Fique por dentro! Assine nossa newsletter

06/23/2020
Por
MJV Team

Escalando o pós-normal: porque investir em TI pode acelerar a recuperação das empresas

Parece contraintuitivo, mas aumentar o investimento em tecnologia pode ser o diferencial para que as empresas sobrevivam ao primeiro grande teste do pós-normal.

A pandemia da COVID-19 está afetando todos os setores da economia. Diminuição de receitas, queda nos postos de trabalho e redução das jornadas tornaram-se realidade para uma gama de empresas, inundando o mercado com um mar de incertezas.

A solução para reduzir os reflexos da crise nos negócios e voltar ao patamar competitivo de outrora? Aumentar o investimento em tecnologia. É isso mesmo, você não leu errado.

Ao contrário do que poderia parecer, o cenário não é de terra arrasada para todas as empresas. De acordo com a Gartner, os investimentos no setor de Tecnologia da Informação têm viés de alta de pelo menos 2,5% no país em 2020 – o equivalente a US$ 64 bilhões.

O objetivo? Aumentar a eficiência operacional por meio daquele velho binômio redução de custos/otimização de recursos.

Inovar é o único caminho para vencer a crise. Por isso, investir no potencial exponencial da tecnologia emerge como alternativa para que as empresas recuperem produtividade, receitas e uma parte da estabilidade nas operações (porque estabilidade total será utopia no pós-normal).

Nesse blog post, vamos mostrar como é possível aumentar sua eficiência operacional por meio da tecnologia sem precisar investir quantias exorbitantes nesse momento. Quer saber mais? Então continua com a gente!

O avanço da tecnologia e a curva da exponencialidade

Você deve ter notado o quão rápido diversos setores da indústria se adaptaram ao trabalho remoto. Não à toa, pipocam notícias nos mais diversos veículos de comunicação sobre empresas que pretendem adotar o teletrabalho em definitivo.

Pense: o quão avançadas são nossas tecnologias para permitir que empresas aproveitem oportunidades em uma das piores crises que já vivenciamos?

Daqui para a frente, tudo o que puder ser digitalizado, será. E esse fenômeno promete agitar o mercado com o surgimento de uma série de organizações exponenciais (as EXOs).

Já pensou em crescer 10 vezes mais rápido do que seus concorrentes e com menos custos? Se sim, você deve abraçar a exponencialidade.

Não há como falar das EXOs sem mencionar o futurista Peter Diamandis, a Singularity University e os 6Ds — princípios que regem os negócios na Era Digital. Segundo ele, são seis os princípios que regem a transição das empresas para a nova economia. Confira:

Digitalização

É o processo inicial da transformação. Nessa nova fase, todo produto ou serviço deve habilitar-se para ser consumido digitalmente. A previsão é de que o período remoto acelere essa fase.

Decepção

Uma espécie de frustração comum durante a curva inicial da exponencialidade — que pode ser imperceptível. Esse crescimento disfarçado (0,01; 0,02; 0,04…) faz parte do trabalho estrutural que deve ser feito até que se colha os frutos. 

Disrupção

Nesse momento, o tipo de inovação provocada molda os anseios dos consumidores e inaugura novos segmentos de mercado. Observamos isso no início da década com empresas como Netflix e Spotify, por exemplo.

Desmonetização

O avanço da tecnologia tem o dom de reduzir custos. Nessa fase, soluções passariam a ser replicadas com tanta facilidade que pagar por determinadas tecnologias pode deixar de fazer sentido em breve.

Desmaterialização

As soluções físicas que conhecemos desaparecem paulatinamente ao passo que as necessidades dos usuários são supridas por vias digitais.

Democratização

No fim desse processo, há a democratização da tecnologia, momento em que as soluções chegam às prateleiras (digitais) dos consumidores por valores acessíveis.

A importância de investir em tecnologia para acelerar o processo de Transformação Digital

Ao longo dos último anos, você com certeza ouviu diversas vezes que a Transformação Digital está impactando as indústrias. Até que isso se tornasse “vazio”.

A sensação é de que, por mais investimento que se faça na digitalização dos processos e cultura corporativa, sempre haverá algo a mais para transformar. O que ninguém te contou é que a Transformação Digital não é um lugar para se chegar — é o caminho.

A COVID-19 ressignificou o sentido de Transformação Digital. O fenômeno explicitou que o ritmo da adaptação ao digital está aquém da necessidade da própria indústria. Isso denota uma reticência muito grande em relação à inovação.

Agora, a diferença entre ser ou não digital é a sobrevivência. Empresas com maturidade digital alta se mostram mais resilientes para passar por turbulências. Aquelas que estão atrás nessa corrida precisam acelerar ou correm o sério risco de caírem no ostracismo.

Mas não pense que é necessário realizar investimentos astronômicos para acelerar o processo de transformação. Tecnologias como computação em nuvem, automação robótica e machine learning oferecem alternativas econômicas e com alto grau de escalabilidade.

Estou crescendo exponencialmente, e agora? Gerencie com DevOps e Ágil

Há muita literatura por aí falando sobre os benefícios do crescimento exponencial. Mas na hora de elencar métodos para gerir operações que dobram a cada ano, essas referências vão ficando cada vez mais escassas.

Aqui na MJV, nós experimentamos crescimento exponencial de 350% em 3 anos.

Durante essa trajetória, 2 de nossas expertises foram fundamentais para manter as operações nos trilhos, uma no âmbito das operações e outra no gerenciamento dessa expansão: o DevOps e as Metodologias Ágeis.

Confira seus benefícios:

DevOps

DevOps é um método que integra a área de desenvolvimento e operações. O processo substitui a linha de montagem tradicional, em que os códigos são simplesmente “lançados” para o departamento de operações ao final do processos – e só então é possível testar a viabilidade do produto.

Com foco na eliminação de burocracia e processos truncados para acelerar entregas, o método ganhou protagonismo nos departamentos de TI. No ambiente DevOps, os times podem compartilhar códigos com transparência, auxiliando na detecção de problemas ainda na fase de desenvolvimento.

Nesse modelo, as equipes de desenvolvimento criam recursos, enquanto as equipes de operações mantêm o sistema estável e funcionando sem problemas por um modelo de feedback contínuo para quem está programando.

Benefícios da abordagem DevOps:

  • Integrar equipes de desenvolvimento e operações
  • Construir senso de time e dividir responsabilidades
  • Feedback constante
  • Reforçar a segurança no ambiente de produção
  • Acelerar o desenvolvimento de novas aplicações

Business Agility

Nós poderíamos falar apenas de Ágil aqui, porém ninguém mais tem dúvidas de sua relevância na dinâmica de trabalho dos times. Então vamos além: falaremos sobre Business Agility. Porque Business Agility é sobre liderança.

No mundo atual, volatilidade é uma constante. Uma estrutura ágil é formatada para gerenciar ambientes de projeto em constante mudança – e algumas das ideias do Business Agility vieram do estudo da complexidade que o mundo atual exerce no desenvolvimento de softwares.

Como já falamos, um ponto fundamental no Business Agility é a liderança. Nesse sentido, busca-se uma mentalidade voltada para engajar, capacitar, delegar, treinar e inspirar de maneira ágil (flexível, adaptável e na velocidade ideal).

Sai, portanto, a lógica de centralização e dá-se espaço às lideranças distribuídas, uma cultura de colaboração sustentada pela comunicação e transparência entre indivíduos, equipes, departamentos e filiais/unidades de negócios. 

Outra dimensão muito importante em Business Agility é o feedback, que pode vir de diferentes origens (clientes, colegas, fornecedores etc.). O importante é a capacidade de absorvê-lo e trabalhar em um processo de melhoria contínuo.

Benefícios do Ágil:

  • Flexibilidade para mudanças de requisitos
  • Tangibilização de aspectos do resultado final desde o início
  • Transparência e visibilidade do status do projeto
  • Antecipação das entregas de maior valor
  • Entregas constantes

Outsourcing de TI: escale seu crescimento

O sonho de qualquer empresa é escalar operações e gerar receita de forma sustentável e enxuta. Ao mesmo tempo, uma expansão muito rápida pode tirar a estratégia do prumo e gerar gargalos – as “dores do crescimento”. Nesse contexto, é preciso desacelerar para cuidar do realinhamento de processos internos.

Mas escalar seu negócio não pode ser um problema: tem que ser a solução. E terceirizar sua infraestrutura de TI pode te dar tranquilidade para dedicar-se ao desenvolvimento e aprimoramento do core business.

Durante mais de 20 anos, a MJV tem desenvolvido soluções tecnológicas que ajudaram algumas das maiores empresas do mundo a resolverem desafios de negócios, sempre complementando nossa área de desenvolvimento de software com expertises de UI & UX.

Nossa experiência com escritórios nos Estados Unidos, Europa e América Latina e mais de 700 colaboradores multidisciplinares chancelaram um modelo de outsourcing de profissionais único, que conta com times distribuídos e squads remotos dedicados.

O outsourcing de TI da MJV oferece a solução definitiva para expandir sua equipe de forma remota, fornecendo a combinação ideal entre nearshore e offshore para obter o melhor dos 2 mundos, com alto impacto e custos reduzidos.

Trabalhamos com squads remotos para que você tenha acesso aos melhores especialistas, onde quer que esteja. Além de contar com a expertise que precisa, oferecemos acompanhamento de perto para apoiar a gestão e garantir a qualidade das entregas.

Confira nosso modelo de colaboração Nearshore + Offshore, a solução definitiva para expandir o seu time remotamente:

Equipe dedicada

Uma equipe dedicada é uma célula independente, com funções bem definidas ao longo do processo de desenvolvimento.

Escalabilidade

Quando uma equipe dedicada é replicada em mais instâncias, ela gera uma equipe dedicada em escala.

Apoio técnico

Fornecemos supervisão, permitindo que um gerente de desenvolvimento intervenha regularmente, além de apoio técnico, com um arquiteto de solução, especialista ou, ainda uma força-tarefa com skills específicas.

Design Thinking Digital

Ao trazer uma mentalidade alinhada com as crescentes incertezas vigentes, a abordagem entrega um resultado de valor em pouco tempo, levando o foco para o indivíduo e para uma

execução em curto prazo. 

Metodologias Ágeis

Para desenvolver projetos mais estratégicos e flexibilizar processos, utilizamos o mindset ágil para gerenciar equipes remotas. A capacidade de adaptação da abordagem torna a implementação ideal para cenários de incerteza.

Espaço de trabalho e infraestrutura

Isso fica por nossa conta. Você só precisa se preocupar com seus objetivos de negócios.

Economia

O outsourcing evita o longo processo de entrevista e contratação de pessoas, gastos de escritório e reduz o time-to-market de seus projetos.

Mindset digital é o novo normal

No novo normal, não basta apenas digitalizar, é preciso mudar todo o mindset para o digital. Essa transformação irá reger o mundo dos negócios.

Investir em tecnologia é uma janela para escalar o seu negócio, afinal, a Transformação Digital é medida pelo quanto as empresas conseguem construir uma cultura digital e resiliente para continuar inovando em meio à crise. Isso é ser sustentável.

Quer entender melhor sobre nossas soluções tecnológicas e de gestão para gerenciar uma expansão das operações? Que tal um café remoto? Fale com um de nossos especialistas.

Acesso ao Report de Tendências de TI
Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter