04/16/2019
By
MJV Team

Nick Fury: entenda sobre análise exploratória

O que Nick Fury, dos Avengers, tem a ver com Análise Exploratória de Dados? Entenda agora e veja também o que é a AED e quais seus benefícios para negócios!

*Imagem de Nick Fury: Marvel/Disney

O homem que reuniu o grupo de notáveis mais poderosos da Terra, Nick Fury, é um dos maiores espiões e estrategistas do universo da Marvel no cinema. Na nossa saga de posts sobre Data Science: a Guerra Infinita, ele representa a fase da análise exploratória de dados justamente pela capacidade de sintetizar a essência do time.

Como já vimos, estamos na curva exponencial do Big Data. Por conta disso, é muito importante que tenhamos métodos para validar hipóteses e, mais importante ainda, técnicas para que possamos visualizar todos esses dados com clareza. É nesse contexto que a análise exploratória se torna fundamental.

A seguir, vamos falar um pouco mais sobre a relação entre Nick Fury e a análise exploratória de dados, apresentando o conceito e os principais benefícios dessa ferramenta. Então continue acompanhando!

Afinal, o que é análise exploratória de dados?

A análise exploratória de dados (AED) é uma técnica estatística que tem como objetivo reunir e resumir as principais características de um grupo de dados. Para isso, se utiliza de métodos visuais e gráficos, como histogramas, box plot, diagramas, entre muitos outros. Com isso, é possível ter uma visão mais ampla do universo que se tem à frente.

Outro motivo para utilizarmos a análise exploratória de dados é o fato de que, nessa etapa, o cientista de dados tem a oportunidade de validar hipóteses. Esse é um momento muito estratégico, pois é dessa forma que podemos gerar modelos e algoritmos e descobrir novos parâmetros e padrões (novos estudos), que serão processados novamente.

Essa técnica deve fazer parte de qualquer tipo de análise realizada pela empresa. É com ela que você consegue “virar os dados ao avesso” se julgar necessário, olhar para eles sob diferentes perspectivas e pontos de vista. Assim, são gerados insights e insumos muito bem aproveitados pelos cientistas.

Qual é a relação com o Nick Fury?

“Havia uma ideia de reunir um grupo de pessoas notáveis, ver se elas podiam se tornar algo mais. Se poderiam trabalhar juntas quando necessário e lutar as batalhas que jamais conseguiríamos”. A frase foi dita por Nick Fury no primeiro Vingadores e certamente é uma das mais marcantes do personagem.

Nick Fury é o cara que reúne todos os heróis. Ele deu um sentido para eles, um propósito maior. Além disso, também desempenha um papel fundamental para que a equipe repense suas estratégias e encontre o melhor caminho para superar obstáculos, do Loki ao Thanos. Embora não entre diretamente nos conflitos, é certamente uma peça estratégica.

Fury também ajuda os heróis a identificarem padrões e níveis de ameaça para que tomem o melhor curso de ação. Traçando um paralelo, é com a análise exploratória que desenvolvemos uma perspectiva mais abrangente dos dados para que tenhamos uma total compreensão do cenário em que estamos.

Assim como Fury, com o método definimos o melhor curso de ação.

Quais os benefícios da AED?

Essa é uma das etapas mais fundamentais na rotina do cientista de dados. Serve para uma série de propósitos, principalmente quando consideramos a necessidade de sempre desenvolvermos um olhar diferenciado sob os dados.

Confira todos os benefícios da análise exploratória de dados logo abaixo:

  1. Ajuda a definir o processo de visualização de dados
  2. Funciona como um controle de qualidade dos dados
  3. Sugere hipóteses para os padrões estudados
  4. Avalia se dados e premissas estão correlacionados dentro dos procedimentos estatísticos usados
  5. Apoia na descoberta de novos pontos de vista sob os dados

O futuro do Big Data é a automação

A análise de dados, bem como a fase exploratória, muitas vezes exige alguma atenção para que possa ser realizada. A boa notícia? Já podemos automatizar todo o processo com o auxílio de sistemas e softwares de visualização de dados e o uso do Machine Learning e da inteligência artificial (IA).

Podemos treinar a IA para identificar padrões rapidamente e gerar recursos visuais. Assim, gestores e cientistas de dados podem apenas se debruçar sobre os dados. Claro que sistemas mais avançados nos permitem não só essa visualização, mas também a execução de cursos de ação para determinados cenários.

Já mencionamos isso no nosso primeiro post e voltamos a repetir: as organizações perderam a capacidade operacional de coletar e analisar todos os dados que estão disponíveis. É justamente por isso que devem pensar, desde já, em maneiras para conseguir automatizar esse processo.

De qualquer forma, você vai precisar de um time especializado para coordenar e implementar esse tipo de processo na sua empresa. A MJV possui expertise em projetos de Data Science e Transformação Digital. Podemos promover uma mudança de mindset na sua companhia, bem como aplicar as melhores práticas do mercado. Entre em contato!

Próximo episódio: Doutor Estranho entra em cena com suas previsões

Doutor Estranho é um dos heróis mais misteriosos do universo Marvel. Após perder os movimentos das suas mãos, o neurocirurgião viajou para o Nepal, onde aprendeu as artes místicas e se tornou o Mago Supremo. É ele quem protege a nossa realidade de ameaças entidades místicas, alienígenas e até deuses.

Uma das cenas mais marcantes do filme é quando o personagem faz suas previsões para o futuro. Como não lembrar? Ao navegar por 14 milhões de futuros possíveis, descobre que em apenas um deles os heróis triunfariam. Não é uma notícia muito animadora, não é verdade?

Foi inspirado nesse momento que resolvemos trazer o mago para a nossa discussão sobre Data Science. No próximo episódio, entenda a relação entre o Doutor Estranho e a inferência de dados.

Está gostando da nossa série Data Science: a Guerra Infinita? Então confira o nosso blog post sobre Data Science e se aprofunde mais nesse assunto!

Ebook - Data Science: a guerra infinita

Voltar