Fique por dentro! Assine nossa newsletter

04/22/2020
Por
MJV Team

11 dicas para alcançar a Flexibilidade Estratégica em tempos de incerteza

Vivemos tempos de incertezas em todas as esferas. É claro que o setor corporativo não iria ficar de fora desse cenário.

Muitas empresas já tinham começado a trilhar um caminho mais estratégico. Na vanguarda da inovação, já tinham mergulhado de cabeça na transformação digital e em previsão de cenários. Porém, outras ainda estão no início dessa trilha – ou ainda estão tentando se encontrar nessa nova realidade que se apresenta.

Onde quer que você esteja, é o momento de parar e repensar, se reposicionar, ajustar as estratégias, calibrar os objetivos, turbinar o propósito e seguir em frente. E para que tudo isso seja possível é preciso pensar em flexibilidade, em deixar o velho para trás para poder seguir em frente com o novo e se adaptar.

É sobre isso que vamos falar nesse material. Se você quer entender melhor como sua empresa pode trazer a adaptabilidade para sua agenda e exponencializar sua capacidade de mudança em tempo hábil nesse contexto de crise, confira nossos insights!

Flexibilidade estratégica: mergulhe agora nessa transformação

1. Todos os colaboradores precisam conhecer a estratégia 

E vamos além de conhecer. Todos os colaboradores precisam compreender a fundo a estratégia da empresa e acreditar nela. Tudo precisa ter um propósito pulsante: visão, valores, processos, projetos. 

Mais do que nunca: é preciso pensar, reavaliar e redirecionar a estratégia. 

Pulo do gato: os gestores precisam estar envolvidos na formulação, no desdobramento, na comunicação e na operacionalização da mesma.

2. Não caia na ilusão da previsibilidade

É impossível prever exatamente quando e como as coisas vão acontecer. O que é possível são os exercícios de cenários futuros, antecipar cenários e desenvolver planejamentos para isso. Porém, é impossível saber o panorama exato que vai, de fato, se apresentar.

A previsibilidade é uma ilusão. A vida não é uma equação linear, que reage de forma previsível. Nada é proporcionalmente perfeito. 

Pulo do gato: por isso a flexibilidade estratégica é tão importante.

3. O ambiente externo influencia. E muito!

Uma estratégia voltada somente para dentro da empresa facilmente será derrubada por fatores externos. Faça análises constantes das forças impulsionadoras e restritivas do seu ambiente externo. A pandemia do Covid-19 é um exemplo fortíssimo de mudança externa que desbancou muitas estratégias previamente traçadas e fez todas as corporações reavaliarem seus rumos.

Pulo do gato: para cada estratégia, defina metas de curto, médio e longo prazo e seus respectivos planos de ação. 

4. Foque nas suas fortalezas

Tente não hiperanalisar a situação. Esteja focado em compreender o que é necessário para criar musculatura e seguir em frente. 

Pulo do gato: crie fortalezas. Todas as organizações têm fraquezas. Então, fique tranquilo, o jogo está equilibrado. 

É hora de olhar para frente!

5. Erre rápido para acertar rápido

É fundamental fazer um movimento de replanejamento constante, conforme prega o Ágil. Longos planejamentos não existem justamente porque imprevistos acontecem e as coisas precisam ser repensadas o tempo todo. 

Pulo do gato: aqui fica um spoiler do futuro… Replanejamento estratégico será algo muito popular em nosso novo normal porque a maioria das empresas perceberam o quanto é importante se replanejar e traçar novos objetivos. 

6. Desenvolva o mindset de experimentação

Desenvolva o mindset de experimentação na sua empresa, este pode ser seu primeiro passo para chegar a esse novo lugar. O Design Thinking é um pano de fundo perfeito não só para um realinhamento estratégico, mas também para trabalhar a flexibilidade estratégica dentro da sua companhia. 

Pulo do gato: o que realmente importa agora é um reposicionamento estratégico. Todas as empresas estão voltando seus olhos para isso. E correndo atrás do prejuízo. E, para isso, você precisa ser flexível.  

7. Super Pulo do Gato = 5 + 6 

Esse princípio está diretamente ligado com a realidade da MJV. Praticamos isso há anos através do Design Thinking e das Metodologias Ágeis, que são pilares da nossa fundação. 

Unindo os itens 5 e 6 – combinando Design Thinking e Práticas Ágeis – nosso Sprint Remoto de Reposicionamento Estratégico propõe um formato próprio para diagnosticar, conceituar e validar de forma ágil e rápida um redirecionamento estratégico na sua empresa. 

Pulo do gato: isso não vai levar meses! Em uma semana de sprint, revisamos todas as etapas do planejamento para facilitar a definição de prioridades e otimização da tomada de decisão.

8. Experimentar e iterar: corra muitos pequenos riscos

É fundamental sermos capazes de correr pequenos riscos, muitas vezes. Se você tem uma ideia, teste em uma escala pequena. Não espere estar tudo pronto para começar a tirar a prova real. 

Pulo do gato: experimente, faça, tente. Acredite: só assim as coisas evoluem. E isso vai te ajudar a ser mais flexível e a estar preparado para lidar com imprevisibilidades. 

9. A nova gestão de trabalho

A nova gestão será a chave dessa transição. O grande trunfo está em uma gestão descentralizada. 

O primeiro passo é abrir mão do velho: do microgerenciamento, desconfiança e restrição de liberdade. A Era da Hiperconectividade não comporta o modelo linear industrial. Comando e controle não funcionam em um mundo tão rápido como esse.

Pulo do gato: sai na frente quem proporciona uma estrutura em que há a delegação de tomada de decisão. O processo é pulverizado em todos os níveis organizacionais.

10. Não seja consumido por dados 

No contexto da pandemia, a maioria das pessoas passam pela espiral de ler várias notícias, de diversos veículos, em diferentes horas do dia… ou seja, acabamos fixados em consumir informação o tempo todo. Então, não ser consumidos por dados é válido para esse âmbito pessoal. 

Mas também vale para o corporativo. Tudo é dados, tudo pode ser dados. Tudo pode ser medido e tudo pode ser computado. Porém, as perguntas que precisamos fazer são:

  • Tudo é relevante? 
  • Todo dado é necessário? 
  • O dado sem contexto possui valor? 
  • Sabemos, de fato, analisar um dado?
  • O que estamos retirando dos dados fazer sentido para o objetivo de negócio da nossa empresa?

Pulo do gato: não fique à mercê dos dados. Tome as rédeas da situação

11. Peça ajuda!

Nesses momentos de volatilidade, é sempre bom ter com quem contar. 

Grandes mudanças não são feitas da noite para o dia. E muito menos sem uma expertise que garanta o sucesso. 

Busque ajuda de consultorias especializadas em gestão de inovação — como é o caso aqui da MJV, que tem auxiliado empresas de diversos segmentos do mercado a criar um ambiente propício à inovação. 

Conclusão: tempos de mudanças constantes

Nosso mundo está em mudança constante. Nunca tantas aconteceram em tão pouco tempo. Como podemos viver evoluindo e nos reinventando? Aprendendo a cada dia. Errando. Descobrindo. Repetindo. Evoluindo. Querendo mais. 

Os desafios são o nosso combustível nessa jornada. E a nossa curiosidade nos leva a continuar crescendo. São nesses momentos que ativamos nossa inteligência e criatividade para criar soluções que nos ajudem a superar os desafios. 

E, nesse contexto, qual o caminho mais curto para nos adaptarmos? A flexibilidade. E melhor ainda: a flexibilidade estratégica, pensada, estruturada e embasada. 

Na MJV, integramos times de várias áreas para ajudar nossos clientes a alcançar melhores resultados e inovar. Se podemos imaginar, então é possível. Vamos conversar sobre os desafios que a sua organização está enfrentando nesse momento de incertezas? Estamos te esperando para tomarmos um café (virtual)!

 

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter