Fique por dentro! Assine nossa newsletter

03/09/2021
Por
MJV Team

Conheça as 7 etapas do planejamento estratégico

Se você quer ter um 2021 muito melhor do que 2020, não tem outro caminho senão traçar um bom planejamento estratégico. Siga nossas 7 etapas e tire suas ideias da gaveta hoje mesmo. Acesse agora mesmo!

O mercado nunca mudou tanto em tão pouco tempo. A expressão “do dia para a noite” passou a designar algo que demanda muito tempo. Por conta disso, o planejamento (ou replanejamento) estratégico se tornou o ás na manga das corporações que se adaptaram rapidamente ao novo normal.

Foi preciso se adaptar rapidamente. Deixar o velho de lado para poder sobreviver à construção do novo. As soluções que costumavam ser usadas para resolver nossos velhos desafios, não resolvem esses que aparecem agora.

A verdade é que tudo muda, a cada segundo. Enquanto você lê essa frase, certamente um grupo de jovens já encontrou uma solução para um problema que nem sabíamos que existia no Vale do Silício – ou melhor, no remoto Vale do Silício. 

O tão falado novo normal nem é mais tão novo assim. E veio para ficar. 

Empresas, setores, países e pessoas estão se adaptando para sobreviver. E se você quer começar a desenhar um futuro realmente alinhado ao momento que vivemos, essa é a hora de rasgar o planejamento antigo e começar um novo, do zero. 

Mas, calma! Existem, sim, muitas possibilidades e oportunidades nesse futuro que chegou com tudo. Acompanhe para entender melhor por onde começar seu planejamento estratégico e como ele pode guiar sua empresa ao tão sonhado sucesso. Confira!

Declaração de valores, missão e visão

Primeiramente, vamos definir o que são cada um desses itens, ok? Por mais que você já saiba, nunca é demais relembrar. 

  • Missão: a razão que justifica a existência da sua corporação
  • Visão: onde a empresa quer chegar a curto, médio e longo prazo
  • Valores: são os princípios inegociáveis dos quais sua empresa não abre mão

Esses três, juntos, compõem a identidade organizacional da sua empresa. E é sobre ela que vamos falar. 

Não há dúvida que o coração de toda empresa é o usuário. Esse é o ativo mais valioso. 

O consumidor segue mais consciente do que nunca. E mais exigente também. A busca por vínculos cada vez mais alinhados com valores mais sensíveis abre precedentes para questionamentos, como, por exemplo, “o que as empresas fazem de relevante para o mundo?”.

Surge a necessidade de ultrapassar as barreiras da própria organização e se comprometer com missão, visão e valores que realmente impactem o mundo de forma positiva. 

Vale anotar no caderninho:

  • Mergulhe fundo – bem fundo no seu negócio – e entenda os interesses da sua empresa e os padrões comportamentais do seu consumidor. 
  • O Design Thinking pode ajudar bastante nessa missão. O DT traça um panorama com todos esses componentes para compreender profundamente o indivíduo através de suas análises. 

Mais do que nunca, é preciso construir uma marca, não uma corporação.  Acredite: o propósito da sua identidade organizacional tem cada vez mais poder na decisão de compra. 

Dessa forma, é fundamental basear sua comunicação e relacionamento em verdades para ganhar o coração de novos clientes e manter a chama acesa com os antigos. 

Portanto, não tem para onde correr: comece seu planejamento estratégico construindo uma identidade organizacional sólida e que realmente faça sentido, que esteja conectada com a sua verdade. Dessa forma, fica mais fácil disseminar essa cultura entre seus colaboradores e seguir sempre alinhado a ela.

Análise do ambiente externo

Para que seu planejamento estratégico funcione e faça sentido você precisa estar alinhado ao que está acontecendo ao seu redor, quais são os movimentos do mercado e dos consumidores.

Dessa forma, é preciso fazer uma análise constante das oportunidades e ameaças que permeiam o seu negócio. Todas as empresas são impactadas de forma constante por essas duas forças: as oportunidades de forma positiva e as ameaças de forma negativa.

Qual a melhor forma de aproveitar as oportunidades e afastar as ameaças do ambiente externo? A resposta está no próximo item. Confira!

Análise do ambiente interno 

Pode não parecer, mas é relativamente simples. Lembra que falamos da sua identidade organizacional e sobre como ela precisava ser sólida? Eis o porquê: é ela que será a base para um ambiente interno capaz de resistir às fraquezas da sua empresa. 

A força da sua corporação está diretamente ligada ao ambiente interno. Ela representa seus pontos fortes e como você lida com os impactos. Uma dica? Adaptabilidade, flexibilidade, resiliência e agilidade. 

E onde elas vão nos levar? Velocidade no aprendizado e na tomada de decisão. Para sobreviver, é preciso desenvolver a habilidade de se adaptar rápida e eficientemente a todas as formas de mudanças. 

Análise da situação atual

Agora que você já entendeu como estão os ambientes externo e interno, é hora de entender a situação atual da sua empresa, com seus recursos e dificuldades.

Veja: aqui existe uma diferença importante entre o ambiente interno e a situação atual. O ambiente externo é composto pelas forças e fraquezas. E essas não necessariamente tem a ver com a situação atual.

A situação atual muda de acordo com uma série de variáveis. E são essas variáveis que você vai avaliar através dos dados. Sim, porque eles não mentem. 

É nesse momento, também, que são estabelecidos os famosos KPIs (ou indicadores de performance, para os íntimos). 

Juntando dados e KPIs, você tem um panorama dos resultados da sua corporação. Eles são os indicadores centrais de que suas ações estão sendo bem (ou mal) sucedidas. 

Definição de metas e objetivos

Aqui é onde você define onde sua empresa quer chegar. É claro que o céu é o limite, mas vamos por partes, ok? Traçar metas e objetivos reais e alcançáveis é fundamental para não frustrar expectativas.

Para isso, seja esperto e pense em seguir o padrão SMART (pegou o trocadilho?). 

Nesse sentido, temos que destacar algo muito importante sobre planejamentos estratégicos: eles fazem parte de um processo infinito. Cada planejamento é único e faz parte de um ciclo de metas e objetivos. 

Sabe aquela velha história de “quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta”? É exatamente isso que faz sentido para um bom planejamento. 

Atingiu a meta e o objetivo? O planejamento é zerado e é a hora de reiniciar o ciclo. Sim, refazer todo o processo para criar novos objetivos e novos planos de negócio para o período subsequente. 

E se pintar uma crise no meio do caminho – como aconteceu com a pandemia mundial da Covid-19? Será que estaremos preparados para esse momento? A resposta é “sim”. E vamos dizer como: através de um planejamento Plano de Continuidade de Negócios.

O PCN é a resposta para esse tipo de problema e é o que nos põe sempre um passo à frente. 

Basicamente, o plano ajuda a desenvolver ações para proteger o núcleo de tarefas essenciais do negócio. Com isso, garantimos as operações mesmo quando enfrentamos tempos de incerteza. 

Quer entender melhor o que é o PCN e conhecer algumas ferramentas que podem ajudá-lo a resguardar o seu negócio em tempos de crise? Acesse agora nosso ebook e esteja preparado! 

Acesse grátis

Soluções para o plano de continuidade de negócios

Definição da Estratégia

A rota está traçada, agora é hora de definir a estratégia para alcançar as metas e os objetivos. Lembre-se: sem uma estratégia bem definida e possível de ser seguida, não se chega muito longe. 

Mas você pode estar se perguntando: como vou saber se defini uma boa estratégia? Calma! O guru da gestão, Michael Porter, vai ajudar. Segundo ele, existem 3 estratégias básicas:

  • Diferenciação: seu negócio deve ser um destaque entre os concorrentes, terá um diferencial claro. Aqui, seus produtos ou serviços devem ser exclusivos, de qualidade única e incomparável. 
  • Liderança de Baixo Custo: aqui a regra é simples: ganhar o mercado oferecendo preço mais baixo que os seus concorrentes. 
  • Foco: conquistar um segmento específico do mercado. Como? Atendendo demandas que ainda não foram plenamente atendidas.

Veja: uma boa estratégia pode ser o diferencial competitivo da sua empresa. Porém, aqui entra algo que colocamos lá no início: sua identidade organizacional. E, claro, com o seu público-alvo também. Caso contrário, não vai funcionar – pelo menos não por muito tempo.  

Feedback e Controle

Por último, mas não menos importante. Na verdade, essa etapa é bem importante. E, acredite, muitas vezes é negligenciada por gestores e times.

Porém, veja: de que adianta passar por todas essas etapas, fazer um planejamento estratégico de dar inveja e não monitorar o que está sendo colocado em prática? Como você saberá se acertou bem no alvo ou se pegou de raspão?

  • Para saber se tudo está evoluindo corretamente conforme planejado, é preciso fazer feedbacks e controles constantemente.
  • Para calibrar suas estratégias é preciso fazer feedbacks e controles constantemente. 

É isso que vai possibilitar a melhoria contínua e o alcance de resultados ainda mais expressivos e que gerem cada vez mais valor para o seu negócio. 

A regra é clara: planejar é preciso! 

Mais do que preciso, é fundamental. Esperamos que nosso passo a passo te ajude a tirar o seu planejamento estratégico do papel e alcançar resultados ainda mais exponenciais.

Mas, lembre-se: nada de guardar seu planejamento na gaveta, ok? Ele precisa estar sempre visível por dois fatores: 

1 – Tem que ser compartilhado com todos os integrantes do seu time

2 – Precisa ser editado e ajustado em tempo real, conforme os cenários vão se modificando. O planejamento real é feito todos os dias do ano. 

Sobre isso, temos 3 dicas importantes:

  • Crie soluções para integrar e visualizar os dados 
  • Para avaliar e validar suas ações e manter todas as informações ao alcance de todos, nada melhor do que contar com um Dashboard. 
  • Rotinas de acompanhamento de métricas geram insights valiosos para a estratégia do seu negócio e ajustes no planejamento.

Não adianta ter uma tomada de decisão estratégica se ela não for verdadeiramente rápida e eficaz para seus clientes. E lembre-se: são eles o maior e mais precioso ativo da sua empresa. 

E se você busca um planejamento estratégico ainda mais assertivo e que gere valor para sua corporação ou se ficou com alguma dúvida sobre como começar o seu, acesse nossa biblioteca e confira nossos conteúdos. Tem muita coisa bacana por lá e temos certeza que nossos materiais podem te ajudar um bocado. 

Bom planejamento e boa leitura! 

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter