Fique por dentro! Assine nossa newsletter

10/16/2020
Por
MJV Team

Conheça 10 mitos e verdades sobre agilidade

Nesse artigo, nós iremos abordar 10 verdades e 10 mentiras, quando falamos do cenário do modelo Ágil

Agilidade é um tema que existe desde a década de 90. Começou de forma embrionária por um grupo de especialistas em TI… Trinta anos depois é um tema que continua muito forte no mercado.

Novas empresas já nascem ágeis e sabemos que não é um tema de moda do mercado e sim, uma necessidade.  Mas como em qualquer outro assunto que está em alta, também existem as famosas “fake news”.. histórias ou frases ditas que se tornam verdades somente porque são repetidas sem contexto algum.

Afinal, o que é verdade e o que é mentira em agilidade.

Escrevemos esse artigo e lhe convidamos a ler para enfim desvendar 10 verdades e 10 mentiras quando falamos de agilidade.

10 mentiras

1 – Agilidade só funciona em times de tecnologia

Agilidade é uma forma de pensar, e não uma forma de pensar em tecnologia. Aplicar o modelo mental ágil em qualquer segmento é o desafio, o agir é consequência.

As pessoas criam essa dependência pois agilidade nasceu na área de TI, porém hoje todas  as empresas, as áreas e departamentos podem e devem se beneficiar desse modelo.

2 – Ágil significa entregar mais rápido

Agilidade não tem relação com Velocidade. Rapidez é para o Flash. Agilidade significa fazer constantemente pequenas entregas de valor. Ou seja, em ciclos curtos, o cliente sempre receberá uma pequena parte do seu produto e poderá usufruir dela. Por isso, as pessoas tem a sensação de que é mais rápido. Mas o tempo de projeto pode ser o mesmo do que uma forma tradicional. Porém de forma ágil, temos certeza que sempre entregaremos valor ao nosso cliente,

3 – Agilidade significa não entregar documentação

Nos tempos atuais, os produtos possuem uma usabilidade tão simples que praticamente não se faz mais necessários “manual do usuario”. Nesse item, é importante entender qual o volume ideal de documentação para se projeto. Uma vez que esteja definido. se torna uma artefato de valor e faz parte do pacote de desenvolvimento.

4 – Fazer as cerimônias scrum não significa que você é ágil

Implementar cerimônias Scrum e não ter foco em entregas de valor e valorizar a capacidade de adaptação de forma colaborativa não te torna mais ágil. É importante sempre entender qual o cenário atual e buscar dentro do modelo ágil quais práticas e ferramentas podem lhe auxiliar para que seu projetos sejam bem sucedido.

5 – Scrum resolve todos os problemas

Scrum é o framework mais famoso do modelo ágil. Mas isso não faz dele, bala de prata. Se fosse custaria uma fortuna e não possuiria como um princípio , a adaptação.

É muito claro para todos que o quanto antes descobrirmos um defeito, mais barato ele é.

E isso é algo que o Scrum nos beneficia pois trabalhamos sempre com ciclos curtos e feedbacks constantes.

6 – Quem usa Scrum não usa Kanban

Os dois métodos protagonistas do modelo ágil estão longe de serem inimigos. Podemos até dizer que complementam muito bem.. O Scrum é um framework consolidado,perfeito para projetos com começo, meio e fim. Já o Kanban tende a nos dar maior visibilidade com seus cartões e proporcionar um maior sentimento de dono. Então, porque não usar uma modelo testado e com carimbo de eficaz junto com um modelo que nos permite visualizar um fluxo de produção? Algumas pessoas utilizam até o termo “scrumban” para esse casamento.

7 – Não existe planejamento em métodos ágeis

É muito comum pensar que não há planejamento quando não se conhece métodos ágeis. Faz parte do cotidiano realizar o planejamento com todo o time, assim temos um planejamento mais eficaz reduzindo o tempo de trabalho.

8 – É uma bagunça, pois não possui um Gerente de Projetos.

Como não temos aquelas reuniões intermináveis de status report, todos acham que com o Scrum não teremos controle e o time viverá um caos. E não é nada disso que ocorre. Nossos encontros possuem time box e objetivo. Ou seja, temos um tempo pré definido em cada reunião e precisamos cumprir o objetivo. Não existe a figura do gerente, pois é um time auto gerenciado, porém temos a figura do líder, que tem por principal missão facilitar a solução de impedimentos para que o time possa focar em estratégia de desenvolvimento.

9 – Não existe disciplina 

Disciplina é um fator imprescindível. Muitos acham que como o Scrum não existem muitos processos de controle entende-se que não haja disciplina, mas não se engane, para manter um canal colaborativo com o cliente, levantar riscos, tirar impedimentos, garantir os ritos do Scrum, sustentar uma evolução contínua precisa de muita disciplina.

10 – Não existe flexibilidade.

Não fazemos contratos, portanto aceitamos mudanças mesmo que já tenhamos iniciado os trabalhos. A flexibilidade é necessária para garantir  vantagens competitivas e não para dar mais importância nos processos estabelecidos.. Aliás, não temos nada “cravado em pedra”, tudo pode (e deve) ser melhorado continuamente.

Ebook – Framework Scrum: trabalho em equipe para acelerar resultados

10 verdades

1 – Foco na solução de impedimentos

O modelo scrum possui como característica principal ciclos curtos com entregas frequentes de valor. Ao final de cada ciclo, fazemos uma inspeção no que foi entregue. Isso nos garante assertividade nas entregas. Temos também como integrante do time um líder facilitador, que possui como uma de suas atribuições remover qualquer coisa que impeça o time de alcançar o objetivo da Sprint. Com isso, concluímos que nosso objetivo é sempre entregar valor ao nosso cliente e para isso precisamos ser focados em solucionar impedimentos.

2 – Incentivo a senso de dono

Sempre cuidamos melhor do que é nosso não é verdade? E como não incentivar as pessoas a se unirem em prol de um único objetivo? Um produto colaborativo é muito mais vantajoso do que um que nasce de uma única forma de pensar.

3 – É um modelo low cost

Você não precisa adquirir uma ferramenta paga de mercado ou fazer grandes investimentos para se tornar ágil. Como já abordamos aqui, é mais do que uma forma de fazer.. é uma forma de pensar.. Trabalhar o mindset do seu time, otimizar seu tempo com reuniões objetivas e inspecionar constantemente o trabalho já lhe trará grandes benefícios em relação ao modelo tradicional.

4 – Design Thinking e Agilidade formam uma aliança poderosa.

O Design thinking nasce de um problema. São feitas diversas fases até se encontrar uma melhor ideia validada com o cliente. O Ágil entra na sequência com a implementação dessa ideia em ciclos curtos com validações constantes. Com a junção desse modelo, o cliente que anteriormente tinha um problema, recebe uma solução implementada e testada conforme a sua necessidade;. A combinação desses dois métodos de trabalho é um case de sucesso.

5 – É um modelo de auto gestão

No modelo ágil não temos mais a figura de um chefe no sentido “comando-controle”, onde ele define o prazo e como fazer. Agora é o time que estima e escolhe a melhor forma de desenvolver cada atividade. As “dailys” apoiam a visibilidade das atividades e o kanban promove a transparência de todo o trabalho.

6 – Qualidade é responsabilidade de todos

Projetos ágeis são projetos feitos com Qualidade. Primeiro porque aqui falamos de time. Não existem tarefas individuais. Todos são responsáveis por tudo. Se o time é auto gerenciado e estimou o prazo, se ele é responsável por sua entrega, o projeto tem que ser um projeto de qualidade.

7 – Kanban pode ser implementado em qualquer cenário

Kanban é um método que nasceu na Toyota na década de 70 para produção. Muitas empresas de logística já o utilizam desde essa época. Um dos princípios do kanban é “comece com o que você tem hoje”. Ou seja, você pode começar com as suas próprias atividades listando tudo que precisa fazer de forma priorizada e ir movendo de colunas conforme o andamento. Fora de áreas de tecnologia e áreas estruturais de uma organização, como marketing, RH ou Vendas, é muito comum utilizar para planejamento de viagens, atividades rotineiras ou mesmo fluxos de restaurantes.

8 – As grandes estrelas de um time ágil são as pessoas

Um time ágil é diretamente relacionado a uma gestão 3.0. Dentro dessa gestão falamos de energizar pessoas , empoderar os times, alinhar restrições, crescer a estrutura e buscar melhorar todas as pessoas.  São as pessoas que executam as atividades, são elas que garantem o sucesso de suas entregas e consequentemente de um projeto. Em agilidade falamos que pessoas são mais importantes que qualquer processo.

9 – É possível escalar em toda a organização

Apesar de ser um modelo que nasceu em TI, todas as áreas podem se beneficiar do modelo. Hoje em dia existem diversos frameworks ágeis que podem lhe apoiar em escalabilidade. Você pode trabalhar por ondas através do Nexus ou mesmo por camadas através do Safe, entre outros.

10 – As pessoas são mais motivadas

Sim, com o aumento da participação nas “fases” o time se torna mais motivado, afinal ter a oportunidade de ajudar a construir um produto na fase de planejamento e não somente em seu desenvolvimento é gratificante e aumenta o sentimento colaborativo.

Conheça o nosso blog e acompanhe mais conteúdos sobre agilidade!

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter