Fique por dentro! Assine nossa newsletter

03/30/2021
Por
MJV Team

TI Verde: o que é e porque o tema volta para os holofotes?

O termo TI verde, do inglês Green IT, é um movimento global que visa minimizar a pegada tecnológica no meio ambiente.

O crescente fenômeno de adoção dos critérios ESG está redefinindo prioridades nas empresas. O assunto está monopolizando a pauta corporativa e incentiva uma maior participação das organizações na promoção de ações que diminuam a pegada ambiental – contando inclusive com uma participação ativa dos setores de tecnologia, por meio da chamada TI verde.

Esses novos valores, orientados por boas práticas de sustentabilidade, sociais e de governança, deixam claro que desenvolvimento sustentável é um empecilho para a rentabilidade das empresas. Pelo contrário: hoje, especialistas afirmam que ter um pilar sustentável consolidado é diferencial para atrair investidores. 

Você se lembra da máxima de que, no século XXI, toda empresa seria de tecnologia? Bem, sendo um dos maiores propulsores de inovação, os setores de Tecnologia da Informação — a famosa TI — não podiam deixar de dar sua contribuição.

Siga com a gente até o final da publicação para entender o que é a TI verde, porque você deveria investir nisso e como dar os primeiros passos em direção à redução do impacto tecnológico no meio ambiente.

O que é a TI verde?

A expressão TI verde vem do inglês, Green IT, e refere-se a um movimento global na área de Tecnologia da Informação, em prol da redução dos efeitos do consumo de tecnologia nas cadeias produtivas e ecossistemas.

O conceito envolve um conjunto de práticas mais ecológicas, entre elas o armazenamento em nuvem, a melhora no consumo de energia, a modernização de equipamentos para aumentar sua vida útil e o estabelecimento de uma política eficiente de descarte.

Em um contexto mais amplo, portanto, a TI verde faz parte de um movimento de conscientização sobre a gravidade da situação climática e a necessidade de reestruturação das cadeias produtivas, desde a extração de matéria-prima até o descarte de materiais – contribuindo para a criação de uma economia circular e regenerativa.

Como transformar minha TI em uma TI verde?

Mas não pense que uma boa implementação garante automaticamente seu carimbo verde: para isso, é preciso obter uma certificação internacional, em um processo criterioso e que demanda aferições frequentes.

Para, de fato, alcançar o status de TI verde, deve-se estar em conformidade com a ISO 14001, que determina os requisitos de um sistema de gestão ambiental. A norma é responsável por medir o impacto de uma série de negócios no meio ambiente.

Por que você deve prestar atenção nisso

Ao longo do tempo, os avanços tecnológicos sempre exigiram muita resiliência dos ecossistemas terrestres. Isso vem desde a era das grandes máquinas nas fábricas industriais até os computadores, periféricos e componentes eletrônicos da era digital.

O impacto, é claro, é diferente. Mas faz parte do esforço atual de combate às mudanças climáticas implementar medidas ainda mais arrojadas para recuperar o tempo perdido.

Um estudo da Gartner que data de 2007 estima que a indústria de TI era responsável por cerca de  2% das emissões de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Como o principal protagonista destes números está o alto consumo de energia decorrente do processo de produção de equipamentos.

É claro que o progresso tecnológico nos ajuda a descobrir soluções que também preservam o meio ambiente. Mas um dado tão evidente quanto esse é também uma oportunidade clara de redução da pegada tecnológica.

Para além disso, diante de todo o movimento do mundo empresarial em direção aos critérios ESG, adotar boas práticas de sustentabilidade nos departamentos de TI passou a ser um compromisso estratégico de toda a organização.

Quais são os benefícios da TI Verde?

Além da questão da ética ambiental, existe o retorno econômico de ter uma gestão sustentável do seu setor de TI, o que torna a estratégia interessante para organizações de todos os tipos e tamanhos.

É natural que empresas com orçamento mais modesto tenham dificuldade em implementar iniciativas verdes, afinal, é necessário um investimento inicial. Mas ao passo que as ações vão sendo realizadas, os ganhos de eficiência, produtividade e redução de custos são evidentes. Essa economia gera fôlego no caixa para novas melhorias.

Dito isso, para as empresas menores, consolidar essas práticas sustentáveis, mesmo em pequena e microescala, prepara o terreno para modificações maiores de acordo com o desenvolvimento dessas organizações.

Além disso, ter uma TI verde é um posicionamento estratégico forte, que sinaliza ao mercado capacidade da empresa em compreender os novos valores da sociedade. O “selo” representa ainda uma valorização de produtos ou serviços, melhorando a reputação da organização e servindo como um chamariz aos olhos de investidores;

Em resumo, dentre as vantagens de uma TI verde estão:

  • Redução dos gastos do energia com um consumo mais inteligente
  • Liberação de espaço físico com servidores na nuvem
  • Redução de custos com servidores locais e com outros equipamentos
  • Modernização de equipamentos e extensão do prazo de manutenção
  • Ganhos de desempenho e produtividade
  • Valorização da marca, imagem e reputação

4 passos para começar a transformar sua TI

Neste ponto, você já compreendeu o conceito e também as oportunidades envolvidas na adoção de uma TI verde. Agora, é hora de entender quais práticas você deve adotar no seu departamento para caminhar em uma direção mais sustentável.

Para te ajudar, selecionamos 4 pontos de atenção para implementar boas práticas no seu departamento de TI. Confira!

1. Reduza o consumo de energia

Sua empresa usa um servidor físico próprio? Sem problemas. Mas durante o planejamento da infraestrutura de TI, garanta um local adequado, assim poderá economizar espaço físico e energia – principalmente com o ar condicionado. É isso mesmo!

Não é novidade para ninguém que um parque tecnológico saudável demanda o controle da temperatura do ambiente e, por isso, em várias empresas a gestão dos sistemas de ar condicionado é uma responsabilidade dos setores de Tecnologia da Informação.

Só que o ar condicionado é um vilão invisível do gasto de energia. E ter servidores/data centers obsoletos muitas vezes sobrecarrega o sistema de refrigeração para manter a produtividade.

Sempre que possível, substitua equipamentos antigos por versões mais modernas, que consumam menos energia. A medida aumenta o tempo de vida útil e reduz custos de manutenção com as máquinas.

Ah, tem um motivo para que essa seja a primeira medida: a redução no consumo de energia tem consequências imediatas e é facilmente observável.

2. Descarte certo


Tente reaproveitar materiais que ainda possuem condições de uso. Em caso de perda total, garanta o descarte adequado de equipamentos, periféricos e outros componentes eletrônicos defasados nos postos de coleta especializados.

3. Digitalize e desmaterialize


O título deste tópico poderia tranquilamente ser “migre para a nuvem”, mas não é apenas isso. Porque estamos falando desde a transição de mídias físicas para as digitais, passando pelo armazenamento de dados na nuvem e promovendo uma reflexão até mesmo mudanças no modelo de negócios, de hardware para software (por que não?).

4. Privilegie parceiros com o “selo verde”

Você viu aqui que uma TI verde pode colaborar para melhorar a reputação da sua organização, certo? Por que não caminhar na direção da criação de um sistema produtivo sustentável?

Na hora de fechar negócio, tenha um olhar cuidadoso para sua cadeia produtiva. Prefira fornecedores e parceiros que estão alinhados com o posicionamento da sua empresa e valorizem as boas práticas ambientais.


TI estratégica passa por uma TI mais verde

A enxurrada de dados que invadiu as organizações na última década, a ascensão das novas tecnologias e a evolução de técnicas para lidar com esse volume de informação, exigiu dos departamentos de Tecnologia da Informação maior protagonismo.

Os departamentos de TI tiveram que passar por uma virada de chave. Times antes reativos e focados apenas em execução, ganharam importância estratégica, fomentando a inovação e participando ativamente das decisões importantes na organização.

Com as atenções do mundo inteiro finalmente voltadas para o desenvolvimento sustentável, a TI ganha uma nova incumbência: desenvolver meios mais eco-friendly para realizar as atividades do dia a dia. Sim, ter uma TI estratégica também passa por uma TI mais verde.

Para adquirir papel cada vez mais relevante nas empresas, é preciso dar o exemplo. Por isso, os gestores de TI devem estar dispostos a munir seus departamentos com os insumos necessários para impulsionar a adoção de boas práticas de sustentabilidade.

A TI verde é um bom negócio para os departamentos de Tecnologia da Informação, para as empresas, para os investidores e, é claro, para o planeta.

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter