Compartilhar:

Categorias:

6 min read

Web analytics: como utilizar a análise de dados e principais ferramentas

Quer saber como usar os dados para tomar decisões mais assertivas e abandonar de vez os “achismos”? Então o web analytics é exatamente o que precisa!


“O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado”. Esta frase foi dita por Edward Deming e tem total sinergia com o mundo atual, o marketing digital e, principalmente, com web analytics.

Medir a eficácia das estratégias aplicadas no ambiente digital é fundamental para tirar o “achismo” e trazer mais assertividade ao trabalho dos profissionais de marketing. 

Neste material falaremos especificamente do web analytics, que é essencial para quem deseja dar um passo à frente e alavancar resultados. 

Você vai entender o que é web analytics, por que usá-lo, principais métricas, tipos de análises, métodos e ferramentas mais usadas. 

Continue a leitura e confira!

O que é web analytics? 

Sabe a quantidade infinita de dados que seu negócio gera diariamente? O trabalho de web analytics consiste em, justamente, analisá-los. 

Esse processo é feito, primordialmente, com dados gerados pelo site das empresas e serve para entender o comportamento e jornada dos consumidores. 

Mas não é só isso, a partir destas análises e estruturação dos dados é possível ter uma base para tomadas de decisão mais assertivas e otimizar o uso das plataformas. 

Existem diversas ferramentas disponíveis que facilitam o trabalho, a escolha depende muito do objetivo do negócio e métricas acompanhadas. Mas não se preocupe, até o final do artigo te mostraremos as principais. 

Continue acompanhando o conteúdo. 

Por que trabalhar com web analytics? 

Uma outra frase muito popular no mundo dos negócios diz o seguinte: “metade do dinheiro que gasto em marketing é desperdiçado, o problema é que não sei qual metade.” 

Ela foi dita por John Wanamaker no início do século 20 e ainda faz sentido até hoje, tendo em vista que boa parte dos departamentos de marketing não usam o web analytics a seu favor. 

Ao aplicar web analytics é possível ter análises preditivas que vão nortear todas as ações de marketing, alavancando os resultados e diminuindo o desperdício com estratégias pouco eficientes. 

Mas as vantagens não param por aí, ao trabalhar com web analytics você poderá:

  • Monitorar o acesso ao site e comportamento dos clientes;
  • Olhar de perto a quantidade de visitas, conversões, vendas e todos os demais índices;
  • Ter insights e mapear tendências a partir dos dados analisados;
  • Identificar rapidamente problemas em seu site;
  • Analisar de forma completa a jornada dos usuários;
  • Acompanhar o cumprimentos das metas e comunicar o time de marketing quando os números estiverem distantes do esperado;
  • Recalcular a rota e os investimentos sempre que for necessário;
  • Dentre outras possibilidades.

Tipos de análises 

Não basta apenas incluir o web analytics nas rotinas do departamento de Marketing, é preciso entender todas as suas possibilidades para usufruir de tudo que ele pode proporcionar. 

Nesse sentido, vamos te mostrar agora as principais análises e perguntas que devem ser feitas para interpretar corretamente os dados coletados. 

  1. Análise descritiva

Essa é a fase inicial do estudo e análise dos dados. Consiste em reunir e fazer um resumo de todos os dados obtidos.

Assim é possível ter um panorama geral do cenário antes de partir para as análises preditivas.

A análise descritiva tem como foco perguntas que contenham as palavras “o que?” e “qual?”.

Após interpretar o cenário pode-se pensar e propor ações assertivas que ajudem a chegar aos resultados esperados. 

Vamos dar um exemplo prático:

Supondo que ao aplicar a análise descritiva você conclua que de um período para o outro as conversões do site reduziram 20%. A primeira coisa a se perguntar é: “o que aconteceu para que o número tenha diminuído?”

Logo após responder a esse questionamento inicial você pode/deve se perguntar “quais páginas geraram mais e menos conversões?”; “quais ações podem ajudar a alavancar as conversões?”.

Após identificar os problemas você já encontra algumas possíveis soluções para resolvê-los. 

  1. Análise preditiva e prescritiva

É chegado o momento de esmiuçar os dados obtidos e compilados a fim de encontrar padrões que indiquem o porquê dos resultados atuais. 

Dessa forma, é possível antecipar as tendências futuras e prever as possíveis consequências de cada ação tomada (ou não).

Voltando ao exemplo anterior, em que as conversões do site foram reduzidas em 20%, você pode ter identificado que o principal problema foi a falta de CTA em algumas páginas. 

Nesse caso, deve ir mais a fundo para perceber se essa redução já ocorreu antes e também as possíveis causas. Isso tudo serve para juntar os fatos e identificar os padrões. 

Aqui as principais perguntas são:

  • Por que isso está acontecendo?
  • E se… (no exemplo: e se eu incluir novamente o CTA nas páginas)
  • O que acontece após a ação?
  • O que de melhor pode ocorrer?

Seguindo este escopo de perguntas pode-se validar as hipóteses e identificar o que precisa ser feito para voltar a ter os resultados anteriores.

Métodos de coleta de dados 

Se tratando de web analytics existem, basicamente, 3 formas para coletar os dados. São elas: análise de log, de tag e híbrida. 

Análise de log 

Neste método a coleta de dados é feita de maneira automática, pois utiliza os registros gerados por servidores web que são feitos sempre que há acesso em páginas e conteúdos. Esse tipo de registro é conhecido como log de servidor. 

Análise de tag

Neste caso é preciso inserir tags nas páginas que se deseja acompanhar e os dados são enviados diretamente a um servidor de análises. Normalmente esse tipo de análise se utiliza dos cookies.

Análise hibrída

A conta aqui é simples: a análise híbrida mescla recursos da análise de log e da análise de tag. Neste caso as análises da empresa podem ser otimizadas e mais completas, porém o volume de dados aumenta consideravelmente. 

Principais métricas 

Há uma infinidade de tipos de métricas que podem ser acompanhadas no trabalho de web analytics, a escolha depende do tipo de negócio, produto/serviço e até mesmo das estratégias da empresa.

Listamos algumas das principais métricas de web analytics a seguir:

  1. Visitantes: representa as pessoas que acessaram seu site, essa métrica pode ser dividida entre novos e recorrentes.
  2. Sessões: são todas as interações feitas por um usuário em seu site dentro de um período de tempo. Em uma única sessão uma pessoa pode entrar em diversas páginas, clicar em banners ou links, converter em formulários e diversas outras ações. 
  3. Taxa de rejeição: é composta pela porcentagem de pessoas que acessam uma página, mas saíram logo. Ou seja, não houve interações ou ações.
  4. Duração média da sessão: é o tempo médio em que um usuário passou interagindo com seu site.
  5. Lead: são pessoas interessadas em seus produtos/serviços e que informaram seus dados de contato (normalmente em formulários) em troca de algum benefício. 
  6. Conversões: é o valor total das metas atingidas em seu site. As metas podem representar a quantidade de leads convertidos em determinada página, por exemplo.
  7. Custo de aquisição por cliente (CAC): esse índice calcula o valor gasto pela empresa para conquistar um cliente. Com ele é possível saber se o custo e o valor arrecadado nas vendas estão equilibrados. 
  8. Lifetime value (LTV): é o valor gerado pelo cliente durante todo o seu relacionamento com uma empresa. Ela é capaz de mostrar se a organização está gastando mais para conquistar os clientes do que eles trazem de receita. 

Ferramentas de web analytics mais utilizadas 

Da mesma maneira que existem muitas métricas, é possível usar diversas ferramentas de web analytics. 

Tudo depende das métricas escolhidas e, mais uma vez, das estratégias de sua organização.

Selecionamos as mais conhecidas no mercado para facilitar sua vida. 

Excel e Google Sheets 

O excel ou mesmo o Google Sheets são fundamentais para quem deseja analisar dados. Com esse recurso é possível estruturar dados, fazer cálculos, análises, extrair gráficos e tantos outros recursos. 

Google analytics 

O Google Analytics facilita demais o trabalho de web analytics, além de ser uma ferramenta gratuita. Nele é possível saber a quantidade de visitas em seu site, conversões, pesquisas internas, comportamento e perfil de seu público e tantas outras análises. 

Tableau

Embora seja uma ferramenta paga, acaba sendo muito escolhida para o trabalho de web analytics pelo fato de ser bem completa, integrar diversos programas e ter um design atrativo e moderno.

Google Data Studio

Outro recurso muito usado para facilitar o web analytics é o Google Data Studio. Ferramenta gratuita que permite a criação de dashboards completos através de dados imputados, além de se integrar ao Google Analytics e Google Sheets.

Navegg

Ferramenta focada no perfil do público-alvo. Com ela é possível conhecer a fundo o perfil demográfico, intenção de compra, assuntos de interesse, comportamento e tantos outros detalhes. 

Adobe Analytics

Embora seja bem semelhante ao Google Analytics, o Adobe Analytics é uma interface paga que facilita bastante a vida dos varejistas e lojistas. 

Como você percebeu no decorrer deste conteúdo, o trabalho de web analytics é fundamental para as empresas que desejam crescer e alavancar suas estratégias de Marketing. 

E o web analytics vai muito além de analisar métricas e usar ferramentas, é preciso todo um trabalho de inteligência para traçar novas possibilidades e até mesmo inovar mercados. 

A análise profunda dos dados por meio do web analytics se tornou fundamental para as empresas que querem se destacar!

Se você deseja melhorar a análise de dados da sua empresa e tomar decisões mais assertivas, clique no banner abaixo e acesse nosso Guia completo para criação de dashboards.

Voltar