empresa estará melhor posicionada para avançar no mercado contra seus concorrentes, potencializando o o aumento dos lucros e  otimizar o desempenho dos processos.

Qual a importância de escolher bem uma startup e como fazer isso?

Por fim, é fundamental fazer boas escolhas ao firmar parcerias com startups. É preciso separar o joio do trigo, uma vez que há muitas opções no mercado. Esse processo de escolha é chamado de “Scouting” e envolve uma série de fatores.

Uma maneira simplificada de fazer scouting é usar uma plataforma virtual para lançar desafios às startups e identificar a melhor solução gerada. A StartBusiness Community é uma dessas ferramentas.

Iniciativa de Inovação Aberta mantida pela MJV Tecnologia e Inovação, a StartBusiness Community nasceu com o objetivo de fomentar o ecossistema de startups e aumentar a capacidade que as grandes empresas têm de gerar inovação, dando seus melhores matchs. Com essa plataforma, grandes empresas estão trabalhando em conjunto com as melhores startups e se destacando no mercado.

Você está pronto para firmar parcerias com startups e tornar seu negócio ainda mais inovador e competitivo? Faça contato conosco e veja como a StartBusiness e nossos demais serviços podem te ajudar!

Voltar