Fique por dentro! Assine nossa newsletter

03/15/2021
Por
MJV Team

O que é Product-Service System e qual sua relação com sustentabilidade?

Que tal repensar seu modelo de negócios para um mindset mais sustentável? Na era ESG, essa é a missão de qualquer gestor. Product-Service System representa uma nova forma de nos relacionarmos com produtos.

E se dissermos que a eficiência energética de muitos processos domésticos e industriais não chega a 50%? Grande parte dos recursos que utilizamos termina como lixo, sem reaproveitamento. A mudança radical para esse problema está na forma como lidamos com os nossos padrões de consumo. Product-Service System é a solução para o problema.

No post de hoje, vamos mostrar todos os detalhes desse modelo que promete revolucionar a forma como concebemos produtos e serviços para a sociedade. Acompanhe com a gente!

Afinal, o que é Product-Service System?

Product-Service System (ou Servitização) parte da premissa de que as empresas devem oferecer a função do produto, não o produto em si. É um amadurecimento a respeito das necessidades reais do consumidor, que não quer necessariamente ter a posse das coisas, mas se beneficiar com o uso delas.

O modelo é um dos pilares para a melhoria da eficiência energética, já que o foco é produzirmos coisas de uma maneira racional — apenas o suficiente para que todos possam usufruir dos seus benefícios. 

Como estamos falando sobre a sustentabilidade de toda a cadeia produtiva, o Product-Service System também trata da manutenção desses produtos-serviços, da reciclagem e, quando necessário, a substituição desse produto. Assim, diminuímos o impacto ambiental de todo o ciclo.

Acesse grátis

Tudo sobre ESG: a sigla que vai mudar o mercado em 2021

Como o Product-Service System funciona?

Como já falamos, Product-Service System é uma mudança de paradigma e de toda a lógica de concepção de novos produtos e serviços. Abaixo, oferecemos um esquema gráfico que pode ajudá-lo a entender um pouco mais o funcionamento desse modelo:

Vamos observar alguns exemplos práticos? 

  • A IBM, por exemplo, resolveu alugar servidores, em vez de vender unidades diretamente para as empresas. 
  • A Philips, por outro lado, tem um serviço pay-per-lux, em que os clientes compram o nível prometido de iluminação para determinado edifício.
  • Também temos casos como a Drover, que trabalha com um sistema de aluguel de carros em vez da venda deste tipo de produto.

Quais são os agentes da mudança?

Até aqui, já deve ter percebido que a mudança para um Product-Service System requer uma transformação cultural de toda a sociedade.

O desapego à posse é um dos pilares para que possamos viver essa nova realidade, melhorando muito a forma como trabalhamos questões como a eficiência energética e o próprio desperdícios de recursos.

O “ter” passa a ser o vilão, e o “ser” o mindset mais adequado para chegarmos lá. Alguns agentes podem ajudar a avançarmos nesse sentido, vamos entender quais são?

O poder dos consumidores

No fim das contas, quem vai decidir se o Product-Service System vai funcionar ou não são os consumidores. Afinal, é a cultura que molda a importância que damos às coisas, que afeta diretamente nossas preferências de consumo.

A boa notícia é que estamos mudando. Neste momento, ESG se torna pauta não por uma demanda do governo ou das empresas, mas pela própria mudança de perfil da sociedade — e, consequentemente, dos investidores.

A influência do governo

O governo também pode ter um papel na virada de chave para um consumo mais consciente e na transformação dessa relação. 

É o Estado que controla os tributos e pode favorecer empresas que trabalhem com um modelo mais inteligente, como o Product-Service System. Além disso, criar leis que desburocratizem esse tipo de relacionamento entre empresas e consumidores também é um caminho para a mudança.

O papel da indústria

Por fim, a indústria tem como pensar fora da caixa, repensar o design dos seus produtos e serviços para o cliente. 

A indústria precisa remodelar seu negócio para estar mais antenada com os novos padrões de consumo. É preciso, mais do que nunca, inovar.

7 benefícios do Product-Service System

A Servitização é um modelo extremamente alinhado com as atuais demandas da sociedade, principalmente quando pensamos no modelo de consumo. 

A seguir, vamos listar cada um deles:

  1. Economia mais sustentável;
  2. Aumento de empregos no setor de serviços;
  3. Fim da manutenção de produtos, e os custos associados a ela, por parte dos clientes;
  4. Oportunidade para inovar no mercado;
  5. Maior alinhamento entre necessidades do consumidor e empresas;
  6. Criação de um relacionamento de longo prazo entre consumidor e empresas;
  7. Redução de problemas ligados ao reaproveitamento de resíduos;

Ou seja, motivos não faltam para que embarque nesse novo modelo de negócios. Ajustar agora a sua empresa para o novo mindset é o melhor caminho para estar alinhado com uma tendência que vai ser consolidar.

A discussão sobre novos modelos sustentáveis já chegou no seu negócio? Então pode ser interessante levar o Product-Service System para as discussões. 

Repensar a forma como as coisas são feitas na sua empresa é uma urgência, principalmente quando consideramos tendências como o ESG, que está transformando o mercado financeiro como o conhecemos.

Quer se aprofundar ainda mais sobre o tema? Então acesse a nossa biblioteca e confira tudo o que temos por lá!

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter