05/04/2020
Por
MJV Team

Aprenda a implementar a Gestão da Inovação na sua empresa

Estratégia é fazer escolhas entre várias opções viáveis ​​para ter a melhor chance de “vencer”; a inovação é apenas um dos meios para alcançar seus objetivos estratégicos.

No mercado atual, sem uma boa gestão da inovação, é realmente muito difícil obter sucesso a longo prazo e orientar os negócios com rapidez, a fim de garantir vantagem competitiva.

Agora, como desenvolver uma estratégia de inovação? E como fazer gestão da inovação de maneira estratégica? É o que buscamos responder com este artigo.

Continue lendo para entender o papel do gestor de inovação e ter dicas dos primeiros passos a serem dados na direção de uma estratégia inovadora em seu negócio!

A importância da estratégia de inovação

Apesar dos investimentos maciços de tempo e dinheiro, a inovação continua sendo uma busca frustrante em muitas empresas. As iniciativas de inovação frequentemente falham, e os inovadores bem-sucedidos têm dificuldade em sustentar seu desempenho.

Uma estratégia nada mais é do que um compromisso com um conjunto de políticas ou comportamentos coerentes e que se reforçam mutuamente, visando atingir um objetivo competitivo específico. Boas estratégias promovem o alinhamento entre diversos grupos dentro de uma organização, esclarecem objetivos e prioridades e ajudam a concentrar esforços ao seu redor. 

As empresas definem regularmente sua estratégia geral de negócios (seu escopo e posicionamento) e especificam como várias funções — como marketing, operações, finanças e P&D — a apoiarão.

Sem uma estratégia, os esforços de melhoria da inovação podem facilmente se tornar um saco de boas práticas muito elogiadas: dividir a P&D em equipes autônomas descentralizadas, gerando empreendimentos empresariais internos, estabelecendo armas de capital de risco corporativas, buscando alianças externas, adotando a inovação aberta e o crowdsourcing , colaborando com os clientes e implementando prototipagem rápida, para citar apenas alguns. 

Não há nada errado com nenhuma dessas práticas em si. O problema é que a capacidade de inovação de uma organização decorre de uma boa gestão da inovação, ou seja de uma gestão sistematizada — um conjunto coerente de processos e estruturas interdependentes que determina como a empresa procura novos problemas e soluções, sintetiza ideias em um conceito de negócios e seleciona quais projetos serão financiados.

→ Leia também: Gestão de inovação: crie um ambiente propício para a geração de soluções inovadoras!

Como desenvolver uma estratégia de inovação

Também é importante ter em mente que não existe um tipo de gestão da inovação que se adapte igualmente a todas as empresas ou que funcione sob todas as circunstâncias. 

É claro que não há nada errado em aprender com os outros, mas é um erro acreditar que o que funciona para, digamos, a Apple (inovadora favorita atualmente) funcionará para sua organização. 

Em linhas gerais, no entanto, as empresas consideradas mais inovadoras geralmente têm algumas coisas em comum:

  • capacitam as pessoas e as mantêm responsáveis pelo seu trabalho e suas decisões;
  • recrutam e mantém pessoas talentosas e motivadas em todos os níveis da organização;
  • têm ferramentas e estruturas para garantir que as coisas aconteçam e avancem;
  • têm uma visão clara e uma estratégia que todos entendem;
  • concentram-se na implementação de ideias, em vez de apenas falar sobre elas.

O processo de desenvolvimento de uma estratégia de inovação deve começar com uma clara compreensão e articulação de objetivos específicos relacionados a ajudar a empresa a alcançar uma vantagem competitiva sustentável. 

Isso requer ir além de generalidades muito comuns, como “precisamos inovar para crescer”, “inovamos para criar valor” ou “precisamos inovar para ficar à frente dos concorrentes”. Essas não são estratégias. Elas não dão noção dos tipos de inovação que podem importar (e dos que não importam). Em vez disso, uma estratégia robusta de inovação deve responder às seguintes perguntas:

  • Como a inovação criará valor para os clientes em potencial?
  • Como a empresa vai capturar uma parte do valor que suas inovações geram?
  • Que tipos de inovações permitirão à empresa criar e capturar valor e quais recursos cada tipo deve receber?

A escolha do tipo de inovação, aliás, é um passo bastante primordial. Não esqueça que ela pode ser:

  • de desempenho: novas ideias para um mercado conhecido e aprimoramento de ofertas existentes.
  • incremental: desenvolvimento adicional e/ou otimização de produtos, serviços ou modelos existentes;
  • radical: ideias completamente novas implementadas em produtos, serviços ou modelos de negócios;
  • sustentável: defesa da posição da empresa no mercado para que ela permaneça competitivas;
  • disruptiva: inovação que molda um novo mercado e perturba os mercados estabelecidos.

O papel do gestor de inovação

Agora vamos falar sobre um profissional indispensável no esforço de gestão da inovação: o gestor de inovação! 

Embora as organizações não usem frequentemente “gestor de inovação” como um cargo, elas geralmente criam posições específicas para supervisionar equipes de inovação. Os indivíduos nessas posições detém títulos como diretor de inovação, vice-presidente de inovação e gerente de inovação de produtos. 

As empresas também esperam que os indivíduos em toda a hierarquia gerencial e executiva demonstrem características e habilidades de um gerente de inovação para ajudá-las a crescer e ter sucesso.

Cresce a busca por gestores de inovação à medida que o campo de pesquisa em inovação se expandiu nas últimas duas a três décadas. A pesquisa mostra que a inovação — assim como seu gerenciamento — é uma disciplina que requer habilidades e protocolos específicos, que podem ser ensinados. 

Os gerentes de inovação têm a tarefa de criar a estratégia e a cultura necessárias para que os funcionários experimentem os recursos certos para apoiar essa experimentação. Eles são especializados em: 

Também são capazes de promover a criatividade individual e coletiva e de criar processos e procedimentos para ideação, prototipagem e produção. 

Os gestores de inovação também são capazes de equilibrar riscos com as possíveis recompensas do trabalho de suas equipes, com base na tolerância organizacional ao erro e objetivos organizacionais, além de outros fatores.

Por fim, os líderes de inovação tendem a ser criativos e visionários, com a capacidade de enxergar oportunidades e perspicácia nos negócios para orientar ideias desde o estágio visionário até a implementação; e têm base metodológica e conhecem as ferramentas que os ajudam a mensurar resultados de inovação.

→ Case de sucesso: Com ajuda dos consultores da MJV, multinacional de FMCG criou um Pipeline com iniciativas estratégicas e inovadoras em apenas 12 semanas

Traga a gestão da inovação para a sua empresa

Agora que você já entendeu o que é uma estratégia de inovação e seu papel como líder da gestão da inovação, confira um checklist do que você deve fazer para ter uma gestão da inovação consistente e que traga resultados rápidos e expressivos:

  • consiga o apoio do corpo diretivo da empresa;
  • trace objetivos claros de inovação;
  • escolha o tipo de inovação pelo qual quer começar — de desempenho, incremental, radical, sustentável, disruptiva;
  • reúna uma equipe multidisciplinar, envolvendo diversos departamentos e monte um comitê de inovação; se necessário, contrate profissionais especializados;
  • monte uma estrutura, que você pode chamar de laboratório ou centro de inovação — com as ferramentas necessárias para a experimentação, a prototipagem etc. 
  • oriente estrategicamente as atividades de inovação, delimitando papéis e responsabilidades;
  • trabalhe para facilitar a geração de ideias e as coletar adequadamente;
  • abra-se para obter colaboração externa — pesquise mais sobre o conceito de inovação aberta;
  • desenhe processos de inovação que sejam claramente entendido por todos e sejam viáveis de realização;
  • defina métricas de desempenho e acompanhe os resultados obtidos — ou o que não foi alcançado;
  • trabalhe na melhoria contínua do processo, refazendo a rota sempre que necessário.

→ Leia também: [e-book] Cultura de Inovação — Como capacitar equipes para as mudanças organizacionais!

Para finalizar, acrescentamos que é muito importante buscar ajuda especializada para iniciar sua estratégia de inovação. Nós aqui na MJV, temos trabalhado com inúmeras empresas que enfrentavam dificuldades para começar a inovar — um exemplo é o case que listamos acima — e estamos sempre dispostos a ajudar.

Que tal, nós conseguimos lhe mostrar que a gestão da inovação é uma estratégia? Faça contato conosco e veja como podemos lhe ajudar nessa missão!

 

Voltar