02/26/2019
By
MJV Team

O Time Scrum de La Casa de Papel

Se você já assistiu La Casa de Papel, há de concordar que a série virou uma febre rapidamente, transformou-se em um fenômeno e atingiu milhares de telespectadores.

Veremos também como funciona um Time Scrum, suas características e como se assemelha ao time de La Casa de Papel.

Assim como em um projeto Scrum, tudo começa com um plano, que tem como objetivo a entrega de um produto. No seriado, esse produto consiste em entrar na Casa da Moeda da Espanha e ficar lá apenas o tempo necessário para imprimir uma quantidade enorme de dinheiro. Esse produto foi elaborado pela figura do P.O (Product Owner), que no programa é o personagem conhecido como “Professor”. Falaremos dele com detalhes mais à frente.

Para que o objetivo seja cumprido, é necessário um time multidisciplinar capaz de colaborar uns com os outros para que o produto seja entregue com sucesso. Então, o  Professor seleciona sua equipe, entrosa os membros do time e faz uma grande Planning para explicar todos os detalhes do produto (ou roubo). Assim, chega ao início da Sprint.

Membros do time Scrum

Como falamos anteriormente, cada membro do time possui um papel importante e se assemelha muito ao Time Scrum –  composto por: Product Owner, Scrum Master e Time de Desenvolvimento. Vamos ver o papel de cada um dentro do processo de uso do framework e relacionar com os personagens da série. Veja mais detalhes a seguir.

Product Owner: o Professor

O Product Owner, ou dono do produto, é o responsável por maximizar o valor do produto, resultado do trabalho do Time de Desenvolvimento. Ele prioriza o backlog do produto, é o único capaz de definir o que entra e sai no decorrer da sprint.

O PO não é um comitê, é uma pessoa, que pode atender aos interesses de um comitê ou organização. Mas para isso é necessário que todos na organização estejam alinhados quanto a isso e lembrem que mudanças e solicitações devem passar sempre por ele.

É fácil ver o Professor como o PO do time. Ele sabe cada detalhe do plano, o que pode ou  não pode entrar na sprint. Fica do lado de fora da casa ( o PO faz parte do Time Scrum, mas não faz parte do Time de Desenvolvimento), organizando o plano e priorizando o que precisa acontecer em cada momento. Podemos ver a sua atuação muito fortemente tirando dúvidas da equipe e mostrando ao time de desenvolvimento o que se espera do entregável.

Ao longo das “sprints”, o Professor precisa entender cada vez mais o valor do produto e muitas vezes muda o backlog mediante fatores externos que acabam interferindo em seu planejamento.

Scrum Master: Berlim

Antes de falarmos do Berlim, vamos entender o papel do Scrum Master dentro de um Time Scrum. Ele é o servo-líder, responsável por promover e suportar o framework, conforme dito no Guia Scrum. Ajuda  o time de desenvolvimento a entender processos e os conduz no caminho certo para alcançar o objetivo, removendo impedimentos que surgem ao longo do percurso. Também facilita as cerimônias e garante que elas aconteçam.

Em La Casa de papel, é o personagem Berlim que exerce esse papel, guia o time a cada etapa do processo. Garante que as Dailies aconteçam no momento certo, responde rapidamente às mudanças que surgem no percurso. Berlim remove os possíveis “impedimentos” que podem prejudicar  o plano (com uma dose exagerada de violência e loucura, para que fique bem claro!). Dessa forma, possibilita que tudo ocorra conforme o planejado. Sempre lembrando a todos do objetivo em comum, ficar rico.

Em certa parte da série, Berlim mostra a importância de seguir os processos. Enquanto muitos membros do time não respeitam o time-boxing de descanso e acabam tendo seu psicológico abalado, Berlim segue à risca as etapas, não perde a compostura nem a performance.

Time de Desenvolvimento: Helsinque, Oslo, Nairobi, Moscow, Denver, Rio e Tóquio

Segundo o Guia Scrum, o Time de Desenvolvimento consiste em profissionais que realizam a produção de um incremento potencialmente liberável do produto, “pronto”, ao final de cada Sprint.

Não se deve confundir o Time de Desenvolvimento com o Time Scrum, o primeiro faz parte do segundo. O time de desenvolvimento  é a equipe que irá trabalhar para produzir o incremento do produto.

Os Times de Desenvolvimento são estruturados e autorizados pela organização para sistematizar e gerenciar seu próprio trabalho. Sendo assim, nem mesmo o PO, ou Scrum Master, podem dizer como o trabalho será realizado.

Uma das características do Time é a multifuncionalidade, ele possui todas as habilidades necessárias para entregar o produto.

Na ficção, o time também coloca o plano em prática e é visível  a auto-organização. É um time multifuncional, com certeza, capaz de realizar todo o trabalho necessário para que o produto (assalto) aconteça.

Marco da auto-organização do time, ninguém precisou dizer ao personagem Moscow como ele deveria cavar o túnel de fuga ou como a  personagem Rio atuaria no sistema de segurança. Somente o próprio time é capaz de dizer como realizar o trabalho.

Ao longo do seriado, percebemos que muitos fatores externos acabam impactando o time,  e eles precisam responder rapidamente às mudanças, o que é mais uma característica de um time Scrum.

Lembra da cena em que um dos reféns precisa de cuidados médicos? A polícia envia uma equipe médica e um policial disfarçado com uma escuta. Em paralelo, uma outra equipe entra  pela tubulação, utilizando as mesmas roupas e máscaras que os reféns e assaltantes.

O PO percebe a mudança e o time prontamente responde com a mudança das máscaras. Bingo! A ação faz com que somente os invasores estejam diferentes. O policial infiltrado não titubeia, aciona a polícia, que os faz recuar, evitando um massacre e a falha na entrega do produto.

Conclusão

La Casa de Papel deixa muito claro as vantagens de adotar práticas ágeis em projetos de alta complexidade. Eficiência, colaboração e respeito ao guia Scrum são primordiais para colocar a mão na grana da Casa da Moeda no menor tempo possível.

Podemos dizer que ao final da primeira temporada, com a necessidade de terminar o túnel de fuga, após a saída do membro da equipe responsável pela demanda (Moscow), notamos a Rio e o Denver terminando a escavação. O objetivo é sempre entregar o produto.

Com essa análise, percebemos  muitas características de um Time Scrum, presentes em La Casa de Papel. A série em momento algum deixa explícito o uso do Scrum, mas, não fica dúvida, de que é uma ótima correlação.

Para entender ainda melhor como funciona o framework Scrum na prática e saber quais os benefícios da aplicação no seu negócio, baixe o nosso Guia Scrum para gerenciamento de projetos

Voltar