07/22/2019
By
MJV Team

De ponta a ponta: porque a união de Design Thinking e Ágil tem feito tanto sucesso

Muito se fala em Design Thinking e muito se fala em Metodologias Ágeis. Ambas são propostas de valor muito poderosas para os negócios. Porém, combiná-las resulta em entregas que realmente agregam valor para os clientes. 

O pulo do gato é saber onde cada uma se encaixa: o que o DT não consegue alcançar, o Ágil consegue complementar. E vice-versa. É a união entre o fazer e o pensar

Design Thinking: Pensar em soluções, resolver situações e problemas, levantar as lacunas que precisam ser preenchidas. É o Design Thinking que vai pavimentar o caminho para seguir em uma direção assertiva.

Ágil: Tangibilizar, fazer e construir. Uma vez que se tem uma ideia bem definida (pelo Design Thinking), o Ágil vai tirar todos os impedimentos do caminho para concretizar essa ideia. 

Com essa combinação, é possível pensar em iniciativas muito mais assertivas, investimentos sendo feitos com maior confiabilidade, times entendendo melhor e com mais profundidade as soluções propostas e sabendo com clareza e visibilidade daquilo que se quer alcançar. 

Design Thinking: qual é a necessidade humana por trás da necessidade do negócio?

Via de regra o cenário corporativo é cheio de incertezas: 

  1. Será que esse projeto vai dar certo? 
  2. Será que esse produto ou serviço vai atender aos clientes? 
  3. Qual o melhor caminho para se seguir? 
  4. O que é melhor para nossos usuários? 

Muitos insights, múltiplas direções para serem seguidas e nenhuma decisão assertiva sobre que caminho tomar. É nessa situação que o Design Thinking vai, em cada uma de suas etapas, desmembrar as soluções e enxergar o que faz sentido para o seu negócio. 

 Em um cenário de caos é possível encontrar uma direção mais certeira e próxima do que é valor a ser entregue. E é o DT que vai fazer essa ponte entre incerteza e direção bem definida.

O Design Thinking vai trazer uma solução totalmente embasada no que o usuário final precisa. É ele que estará no centro do processo. É uma metodologia muito poderosa porque utiliza a palavra “empatia” em seu sentido real. 

Ágil: você não faz Ágil; você se torna Ágil

Agilidade é mindset. Ágil é uma forma diferente de se pensar e repensar a própria lógica da sua rotina de trabalho. O Ágil começa em cada um que deseja trabalhar com a metodologia da agilidade. 

Dessa forma, antes de adotar frameworks e melhores práticas, antes de olhar para a parte técnica do Ágil, o primeiro passo é voltar-se para o mindset. Você precisa se tornar Ágil antes de usar a Agilidade. 

Métodos Ágeis: dividir para conquistar! 

Nos métodos tradicionais, também conhecidos como waterfall, o escopo do que precisa ser feito é visto como o todo. E isso, muitas vezes, é extremamente complexo, requer um esforço muito grande, pode ser difícil de ser gerenciado e não confere muita flexibilidade para o caminho que o time precisa traçar até o objetivo final. 

No caso do Ágil, dividindo para conquistar, tudo fica mais leve, prático e flexível. 

Utilizando a metodologia Ágil é possível:

  • Colocar o cliente como participante ativo do processo.
  • Redirecionar o projeto de acordo com o objetivo do negócio.
  • Reduzir tempo e custo.
  • Minimizar possibilidade de erros após a entrega do produto final.
  • Comunicar-se com o cliente de forma muito mais simples e transparente.
  • Proporcionar experimentação do produto desde a primeira fase do projeto.
  • Ter mais flexibilidade para performar mudanças com holdbacks menos dolorosos. 

O Ágil atende as necessidades do mercado e do negócio, proporciona entregas com alta qualidade e coloca o time trabalhando com elevada produtividade. É por isso que virou uma necessidade básica para muitas empresas. 

Além disso, existem vários modelos de entrega dentro do mindset Ágil que nos remetem ao conceito de entregas incrementais. São diversos pequenos incrementos que, combinados, compõem a entrega final. Por isso, dividir para conquistar

COMBINANDO DT + ÁGIL

Agora que a gente já visitou os conceitos básicos de Design Thinking e Ágil, vamos entender melhor como combinar os dois pode trazer resultados que geram valor para o negócio através de estudos de caso práticos da MJV. 

Os Cases

Cliente: Telecine Play

CONTEXTO

O Telecine Play precisava de um redesign do centro de atendimento ao cliente em seu aplicativo. A parte de customer service não tinha um approach muito positivo, o que causava um elevado número de reclamações dos usuários.

PROJETO

Para criar  um novo modelo de relacionamento com os usuários do Telecine Play através do aplicativo, criamos um framework que combina Design Thinking e Agilidade (DT + Scrum).

Rodamos todas as etapas do Design Thinking: 

  1. empatia
  2. análise
  3. definição do que se quer construir
  4. ideação do protótipo
  5. construção do protótipo

Este foi feito de maneira incremental para que o time de desenvolvimento pudesse começar a trabalhar em paralelo com a prototipação: cada sprint de prototipação serviu como sprint anterior para o desenvolvimento.

Esse modelo foi crucial para conseguir: 

  • Auto-organização da célula do projeto.
  • Ter um modelo de trabalho que atendesse às expectativas do cliente e mantivesse a qualidade e o olhar de inovação. 

União de DT + Ágil

Pontos-chave para ter um projeto de sucesso. 

DT:

  • Cocriação: tudo feito em conjunto com o time do Telecine Play. 
  • Inspirational Talks: entrevistas para mergulhar no cenário do cliente e poder entender as dores dele (como provedor do serviço) e dos usuários. 
  • One Day in Life: ferramenta que possibilita “entrar” na rotina de um usuário e vivencia o produto/serviço da perspectiva dele.
  • Mapa de Empatia
  • Mind Map

MÉTODOS ÁGEIS:

  • Kanban: organização e fluxo de produtividade bem definido para não atrasar entregas.
  • Cerimônias Ágeis
  • Cross functions: time multidisciplinar para atender as mais diversas demandas do projeto de reframe do consumer service e atender a expectativa de deadline do cliente.

Projeto UMA 

É um protótipo voltado para agronegócio. Sua proposta une várias tecnologias, como IoT, Big Data, Realidade Aumentada e desenvolvimento mobile. 

O objetivo do Projeto UMA é trabalhar a irrigação do solo de maneira automatizada através de sensores que captam os dados sobre o mesmo (umidade, qualidade, irrigação, iluminação etc.) em tempo real. A ideia é que o projeto seja um exemplo de como a tecnologia pode facilitar a nossa vida, ajudando a poupar tempo, esforços e diminuir a complexidade de atividades simples. 

Esse protótipo foi construído em tempo recorde porque dois frameworks foram unidos: as etapas do Design Thinking com o modelo Lean, unindo o pensar com o tangibilizar.

Dessa forma, tivemos um modelo de trabalho muito mais flexível, produtivo e que realmente deu certo para atingirmos o objetivo dentro do deadline. 

DT + Métodos Ágeis

Alguns pontos que foram fundamentais para o sucesso do Protótipo UMA. 

DT:

  • Mapa de Empatia
  • Mapa de Jornada do Usuário
  • Lean Inception: Visão do Lean para construir o MVP de forma mais orientada para resultados.

MÉTODOS ÁGEIS:

  • Lean Startup
  • Cerimônias Ágeis: ajudam na organização e para ter uma comunicação mais enxuta.
  • Retro “on the fly”: A retrospectiva era feita durante o sprint para ganhar tempo. Isso possibilita que melhorias contínuas sejam feitas desde o início. 

DT + Ágil: propostas de valor de ponta a ponta 

Novas formas de pensar soluções são cada vez mais necessárias. O Design Thinking e o Ágil são fundamentais para esse aculturamento. O DT traz um mindset que possibilita um pensamento disruptivo e o Ágil tangibiliza de maneira produtiva. 

É importante lembrar que o Design Thinking e o Ágil não são metodologias exclusivas dos times de desenvolvimento. Pelo contrário: todos os departamentos e todos os níveis de uma empresa são beneficiados por esse casamento.  

  • Backlogs mais estratégicos, assertivos e inovadores.
  • User Stories totalmente orientados ao usuário final e não somente com approach técnico.
  • Requisitos com menos problemas de entendimento.
  • Deep understanding: sentimento de gratificação por fazer parte de um projeto desde o início.
  • Investimentos mais consistentes e confiáveis.

Empresas que adotam Design Thinking e Ágil estão olhando propostas de valor de ponta a ponta. O Ágil sozinho é uma proposta de valor, porém totalmente embasada no “construir”. O Design Thinking sozinho também é uma proposta de valor, porém baseada somente no “pensar”. 

Combinar o “pensar” e o “construir” de ponta a ponta e entregar isso para o cliente é mais valioso – do ponto de vista financeiro e é uma proposta de valor muito poderosa para as empresas. Além de trazer resultados exponenciais em um tempo muito menor e com menor custo, combinar DT + Ágil pode ser a diferença entre o sucesso e um fracasso de uma ideia –  que vira projeto e depois solução. E é isso que nos posiciona como uma empresa que consegue atuar em qualquer desafio para qualquer cliente em qualquer lugar do mundo. 

Vamos dar um passo adiante e falar sobre Design Thinking e Ágil no contexto da Transformação Digital. Baixe agora nosso ebook e entenda como a união dessas práticas pode facilitar o desenvolvimento do seu negócio!

design-thinking-e-agil-transformacao-digital

Voltar