09/03/2019
By
MJV Team

7 impactos da Inovação Aberta no seu banco!

A Inovação Aberta tem sido empregada no setor bancário com mais frequência nos últimos anos. É a partir dela que surge, por exemplo, o conceito de Open Banking.

Não é em vão que o mercado financeiro, com especial atenção para os bancos, está entre os mais inovadores. As iniciativas disruptivas surgidas com parcerias externas têm mantido este setor na crista da onda global. 

Vamos conversar sobre isso agora. Continue lendo para entender esse movimento e ver quais são os principais benefícios do Open Banking!

Por que os bancos estão investindo em Inovação Aberta?

As condições de mercado para provedores de serviços financeiros estão mudando cada vez mais rapidamente. 

Novas tecnologias e novos comportamentos do consumidor estão obrigando os bancos a se movimentarem. Assim, os que melhor exploram a inovação são os que conseguem competir e se manter em alta.

A crise de 2008 foi decisiva

Inúmeros especialistas apontam a crise financeira global de 2008 como um divisor de águas. Ela teve um impacto rápido nos clientes e  lealdade aos bancos despencou. De lá para cá, é cada vez mais importante para as instituições financeiras promover a diferenciação com produtos e serviços inovadores.

As fintechs chegam para mover o tabuleiro

Com a tecnologia, também novos concorrentes surgiram. As fintechs — startups onde a tecnologia é aplicada em serviços financeiros — talvez sejam os exemplos mais palpáveis. 

Elas estão provocando uma verdadeira revolução em um dos mercados mais consolidados do capitalismo global. Fornecem soluções dinâmicas e sob medida, desburocratizam — mais adiante apresentamos mais detalhes.

Os bancos sentem que é preciso olhar para fora

Mas estruturar estratégias de inovação contemplando somente as equipes internas não é suficiente. É aí que a Inovação Aberta tem sido empregada. Em síntese, ela consiste no uso de fluxos de entrada e saída de conhecimento para acelerar a inovação interna e expandir mercados.

→ Saiba  mais: Estratégia de inovação aberta: como absorver o que é gerado fora da empresa?

Nasce o Open Banking

Este esforço de olhar para fora e absorver conhecimentos e contribuições fez surgir o conceito de Open Banking. Ele, rapidamente falando, diz respeito à prática da colaboração entre bancos tradicionais com startups, fintechs e empresas de tecnologia. O objetivo é criar soluções e aplicações inovadoras.

Ainda voltaremos a este conceito para explicá-lo melhor. O importante agora é saber que a Inovação Aberta aplicada aos bancos dá origem ao Open Banking. E ele tem sido uma das principais respostas do setor bancário aos desafios da dinamicidade mercadológica atual. 

→ Saiba mais: Open Banking: o que é, como funciona e por que investir o quanto antes!

Como o movimento fintech forçou o nascimento do Open Banking

Conforme já mencionamos, as fintechs são chaves decisivas nesse novo movimento do mercado financeiro global. Entenda agora como elas são decisivas para o surgimento do conceito de Open Banking. Também como podem ser aliadas nesta estratégia.

Fintech(zação)

Não é exagero dizer que atravessamos um momento de “Fintech(zação)”. China, Estados Unidos, Brasil e outras nações desenvolvidas e emergentes vivem uma revolução financeira. E na base disso estão as startups financeiras. Elas utilizam tecnologias emergentes, como Big Data e Inteligência Artificial para otimizar a experiência do cliente e preencher gaps do sistema.

Tecnologia de ponta

O modelo de negócio, que mistura tecnologia e finanças, alicerça seus processos em pilares como APIfication, user-centric e data science. Assim, consegue oferecer serviços e produtos diferenciados, 100% digital e com muitas vantagens para seus consumidores. 

As fintechs são bastante eficazes, pois reduzem o custo e time-to-market, além de ampliar o poder de atendimento. Consumidores que nunca foram contemplados pelos bancos tradicionais, agora podem ter contas correntes digitais. 

União de forças

Com regulamentações legislativas cada vez mais simpáticas às fintechs, os bancos precisam agir. E se não é possível vencer um concorrente, o melhor a se fazer é unir-se a ele

É aí que Fintech e Open Banking se encontram. Ao montar uma estratégia de Inovação Aberta, os bancos mais bem-sucedidos têm firmado parcerias com fintechs. 

Dessa maneira, absorvem conhecimento e conseguem inovar mais. Concentram sua força de trabalho no que são bons e aproveitam os serviços disruptivos das startups financeiras.

7 benefícios da Inovação Aberta aplicada aos bancos

Até aqui você entendeu o que é Open Banking e porque é importante investir em inovação aberta nos bancos. 

Confira, a seguir, quais são as principais vantagens dessa estratégia.

1. Criação e monetização de serviços digitais

Ao se aliar com startups inovadoras, é possível incrementar a rentabilidade com a criação e monetização de serviços digitais. 

Criando meios de contato online, por meio da Inteligência Artificial, por exemplo, é possível atender mais clientes em tempo menor. Oferecendo serviços digitais, os retornos são incrementados sem a necessidade de contratação de mão de obra, gastos com materiais e equipamentos etc.

2. Redução de custos

Os custos operacionais e de desenvolvimento de soluções são reduzidos com melhor emprego do digital. Também a pesquisa e a análise de dados podem ser automatizadas, o que resulta em custos menores e mais rapidez na entrega de novos produtos e serviços (time to market).

Isso é sentido imediatamente pelo banco e por seus parceiros, mas, principalmente, pelos clientes. Eles conseguem ver suas aplicações rendendo mais e administrar melhor suas finanças com aplicações digitais. 

3. Melhoria na experiência do usuário

Nunca foi tão importante trabalhar bem a experiência dos clientes. Da simples movimentação de conta corrente à compra de ativos, passando por outras rotinas bancárias, as pessoas agora querem explorar a tecnologia. 

Se olharmos para as gerações nascidas a partir dos anos 1990, essa máxima é ainda mais urgente. Acostumados com a informação na palma da mão, os indivíduos não querem mais burocracia. 

Os bancos que conseguem lidar com essa nova realidade estão se destacando. E fazem isso a partir de excelentes estratégias de Inovação Aberta (Open Banking). Ou seja, entendendo melhor seus públicos de interesse e criando inovações que realmente fazem a diferença.

4. Aceleração da transformação digital

Ao montar uma boa estratégia de Open Banking, que contemple a parceria com fintechs e outros agentes do mercado, também a transformação digital é acelerada.

É dizer: os parceiros especializados em tecnologias inovadoras fornecem as capacidades e os recursos necessários para sair de um modelo tradicional de negócios e entrar na era da digitalização. E o banco mantém seus esforços em seu core business. 

5. Aumento de valor do negócio

Outro ponto importante é a geração de mais valor para o negócio. 

Ao inovar e se adaptar a um mundo em constante mudança, é possível oferecer mais custo/benefício. Também é possível fazer com que o valor percebido por clientes, acionistas e o mercado em geral, seja ainda maior. 

6. Posicionamento inovador

Nos últimos tempos, a imagem de inovador tem sido decisiva para a longevidade dos negócios. Não é diferente no setor bancário. 

Olhe para a história recente no setor bancário brasileiro. Quantas instituições tradicionais desapareceram por falta de adaptação aos movimentos mercadológicos? 

7. Efeito de comunidade

Por fim, mas não menos importante, os bancos também precisam entrar na onda digital da criação de comunidades. 

Ao trabalhar o Open Banking, eles agora conseguem engajar melhor seus clientes e colaboradores. E podem fidelizar e seguir crescendo e acompanhando as mudanças nos comportamentos e nas necessidades dos consumidores. 

Que tal, você conseguiu entender a importância de investir em Inovação Aberta no setor bancário? Conseguimos te mostrar o que é Open Banking e porque esse conceito é tão  importante? 

→ Continue aprofundando-se neste assunto. Baixe agora o e-book “Open Banking: a maior transformação do mercado financeiro”!

Open Banking

Voltar