Fique por dentro! Assine nossa newsletter

04/14/2021
Por
MJV Team

Entenda a Arquitetura de TI como estratégia empresarial

A arquitetura de TI tem papel estratégico no desenvolvimento das funções organizacionais. É por meio dela que a empresa vai definir como os ativos de tecnologia serão empregados.

“No futuro, toda empresa será de tecnologia”. Bem, esse futuro chegou. E dentro de uma equação de negócios em que os departamentos de tecnologia são cada vez mais estratégicos, a arquitetura de TI atua como uma variável fundamental.

Nos dias de hoje, é impensável uma empresa cogitar oferecer soluções inovadoras e de valor ao mercado sem uma infraestrutura de TI bem consolidada – seja ela interna ou externa. 

Neste post, você vai entender o que é arquitetura de TI, suas vantagens e como construir uma infraestrutura de TI eficiente! Acompanhe.

O que é a arquitetura de TI?

A arquitetura de TI é uma atribuição da área de Tecnologia da Informação, responsável por analisar as necessidades de negócios e o espaço das instalações de uma empresa para planejar e estruturar estrategicamente a alocação e distribuição dos ativos tecnológicos.

Em outras palavras, a principal função da arquitetura de TI é pensar em quais recursos de TI a empresa precisa para assegurar um bom desempenho de negócios – e como eles serão aplicados no dia a dia da organização. Cabe a ela também monitorar se as soluções tecnológicas existentes estão atendendo às necessidades dos times.

Uma boa arquitetura de TI deve sempre derivar da estratégia global da empresa, considerando sempre as prioridades e a continuidade dos negócios para garantir o alinhamento entre as necessidades da empresa e as ações de TI.

Existem alguns tipos de arquitetura de TI. Confira os mais conhecidos a seguir!

Arquitetura centralizada

Modelo de arquitetura em que toda a infraestrutura tecnológica é suportada por um data center.

Arquitetura descentralizada 

Na arquitetura descentralizada, distribui-se o processamento em vários computadores, servidores e dispositivos.

Arquitetura orientada a serviços (SOA) 

Modelo de arquitetura de software que funciona na lógica de Software-as-a-Service (SaaS), conhecido pelas estruturas modulares e focada na reutilização de componentes para acelerar a criação de novas soluções.

Peer-to-peer

Forma de arquitetura descentralizada, em que diversos computadores são capazes de compartilhar recursos e validar operações sem a necessidade de um servidor central. O Blockchain é um exemplo de arquitetura peer-to-peer.

BYOD

A sigla significa “Bring Your Own Device” e representa a tendência de uso de recursos tecnológicos e equipamentos pessoais por parte dos colaboradores para conectar-se aos sistemas da empresa.

Cloud

Serviço que serviu como mola propulsora da digitalização em meados da década passada, ao promover a substituição, promovendo a substituição dos espaços de armazenamento físicos nas organizações pelo armazenamento na nuvem.

Há ainda alguns tipos mais recentes de arquitetura que derivam da computação na nuvem, como a nuvem distribuída, além de estruturas intermediárias como fog computing. Clique e saiba mais! 

Quais são as funções de um arquiteto de TI?

A terminologia “arquiteto de TI” engloba uma série de atividades relacionadas à Tecnologia da Informação, que não necessariamente são realizadas pelo mesmo profissional.

Em geral, o arquiteto de TI é o profissional que irá definir como os ativos de TI de uma organização são alocados ou distribuídos. Para isso, cabe ao arquiteto de TI analisar o ambiente e as necessidades das empresas para entregar soluções de desempenho otimizadas.

Além disso, ele deve monitorar se as aplicações de TI estão atendendo aos requisitos de produtividade organizacionais, diagnosticar as possíveis limitações de atuação e identificar oportunidades de melhoria. 

Algumas atividades que fazem parte do trabalho de um arquiteto de TI são:

  • Planejar arquiteturas de infraestrutura adequadas para o negócio;
  • Lidar com sistemas já implantados e integrá-lo a novas tecnologias;
  • Implementar um novo sistema de armazenamento;
  • Garantir um manuseio responsável dos dados na organização;
  • Implementar e gerir soluções eficientes e inovadoras;
  • Prover redes, roteadores, firewalls e servidores físicos e virtuais.


E qual é o perfil que este profissional deve ter?

A área de arquitetura de TI exige que seus profissionais estejam em constante atualização. Para além de fornecer suporte à atividade básica organizacional, arquitetos de um setor de TI realmente estratégico devem estar atentos ainda a atributos como produtividade e eficiência energética.

Além de estarem sempre ligados nas tendências, esses profissionais também devem ter perfil proativo e criativo, buscando possibilidades de melhoria e identificando os melhores ativos no mercado para alavancar a produtividade com o orçamento de TI estipulado.

Como você pode perceber, essa atividade é estratégica para viabilizar o trabalho na organização. Portanto, se você estiver precisando de um arquiteto para reforçar o seu time e ajudar a modernizar a sua TI, fique de olho nessas características

Qual a diferença entre arquitetura e infraestrutura de TI?

Como você viu, a arquitetura de TI é um processo que analisa o ecossistema organizacional e as necessidades do negócio para distribuir de forma adequada os recursos tecnológicos.

Já a gestão da infraestrutura de TI é um conjunto de práticas de gestão dos profissionais e processos envolvidos, que vão garantir o bom funcionamento da atividade de TI.

Entre essas atividades, incluem-se:

  • a divisão de tarefas nas equipes;
  • o monitoramento de recursos e sistemas;
  • questões de proteção de dados e segurança cibernética;
  • gestão dos contratos de TI.

Sabendo destas informações, é possível criar um fluxo linear de definições estratégicas:

Estratégia de TI >>> Arquitetura de TI >>> Infraestrutura de TI >>> Processos

Com a pandemia, digitalizar tornou-se a única opção. Portanto, a necessidade de se investir em infraestrutura para capacitar negócios a operar de forma remota e, por vezes, 100% digital, é cada vez maior. Uma estrutura que é custosa e complexa.

Portanto, cabe à arquitetura de TI pensar na nova forma de trabalho digital para distribuir melhor os recursos tecnológicos e à gestão da infraestrutura, zelar para que os recursos sejam empregados com a máxima eficiência. 

Quais são os benefícios da arquitetura de TI?

Uma estratégia de arquitetura de TI bem formulada deve ser confiável e buscar sempre impulsionar o desempenho da empresa por meio de soluções otimizadas e escaláveis.

Com essas características, fica claro que esse trabalho tem consequências muito positivas para as organizações. Confira a seguir 4 benefícios da arquitetura de TI!

Melhoria na distribuição de recursos

Uma das metas da arquitetura de TI é atingir uma distribuição e disposição mais estratégica dos insumos de tecnologia dentro da organização. Por meio de um mapeamento detalhado dos recursos disponíveis, é possível saber onde há mais ou menos necessidade de investimentos e realocar recursos de forma mais inteligente e eficiente.

Plano de continuidade de sistemas

Presente em 9 em cada 10 artigos sobre arquitetura de TI está a garantia da disponibilidade dos sistemas. E quando tocamos nesse assunto, estamos falando essencialmente sobre a continuidade dos negócios. Em outras palavras, um planejamento para assegurar que o aparato tecnológico da empresa funcione 24/7.

Portanto, uma estratégia de arquitetura de TI tem como função garantir a disponibilidade dos sistemas, aplicações e softwares utilizados, bem como auxiliar na criação de um plano de continuidade desses recursos junto ao pessoal de governança de TI, levando em conta atributos como segurança da informação e outras vulnerabilidades.

Melhora de desempenho

Por meio de uma boa arquitetura, o setor de TI é capaz de tornar os processos de monitoramento e otimização dos insumos tecnológicos mais padronizados, automatizados e eficientes, desempenhando um papel importante na produtividade da organização.

Alinhamento com os objetivos de negócios

O processo de estruturação dos recursos de TI de uma organização é bastante estratégico. Por isso mesmo, o principal ganho dessa arquitetura talvez seja a convergência da área de Tecnologia da Informação com os objetivos de negócios.

Boa arquitetura não existe sem boa governança de TI

Se você chegou até o final deste artigo, é a prova viva de que a tecnologia está assumindo, cada vez mais, a função de impulsionar os resultados de negócios. Mais especificamente, os departamentos de TI estão assumindo o papel de orientar estrategicamente as ações para isso.

Neste contexto, a tendência é vermos um aumento relevante no grau de maturidade em TI das empresas, ao passo que as empresas vão gradualmente buscando uma integração eficiente entre arquitetura e infraestrutura de TI.

Quer garantir soluções adequadas para construir? Invista em um bom planejamento da sua arquitetura de TI e garanta a infraestrutura tecnológica necessária e alinhada aos objetivos e metas da empresa.

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter