05/12/2020
Por
MJV Team

Como criar uma estratégia escalável em meio à crise do COVID-19

Já falamos aqui o quanto o mundo mudou rapidamente dentro do contexto da pandemia da Covid-19 e do isolamento social. As empresas tiveram que tomar medidas extremas e certeiras para adaptar seus processos e recalibrar as estratégias.

Em tempos normais, os empreendedores já enfrentam muitos desafios para se manterem competitivos em um mercado com cada vez mais concorrentes. Em tempos de crise, além da concorrência, ainda entra um novo fator para desequilibrar essa balança: a incerteza

Nesse sentido, traçar uma estratégia que mantenha seu negócio saudável e sustentável de forma contínua — resistindo, inclusive, à crises como a que estamos passando — pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso. 

A escalabilidade vai garantir não só o aumento do faturamento, como a multiplicação dos resultados. Isso garante seu lugar ao sol — ou seja, no mercado — por muito mais tempo. 

Vamos falar um pouco mais sobre o que é ser escalável e como começar a aumentar a velocidade de crescimento do seu negócio agora. Acompanhe! 

O que é ser escalável?

Para explicar o que é ser escalável, vamos trazer um exemplo de Nassim Nicholas Taleb. O matemático e estatístico libanês, é autor de obras como A Lógica do Cisne Negro (2007) e Antifrágil: Coisas que se Beneficiam com o Caos (2012)  — das quais já falamos em nosso webinar Futuro Antifrágil: para onde estamos indo?

Para explicar a escalabilidade, Taleb cria duas classes de atividades: as escaláveis e as não escaláveis. 

  • Não escalável: uma profissão, atividade ou estratégia que exige maior esforço, tempo e dedicação para chegar ao resultado e prover lucro/remuneração.
  • Escalável: uma profissão, atividade ou estratégia que não demanda dedicação integral para chegar ao resultado. É a capacidade de ampliar as atividades de produção sem um aumento proporcional de custos. 

O conceito de escalabilidade está diretamente ligado a geração de lucro e impacto. Um negócio escalável consegue aumentar a produtividade e reproduzir-se em grandes quantidades, sem aumentar a demanda por recursos (como investimento ou mão de obra). 

Como se tornar escalável

Já sabemos que a pandemia da Covid-19 chacoalhou a economia mundial e virou de cabeça para baixo nossos hábitos de consumo (também mundialmente falando). Portanto, em tempos de incertezas constantes, como o que estamos vivendo, um negócio escalável pode fazer toda a diferença entre a vida e a morte da sua empresa. 

Uma estratégia escalável te deixa sempre pronto para o próximo passo, seja um crescimento repentino ou um aumento de demandas. 

Vamos dar um exemplo prático. Com a pandemia da Covid-19 tivemos uma mudança considerável no comportamento do comércio eletrônico brasileiro: um aumento exponencial das vendas

Razões óbvias: o movimento forçado do fechamento de lojas físicas e do isolamento social da população. Logo, até os consumidores que não tinham esse hábito, passaram a comprar tudo pela internet. 

Os itens que mais disparam foram higiene pessoal e supermercado. Luvas e máscaras descartáveis e o álcool em gel lideraram o ranking de produtos mais vendidos. Ninguém esperava por esse aumento repentino e consideravelmente imenso. Simplesmente aconteceu.  

Agora vamos para o outro lado da moeda. Turismo e gastronomia foram dois setores que foram impactados negativamente, com uma baixa jamais vista antes. Tempos de crise. 

Onde entra o conceito de escalável nisso tudo? Justamente por não poderem funcionar durante o período de quarentena, as lojas físicas tiveram que se adaptar rapidamente para sobreviver. E a única opção viável era o e-commerce. 

Propósito + escalabilidade: receita para o sucesso

Muitas empresas já adotaram o modelo de negócio escalável simplesmente porque ele garante uma equação simples e certeira: grande potencial de crescimento sem aumento proporcional de despesas.

Em tempos de economia recessiva, um modelo escalável vai assegurar que seus custos não se tornem elevados a ponto da receita não corresponder. Se isso acontece, o déficit financeiro pode ser alto demais para o empreendedor, levando o negócio à falência. 

Com nossos exemplos, você vai entender melhor. As gigantes Netflix, Facebook e Amazon mantêm a qualidade na prestação de seus serviços, certo? E não elevam em nada seus custos de produção para isso. E acredite: têm um faturamento cada vez maior.

Você deve estar se perguntando como isso é possível, certo? Lembra que falamos aqui no poder do propósito? Bingo! 

As 3 empresas entenderam as necessidades de seus consumidores e criam relações profundas com eles, sendo cada vez mais protagonistas em suas vidas. Mais do que vender, encantam seus clientes e criam comunidades apaixonadas. E, ao mesmo tempo, expandem suas atuações no mercado, é claro!

Comece agora: 8 dicas certeiras para o seu negócio!

Se você entendeu que precisa tornar o seu negócio escalável, daremos 8 dicas de como você pode começar hoje mesmo e mergulhar de cabeça nesse processo. 

  1. Faça replanejamento estratégico constante 

Esse princípio está diretamente ligado com a realidade da MJV. Praticamos isso há anos através das Metodologias Ágeis. É fundamental fazer um movimento de replanejamento constante. Longos planejamentos não existem justamente porque imprevistos acontecem e as coisas precisam ser repensadas o tempo todo. 

E aqui fica um spoiler do futuro: replanejamento estratégico será algo muito popular em nosso novo normal porque a maioria das empresas perceberam o quando é importante se replanejar e traçar novos objetivos. 

  1. Crie um MVP

Esse princípio também está ligado à nossa realidade aqui na MJV. Ele vem através do Design Thinking, que é um pilar da nossa fundação. É fundamental sermos capazes de experimentar e iterar, correr pequenos riscos, muitas vezes. 

Se você tem uma ideia, teste em uma escala pequena. Não espere estar tudo pronto para começar a tirar a prova real. Experimente, faça, tente. Acredite: só assim as coisas evoluem. E isso vai te ajudar a estar preparado para lidar com crises e imprevisibilidades. 

  1. Mergulhe de cabeça na Transformação Digital

Algumas empresas já tinham dado os primeiros passos nessa jornada, antes mesmo da COVID-19 aparecer, mas muitas outras estão correndo atrás do prejuízo. 

Novas variáveis, como a necessidade do isolamento social temporário, empurram empresas para o processo de transformação digital e descentralização de suas práticas, rotinas, tomadas de decisão e tantos outros aspectos que definem como elas devem operar agora e no futuro também. É preciso saber operar remoto, em rede e descentralizado. 

  1. RPA para automatizar seus processos

Robotic Process Automation é a aplicação de tecnologia regida pela lógica de negócios e insumos estruturados, visando automatizar os processos de negócios. Atualmente, está entre as principais tendências tecnológicas do mundo.
 Importante! Sempre que possível, automatize processos para deixar seus colaboradores livres para atividades estratégicas. 

  1. Faça melhorias contínuas

Você só consegue conquistar novos clientes e manter os atuais se fizer melhorias contínuas em seus serviços e produtos. Esse é o pulo do gato de empresas como Netflix, Facebook e Amazon: estão sempre atentas aos feedbacks e pedidos de seus consumidores. Com os seus desejos e interesses atendidos, a experiência de consumo se eleva e você terá uma comunidade fiel e apaixonada. 

  1. Pulverize seu propósito

Já falamos muitas vezes sobre o poder do propósito e como ele precisa pulsar em todos os processos da empresa. No caso da escalabilidade, vamos além. É preciso que os gestores estejam aptos a passar e ensinar o processo produtivo da corporação para todo e qualquer membro do seu time. Isso garante a expansão do negócio de forma rápida, fácil e segura. 

  1. Utilize a Nuvem

Já falamos aqui sobre como o armazenamento em nuvem é uma solução que vale a pena priorizar. A virtualização do armazenamento é fundamental para potencializar estratégias importantes, como a gestão orientada a dados. E vamos além: a nuvem permite que a empresa esteja totalmente pronta para expansão a qualquer momento!

  1. O home office pode ajudar

Ter um local físico quando os colaboradores podem trabalhar remotamente de qualquer lugar pode ser limitador em termos de escalabilidade. Ter um escritório acarreta custos. E eles podem se tornar ainda maiores caso a empresa precise expandir sua atuação. 

No home office, os colaboradores seguem desempenhando suas funções, independentemente se a empresa cresce. Podem aumentar os projetos, clientes, a marca e, consequentemente, o faturamento. Não os custos. 

Conclusão

Momentos de incerteza servem como catalisador para novos processos. Muitos desafios apareceram — e seguem aparecendo. Talvez o maior deles seja como construir o novo, o futuro, como desbravar o caminho para o sucesso sem um direcionamento exato do que deve ser feito.  

Sabemos o quanto o desconhecido e a vulnerabilidade são desconfortáveis. Mas esses são os grandes catalisadores de mudanças, historicamente falando. Sim, já passamos por situações semelhantes antes ao longo da nossa existência. 

Para esse momento de transição, o mais importante é mergulhar no potencial inovativo e criar estratégias para alcançar seus objetivos de negócio. Para que sua empresa possa se manter competitiva e não perder o gás em tempos de crise, é preciso pensar em uma estratégia de escalabilidade. 

Uma coisa é certa: a mudança já está acontecendo e não há o que fazer a não ser mergulhar. Nesse momento importante de transição, queremos te ajudar a operar com eficiência nesse novo cenário. Vamos conversar sobre os seus desafios! 

Voltar