Fique por dentro! Assine nossa newsletter

05/12/2014
Por
MJV Team

Como as novas tecnologias podem ajudar os idosos?

As novas tecnologias têm se mostrado uma poderosa aliada à qualidade de vida dos idosos, em vários aspectos.

 De dispositivos instalados nas tampas de remédios para lembrá-los do horário e quantidade a serem tomados, a serviços de home care à distância por meio de vídeoconferência, ou apenas para se manterem atualizados frente aos acontecimentos no mundo são alguns dos benefícios verificados com o uso de novas tecnologias pelos idosos.

Com sua inevitável dependência, os avanços tecnológicos trouxeram impactos importantes aquele grupo. O acesso à informática e à Internet, por exemplo, facilitou o processo de comunicação. Assim, o idoso reduziu seu isolamento e aprimorou suas relações interpessoais com parentes e amigos em um ambiente de troca de ideias e informações. Estas foram algumas conclusões a que chegou a mestre em Gerontologia pela UNICAMP Elisandra Villela. Segundo ela, “a tecnologia possibilita ao idoso tornar-se um aprendiz virtual. Por meio de uma educação continuada, ele estimula sua mente e adquire o consequente bem-estar de se aprender algo novo”.

De acordo com a pesquisa Older workers need not be left behind by technology (Trabalhadores mais velhos não precisam ser deixados para trás pela tecnologia), Azar, B concluiu que os idosos não estão menos interessados que os jovens em usar novas tecnologias. Os resultados demonstraram que, em um grupo de pessoas com idades entre 58 e 91 anos, a maior barreira para o uso de computadores era a falta de treinamento. Uma vez em que os idosos adquirem conhecimento e proficiência no uso de ferramentas tecnológicas, eles podem usá-las tão bem quanto os jovens, só que levam mais tempo.

No entanto, o declínio das habilidades cognitivas (dificuldades sensoriais, coordenação motora, capacidade de planejar e realizar uma ação), as dificuldades em relação à manipulação de eletrônicos e computadores (ligar e desligar, o tamanho da tela, das letras, manusear o mouse, coordenar as ações visuais e motoras, simultaneamente), entre outros aspectos, apresentam-se como desafios às empresas que desenvolvem novas tecnologias, e, claro, à sociedade como um todo.

O documento do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA, na sigla em inglês) faz previsões sobre o perfil demográfico global e reflete o aumento da expectativa de vida em diversos países do mundo. Segundo a BBC Brasil, a entidade prevê que, em 2050, o número de pessoas com mais de 60 anos vá superar também a população de jovens com menos de 15 anos. O relatório alertou ainda para o fato de que “se não forem tomados os devidos cuidados, as consequências destes temas provavelmente surpreenderão países despreparados”.

Em relação ao uso da Internet no Brasil, dados do IBOPE Media apontam crescimento no número de usuários idosos da rede nos últimos anos. Em janeiro de 2013, eles representaram 1,95% do total de internautas brasileiros, o que revela uma alta de 8,3% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Quando comparado com 2011, esse aumento é ainda maior, 39,3%.

Já quanto ao conteúdo mais acessado na Internet pelos idosos brasileiros, também segundo o IBOPE Media, são as ferramentas de busca, redes sociais, sites de vídeos, portais, blogs, e-mail e notícias, nessa ordem.

Sua empresa está preparada para lidar com esse novo cenário tecnológico e social?

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter