Fique por dentro! Assine nossa newsletter

06/30/2020
Por
MJV Team

Open Banking e o combo Big Data + Analytics + IA

É hora de abrir a caixa preta dos dados

Vamos começar combinando o seguinte: Hoje não há como ser competitivo sem Data Science e Analytics. 

Soluções 100% digitais não são nenhuma novidade no mercado. As quatro gigantes da Tecnologia, GAFA – Google, Amazon, Facebook e Apple – foram as primeiras a enxergar, lá no passado, esse futuro. O que elas fizeram? 

Acostumaram seus usuários a conseguirem qualquer coisa com apenas um clique na tela de um smartphone. Foi assim que elas chegaram ao coração dos usuários, sim, as quatro arrastam multidões. O que há por trás disso?

Dados! O maior ativo que uma marca pode ter. É a partir deles que decisões são tomadas gerando resultados significativamente melhores. 

A Revolução das Fintechs 

Tudo que falamos aí em cima sobre as Big Techs cabe para o mercado financeiro. Afinal, as Fintechs também chegaram propondo grandes transformações. 

O segmento também sofreu forte aceleração. Inteligência artificial, moedas virtuais, inteligência do consumidor e inovação aberta vem remodelando o setor. 

Algumas empresas já tinham dado os primeiros passo nessa jornada, antes mesmo da COVID-19 aparecer, mas muitas outras estão correndo atrás do prejuízo.

Desenvolvemos esse post para que você descubra como potencializar os resultados da sua estratégia de open banking com ajuda de uma estrutura de dados. 

Big Data + Analytics + IA: trate bem os seus dados

Antes de mergulhar no combo Big Data, Analytics e Inteligência Artificial para alavancar o Open Banking, vamos fazer um lembrete: A transformação das empresas está diretamente relacionada à forma com que elas usam seus dados.

Agora mesmo, enquanto você lê esse conteúdo, algum executivo defende  investimentos na sua estratégia de dados em alguma sala de reunião. 

A era digital promoveu o crescimento exponencial dos dados. De todos os dados que geramos, pasmem, analisamos menos de 5%. Isso quer dizer que mais de 95% não geram insights nenhum. Imagine isso em uma realidade 100% digital, como a que aparece no pós-pandemia! 

Esses números apontam para um desafio frequente nas empresas – como saber quais dados analisar e quais descartar.  

Vale anotar para não sucumbir à síndrome FoMO (Fear of Missing Out) e querer analisar tudo: 

Empresas analíticas não são as que têm mais dados do que sua concorrência. Elas são as que fazem as análises mais avançadas.

Faça somente as análises que são importantes para seu banco

O passo mais importante nessa jornada é o compromisso em estruturar uma base de dados que responde corretamente suas perguntas. 

Anote aí nossa dica: 

mergulhe no seu negócio, ouça todos os seus stakeholders, mapeie suas fraquezas e as oportunidades, levante os cenários, liste os weak signals. Depois, elenque quais KPIs são importantes para sustentar suas ações e integre todos em um único dashboard acessível à toda organização.

Por que tratar bem os seus dados? 

A chave para usufruir melhora da inovação aberta passa exatamente por esse ciclo:

o Open Banking vai potencializar a quantidade de dados para sua equipe trabalhar. E ao mesmo tempo vai precisar muito das análises dos mesmos para gerar os melhores resultados. 

Vamos só conceituar bem rápido o Open Banking:

Ele propõe elaboração de produtos e serviços online, 100% digitais que geram vantagens para o usuário final. Sim, a ideia não é resolver o problema do banco e de seus desenvolvedores, mas o do seu cliente.

A partir da abertura das APIs ao público é possível que terceiros – Fintechs, startups ou empresas de tecnologia – colaborem com os bancos para desenvolver soluções e aplicações para essas instituições financeiras de um jeito mais rápido, barato e muitas vezes melhor.

Agora, fica mais fácil entender o lugar de destaque do Big Data, Analytics e IA na realidade do Open Banking, cada vez mais real no mercado brasileiro. 

Combo: Big Data, Analytics e Inteligência Artificial 

O mantra é esse: Abrir seu banco pede um olhar bem mais acurado para sua estratégia de dados. 

Então, vamos falar do combo que é crucial para que você veja o valor que há no seus dados. 

Big Data

Sobre o Big Data, vamos alinhar uma questão antes:

Big Data não é uma tecnologia muito avançada, muito menos precisa de uma quantidade de dados colossal para gerar resultados. Acredite, essa é uma solução para uma diversidade de perfis e segmentos. 

A tecnologia é um conjunto de ações estruturadas para lidar com os dados internos e externos – entender, captar, ordenar, analisar e transformar em informações que possibilitem tomadas de decisões mais alinhadas com suas metas e objetivos de negócios.  

Analytics (BI)

No setor financeiro, cada segundo é precioso. Mapear informações com razoável antecedência pode significar uma margem de lucro de milhares de dólares. 

E mesmo assim alguém pode ter saído na sua frente e você pode estar atrasado. Essa é uma atividade ongoing. Um ponto é certo: nenhuma tomada de decisão pode ser feita sem olhar os dados primeiros. 

Conselho: invista na Integração dos dados certos e dashboards – um sistema completo de visualização de dados – esse é um passo importante para um mindset data-first. 

Inteligência Artificial 

No mercado financeiro, a inteligência artificial is the new black. A IA já aparece em diversos processos de negócios no setor financeiro:

abertura de contas, controle de fraudes, avaliação de crédito e risco e estratégias. Tudo para oferecer serviços personalizados edirecionados aos clientes.

Vale destacar que a inteligência artificial, além de proporcionar processos bem mais ágeis, é o caminho para abrir de vez a caixa preta dos dados. 

Conclusão: Torne-se insight driven

A evolução da estratégia de dados é cada vez mais crucial nas tomadas de decisão do mercado financeiro, e de todos os outros também. 

Hoje, a saúde do seu negócio está diretamente relacionada ao seu departamento de TI e seus cientistas de dados. Sem se esquecer do time de inovação. Temos aí uma estrutura de integração de times que farão a diferença nos negócios pós-Covid-19 – TI, Analytics e Inovação.

Lembre-se: trazer o usuário para o centro da sua estratégia de negócio pode incrementar bastante os lucros. É justamente nesse lugar que o OPen Banking vai brilhar. Ele gera valor impactando o consumidor final e não solucionando problemas internos do banco, em geral dos desenvolvedores. 

Que tal bater um papo sobre todos as vantagens de investir no Open Banking? Manda um email para a gente.

Acesse o e-book Open Banking: a maior transformação do mercado financeiro
Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter