Cliente:

Multinacional de Fast Moving. Consumer Goods.

Desafio:

Elaborar oportunidades de negócios e caminhos de inovação para as regiões Nordeste e Centro-Oeste.

Resultado:

Pipeline de Inovação com 21 soluções detalhadas e priorizadas para serem implantadas em até 2 anos.

Compartilhe:

Criação de Pipeline com iniciativas estratégicas e inovadoras para multinacional de FMCG em 12 semanas

O time se baseou nos insights capturados durante a pesquisa com os consumidores para gerar valor para o negócio

Um fabricante do sistema de uma multinacional de Fast Moving Consumer Goods, no Brasil, identificou a necessidade de explorar o potencial de mercado do Nordeste e Centro-Oeste para se diferenciar e aumentar as vendas. Para isso, a MJV viajou para três cidades e foi a fundo no mapeamento das particularidades e hábitos dos consumidores de cada região.

Salvador, Cuiabá e Fortaleza foram os locais definidos para a execução do projeto por serem praças de grande relevância para a empresa e terem perfis variados de compra/consumo de bebidas

  • O principal desafio era auxiliar o cliente a identificar novas oportunidades de negócio voltadas para esses mercados e, depois disso, desenvolver um mapa de oportunidades e possíveis caminhos de inovação.

NÚMEROS DO CASE

Os resultados das três semanas de imersão foram:

  • 248 entrevistas realizadas: 77 em profundidade e 171 na rua
  • 35 foodbooks (o Facebook da alimentação)
  • 57 pontos de venda visitados
  • 8 profissionais da empresa entrevistados
  • 3 perfis de consumidor encontrados
  • 5 personas definidas

Os dados levantados na etapa de imersão alimentaram as fases posteriores do projeto e culminaram na geração e priorização de soluções que foram organizadas em um pipeline de oportunidades para a região, fruto de um trabalho colaborativo (Co.lab) de uma semana com profissionais de diferentes setores da empresa.

1 Pipeline = 21 iniciativas. 

Time-to-market de 12 semanas.

IMPACTO

Realizamos um estudo profundo e mergulhamos nos regionalismos nos hábitos alimentares dos consumidores e perfis de saúde do Nordeste e Centro-Oeste, “vivendo” por um mês em cada uma dessas cidades e olhando pela lente desses consumidores in loco.

Dessa forma, entendemos os hábitos e necessidades e geramos insights para novas oportunidades de negócio.

No final do Co.lab, a última etapa, co-criamos, com os colaboradores da empresa, o Pipeline de Inovação.

O DIFERENCIAL DA MJV

Nos cinco dias do Design Sprint, os times trabalharam juntos: MJV e os principais agentes da organização. Nós facilitamos o processo para que os próprios integrantes da corporação pudessem gerar seu Pipeline de Inovação.

Criamos um modelo de Co.lab com formato de encontro flexível com as necessidades ao longo da semana, adaptando atividades para garantir o output esperado. As 21 soluções detalhadas e priorizadas são ideias que atendem às necessidades da companhia (áreas de comércio e suporte) e dos consumidores.

Através desse Pipeline, a multinacional estará apta a tomar decisões estratégicas mais assertivas e que irão gerar mais valor ao negócio.

Além de enriquecer a troca e garantir que o pipeline de inovação fosse algo de fato impactante e factível, essa integração também funciona como uma espécie de contrato em relação aos prazos e tarefas que precisam ser desempenhados durante o pipeline.

METODOLOGIA

Como o foco estava no usuário, a MJV utilizou o Design Thinking, metodologia centrada no ser humano, para mergulhar no universo dos consumidores. Não só seus hábitos alimentares e suas necessidades foram contempladas, mas também os regionalismos de cada cidade.

O Design Thinking foi utilizado para identificar e capturar insights que direcionaram as tomadas de decisão e possibilitou que o time da MJV facilitasse o processo para os colaboradores pudessem gerar um pipeline de caminhos estratégicos para fomentar a inovação na empresa.

SOLUÇÃO

O projeto teve duração de 12 semanas. Foi dividido entre as etapas de Imersão, Análise, Co.lab (que contempla a Ideação e o Pipeline de Inovação) e consolidação (etapa importante para reunir todo o conteúdo gerado no Co.lab).

Preparação + Imersão

  • Com o Design Thinking, entramos no universo dos consumidores através de diferentes técnicas de pesquisa imersiva.

Nessa fase, foram feitas:

  • Entrevista em profundida
  • Entrevista de rua
  • Cultural probe (caderno de sensibilização)
  • Observação de PDV

Análise

  • Encontramos patentes de hábitos alimentares, necessidades latentes e intrínsecas do consumidor, bem como peculiaridades regionais das três capitais.
    • Clusterização das percepções
    • Identificação de perfis por hábitos alimentares
    • Identificação de insights e desafios regionais
    • Identificação de insights e desafios sobre o consumo de bebidas

Os cinco perfis de saudabilidade resultaram da análise das entrevistas realizadas com consumidores e representam comportamentos predominantes encontrados, no que diz respeito aos hábitos alimentares e estilo de vida.

Eles foram determinados a fim de guiar as atividades do Co.lab, sensibilizando os participantes acerca dos padrões de consumo e compra de alimentos e bebidas das pessoas, independente da cidade onde moram.

Os perfis foram correlacionados com outras variáveis, estudos e observações de mercado para serem utilizados como influência para a tomada de decisões estratégicas.

Design Sprint: Co.lab

Com base nas informações coletadas, realizamos o Co.lab. Foi uma semana de Design Sprint para co-criar e endereçar soluções precisas em resposta aos desafios encontrados. Foi um trabalho conjunto entre o time da MJV e uma equipe multidisciplinar da empresa, que trabalharam de forma colaborativa para construir o resultado final: um pipeline de iniciativas estratégicas e inovadoras.

      • Sensibilização sobre perfis
      • Três sessões colaborativas de ideação e priorização
      • Elaboração de plano de prototipagem
      • Análise de diferencial e concorrência
      • Refinamento e plano de ação das soluções
      • Criação de critérios norteadores para pipeline
      • Seleção das soluções e construção do pipeline

ENTREGA

O report final foi entregue por meio de um site, no qual a empresa pode acompanhar todo o processo feito durante o projeto e o Pipeline. Nele, é possível conferir quais grupos (colaborador, PDV e usuário final) foram mais impactados pelas soluções e seu prazo de entrega, ou seja, quando deverão ser lançadas.

Voltar