Fique por dentro! Assine nossa newsletter

01/13/2016
Por
MJV Team

Por que organizar Hackathons

Não é que eu ou você não sejamos capazes de inovar. A princípio toda pessoa com faculdade mental é capaz de inovar e esse é exatamente o ponto. Somos 7 bilhões de pessoas no mundo até o momento.

Quantos pensamentos disruptivos prontos ou semi prontos existem nessas cabeças pensantes, rolando por aí sem que jamais sejam materializados? Estimular não apenas o pensamento, mas também o planejamento e a execução da inovação é o motivo da existência dos Hackathons. Quer saber mais?  Vamos lá.

A consciência criativa e os negócios

Cada pessoa possui percepções radicalmente ou ligeiramente particulares sobre o mundo, moldadas pelas experiências da sua vida. Segundo a física quântica, a existência de qualquer fato pode ser absoluta, mas as percepções sobre ele são infinitas e dependem de seres conscientes.
A imensa maioria das nossas decisões, aquelas mais rápidas do dia a dia, são tomadas com base nessas percepções superficiais, de primeira impressão, e também na identificação de padrões.
Uma vez identificado um padrão, torna-se muito difícil abandoná-lo sem auxílio de outras pessoas que possuam outros padrões mentais e percepções diferentes dos nossos.

Agora imagine um mundo ideal no qual poderíamos contar com essa gigantesca capacidade cognitiva de 7 bilhões de pessoas conectadas de alguma forma.

Não parece assustador e fantástico? Infelizmente até a atualidade isso não é possível, mas quanto mais próximo chegarmos disso, mais evolução obteremos.

As ideias realmente inovadoras demandam tempo e esforço para atingirem um bom nível de maturação. Isso por que elas nascem incompletas e muitas vezes dependem que links fundamentais sejam fechados entre duas ou mais dessas proto-ideias de negócio para se tornarem realmente inovadoras e viáveis.

Levando-se em consideração que essa pequenas ideias podem estar espalhadas em cabeças diferentes, esses links podem levar muito tempo para serem fechados se os ambientes propícios para a troca não forem criados.
Além disso, quando foi a última vez que você teve uma idéia realmente criativa, inovadora, sentado na cadeira do seu escritório? Idéias criativas nascem em qualquer lugar, mas parecem ter uma preferência por ambientes apropriados e por estímulos corretos.
As melhores ideias podem nascer caminhando na areia da praia pela manhã. O que é importante é guardá-las em uma espécie de baú mental que pode ser aberto quando corretamente estimulado. Sem estímulos elas permanecem guardadas e muitas vezes se combinam com outras idéias provenientes de outros passeios pela areia. Talvez você possa perceber nisso algo em comum com o seu próprio processo mental.

O Design Thinking como metodologia em Hackathons

Na outra ponta disso tudo está o Design Thinking: uma abordagem de inovação que se utiliza de diversas técnicas para permitir que as inovações sejam geradas de forma proposital e continuada.
Durante sua fase de ideação, conta com uma equipe multidisciplinar para gerar diversas ideias com base nas diferentes percepções dos integrantes da equipe.
Os Hackathons organizados na linha do Design Thinking se aproveitam das capacidades cognitivas de pessoas com perfís multidisciplinares para gerar resultados mais palpáveis em um prazo muito curto.

Para que fazer um Hackathon em um ambiente empresarial

Hackathons são uma excelente forma de se permear as fronteiras da empresa, permitindo que as capacidades cognitivas de diferentes pessoas atuem na geração de pensamentos disruptivos.

Uma outra boa razão para a organização de um Hackathon com participantes que não fazem parte do seu quadro de funcionários é a identificação de recursos humanos, mas aqui cabe uma explanação sobre o perfil das pessoas que geralmente atendem aos chamados dos organizadores: jovens, solteiros, sem filhos, cursando universidades, com pouca ou nenhuma experiência corporativa, mas com muita disposição para aprender e criar algo inovador.

Identificando os seus talentos

Claro, essa não é uma regra, mas sim uma característica comum que temos notado entre os atendentes.  Se a questão a ser resolvida é a identificação de excelentes profissionais em potencial, esse é o evento certo, mas não espere encontrar ali essencialmente profissionais com alto nível de ‘senioridade’, que podem ser alocados em projetos críticos, em um primeiro momento. Mas vale frisar que essa também não é uma regra.
O grande valor desses jovens está na sua velocidade de implementação e na ausência de vícios corporativos e não necessariamente na qualidade final do produto que desenvolvem. Uma boa forma de aproveitar essas capacidades é através da valorização das atividades de prototipagem dentro da empresa.
Em adição, é fundamental desenhar mecanismos que evitem que a cultura da empresa venha a diminuir a velocidade e o valor desses jovens profissionais.

Os benefícios de Hackathons

Os benefícios de maratonas organizadas com os funcionários de uma empresa são vários.
Entre eles:
– valorizar focos nos resultados de curto prazo e na geração de oportunidades de negócio;
– estimular a integração entre equipes técnicas e de negócio;
– auxiliam na identificação de diferentes soluções técnicas ou de negócio para um mesmo problema; entre outros.

Das ideias aos modelos de negócios

Mais do que pensamentos, os Hackathons produzem protótipos de modelos de negócio e de produto que podem ser descartados ou aproveitados após o fim do evento. O melhor de tudo é que essas experimentações podem ser criadas com um custo relativamente baixo – e com resultados rápidos.

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter