01/07/2019
By
MJV Team

Scaled Agile Framework: o que é e como funciona o SAFe

O SAFe é uma estrutura ágil para desenvolvimento que vem ganhando muito destaque entre desenvolvedores e gestores de projetos de softwares. Neste artigo, além de entender em profundidade o que é esse framework, você verá como ele funciona na prática. Confira!

O que é SAFe

Acrônimo de Scaled Agile Framework (Estrutura Ágil Escalonada), o SAFe é um framework ágil de desenvolvimento que fornece uma experiência simples e leve para a equipe, pois está dividido em três segmentos: Time, Programa e Portfólio.

Entre outras coisas, ele:

  • permite implementação de softwares Lean-Agile no nível corporativo;
  • é baseado nos princípios Lean e Agile;
  • fornece orientação detalhada para o trabalho no Portfólio, Fluxo de Valor, Programa e Equipe;
  • foi projetado para atender às necessidades de todas as partes interessadas dentro de uma organização.

O SAFe foi desenvolvido em 2011 para ajudar as equipes de desenvolvimento de software a colocar produtos melhores no mercado mais rapidamente. Com base em uma combinação de princípios ágeis e enxutos, ele apela para uma estreita colaboração e alinhamento entre as equipes e visa centralizar a tomada de decisões. Oferece várias opções de configuração dependendo do tamanho do time de desenvolvedores.

Em última análise, o SAFe permite que as organizações visualizem o “quadro geral”, mapeando funções, responsabilidades e atividades necessárias para o desenvolvimento de software. Ao fazê-lo, ajuda a responder perguntas sobre o alinhamento de uma iniciativa de desenvolvimento com os objetivos de negócios e/ou sua previsibilidade. Também facilita a medição do sucesso e a identificação de oportunidades para melhorar fluxos de trabalho.

O ímpeto por trás do SAFe é tornar os princípios ágeis escaláveis para grandes empresas, a capacidade do framework de centralizar a tomada de decisões e trazer uma mentalidade de cima para baixo para um processo tipicamente de baixo para cima alcança esse objetivo.

mjv_framework_SAFe_metodologia_agil_

Quando o SAFe se mostra mais necessário e como ele funciona

Um dos elementos mais difíceis da filosofia Ágil (Agile) é o escalonamento. Quando uma única equipe precisa adotar práticas ágeis, faz todo o sentido usar um sistema de refinamento, estimativa, implementação e retrospectiva de backlog para aprimorar e modelar continuamente o design, testar e avaliar o valor que o software pode adicionar e gerenciar as expectativas dos clientes no tempo de entrega e no trabalho necessário.

A teoria é perfeita, mas todos os desenvolvedores dirão que, na prática, ela pode variar muito em seu sucesso.

Geralmente, os princípios do Agile funcionam bem no desenvolvimento de software porque permitem que as equipes sejam fluidas e flexíveis, adaptando-se a problemas imprevistos e dificuldades mais complicadas nos requisitos estabelecidos pelo proprietário do produto.

No entanto, assim que os gerentes de projeto tentam escalar a filosofia Ágil, para incluir várias equipes (dependentes), por exemplo, podem acabar com muita dor de cabeça e dificuldade em manter a fluidez e a flexibilidade que a tornam útil.

O SAFe tenta obter uma visão mais ampla do (s) produto (s) e prazos, permitindo – em um mundo ideal – alguma flexibilidade, com um roadmap aproximado das próximas 8-12 semanas.

Esse grande período de tempo é conhecido como um incremento de produto (product increment – PI) e, normalmente, um IP tem uma grande sessão de planejamento de várias equipes no início. Nesta sessão de planejamento do PI, as dependências entre equipes são identificadas e minimizadas, permitindo que as equipes trabalhem de forma independente, tanto quanto possível.

Isso geralmente é feito por meio de alguma reestruturação do roadmap do PI e pode incluir:

  • refinamento dos requisitos para o PI: alguns requisitos podem ser adiados até uma data posterior? A dependência é essencial ou é outra técnica para alcançar o resultado possível?
  • priorização: com que rapidez as dependências podem ser resolvidas no PI para que os bloqueadores/problemas sejam divulgados cedo?
  • Realocação de tarefas.

Cada equipe faz  o refinamento do backlog para as próximas 2 a 3 semanas, mas o roadmap aproximado do PI está lá como um guia. Em teoria, isso pode funcionar muito bem, mas depende de algumas suposições não triviais:

  • cada equipe de desenvolvimento é competente com prática ágil e capaz de estimar com sucesso sua velocidade.
  • o proprietário do produto de cada equipe tem uma visão clara dos requisitos para a duração do roadmap. Isso não é sugerir que o proprietário do produto precisa ter todas as informações detalhadas, mas compreende os requisitos gerais para as próximas 8-12 semanas de trabalho.
  • qualquer interrupção é facilmente gerenciada, e os requisitos gerais do PI são flexíveis o suficiente para absorvê-lo.

Durante o PI, os bloqueadores podem ocorrer, problemas podem ser deixados estagnados – isso acontece se duas equipes são responsáveis por uma história e ambas têm a impressão de que o outro time está trabalhando na solução, por exemplo – as equipes podem desconhecer as mudanças na entrega de suas dependências (que podem afetar sua própria velocidade e entrega).

Para atenuar isso da melhor maneira possível, diferentes equipes terão representantes que participarão de sessões regulares de Scrum para relatar o que está sendo feito, como as dependências estão sendo resolvidas e se existem problemas ou bloqueios que precisam ser solucionados .

Normalmente, esse “Scrum de Scrums” ocorre com menos granularidade do que, por exemplo, um Stand Up diário, mas com regularidade suficiente para que os problemas possam ser levantados em tempo hábil.

O framework ágil SAFe para o desenvolvimento de software é útil para empresas que produzem ou liberam produtos exatamente por causa dessa visão de longo prazo dos projetos. Ele permite, por exemplo, que vendas e marketing calculem datas de lançamento, financiem o orçamento e disponibilizem fundos, o que facilita a capacidade de enxergar partes interessadas e clientes no futuro ou em pouco tempo.

Os benefícios do SAFe

As maiores e mais inovadoras organizações do mundo já descobriram os benefícios do SAFe:

  • tempo de lançamento no mercado mais rápido;
  • aumentos significativos de produtividade e qualidade;
  • funcionários mais motivados e engajados.

Confira, a seguir, um detalhamento dessas e de outras vantagens.

mjv_framework_SAFe_metodologia_agil_desenvolvimento_software

Estrutura leve, eficiência e centralização das decisões

A adoção do SAFe é a oportunidade de explorar uma estrutura relativamente leve que cria eficiência no desenvolvimento de software, mantendo a tomada de decisões centralizada necessária no nível corporativo.

Essencialmente, a SAFe estende a ideia de agilidade para além das linhas de frente do desenvolvimento de software, chegando até os líderes que precisam responder a questões estratégicas de nível mais alto.

Visão geral do projeto — inclusive para projetos altamente complexos

Especificamente, como o SAFe foi projetado para manter uma visão geral do desenvolvimento de software, ele pode lidar facilmente com uma estratégia coordenada para projetos complexos e de grande porte, com equipes que chegam às centenas. No entanto, por estar fundamentado em princípios ágeis e enxutos, permanece mais eficiente do que abordagens tradicionais de entrega de software.

Coordenação de diferentes equipes atuando no mesmo projeto

O SAFe é particularmente benéfico para organizações que precisam trabalhar em projetos que reúnem diferentes equipes, já que sua centralização é facilitada. Nesse cenário, permite processos padronizados entre equipes e ajuda a evitar obstáculos e atrasos que podem surgir quando times diferentes precisam trabalhar juntos.

Garantia de alinhamento com as metas de negócios

Outro benefício notável do SAFe é sua capacidade de ajudar equipes a manter alinhamento com metas de negócios. Esse alinhamento muitas vezes pode se perder em ambientes ágeis que adotam uma abordagem de baixo para cima, já que desenvolvedores e testadores podem, às vezes, perder de vista objetivos macros.

Em contraste, o alinhamento descendente e a tomada de decisão centralizada do SAFe ajudam a garantir que os objetivos estratégicos permaneçam em primeiro plano e que todas as decisões sejam tomadas em apoio a eles.

Voltar