06/06/2019
By
MJV Team

Futurismo: direcionador para pensar novos negócios

O Futurismo não pode fornecer os números da loteria, mas diz quais podem ser os próximos cenários para sua empresa, mercado ou clientes. Pode mapear as maiores ameaças e oportunidades e ajudá-lo a conter riscos e responder rapidamente para construir um sucesso sustentável.

Nesse artigo, além de entender o que é Futurismo, você verá como ele está relacionado à inovação. Também vai ver como é possível aplicá-lo para guiar seus negócios. Acompanhe!

O que é Futurismo e por que prever futuros possíveis?

Alguns dos empresários mais célebres do mundo — Elon Musk e Jeff Bezos, por exemplo — são frequentemente citados na mídia como profetas. Eles antecipam o futuro e também criam soluções para esse futuro. Ao fazer isso, acabam, muitas vezes, decidindo o destino dos mercados.

Mas não se trata de adivinhação, muito menos profecias. Esses executivos são considerados futuristas por razões bem específicas e diferenciadoras. Eles usam mentalidades altamente especulativas para traçar as estratégias de suas empresas.

Com visões de 30, 40 e 100 anos a partir de agora, criam produtos e serviços que se encaixam em uma visão de longo prazo. E, ao fazê-lo, ocorre uma profecia auto-realizável.

Futurismo é condução do futuro, não apenas previsão

A perspectiva que eles pregam começa a parecer mais tangível para o seu público, e eles estimulam novas indústrias — em parte porque os titãs da tecnologia compartilham publicamente quais são suas perspectivas de futuro. Além da bravura, isso exige tempo atenção e posicionamento — além de muito esforço de inovação.

O que eles fazem tem um nome: previsão de cenários.

Futuristas disruptivos constroem em direção às previsões esperadas, antecipando possíveis futuros e usando cenários para desenvolver seu pipeline de inovação. Não é o mesmo que explorar parceiros, recursos e tecnologias existentes em novas formas de promover a inovação.

Futurismo é o mesmo que inovação?

Futurismo e inovação são ótimos. E essenciais. Mas eles são muito diferentes. A maioria das empresas está apenas capitalizando a inovação. Poucas investem e fazem exercícios de futurismo.

Ao adotar práticas de futurismo, você pode explorar caminhos para o planejamento de longo prazo e para a gestão de riscos. Isso exige imaginar como pode ser o porvir para antecipar os passos necessários e moldar as realidades potenciais.

Os futuristas precisam procurar constantemente sinais ainda tímidos— murmúrios de possibilidades em cultura e comportamento. E traçar a trajetória potencial desses segmentos no futuro.

Futurismo é o exercício da curiosidade

Combinar nosso presente e infundi-lo com cenários prováveis ​​em longos períodos nos permite imaginar os diferentes resultados em cada situação. Então, podemos começar a fazer perguntas como:

  • Como seria viver nesse futuro?
  • O que podemos ver, ouvir e tocar daqui a 10, 20 ou 30 anos?

Em síntese, ao identificar novas áreas de oportunidade, os passos necessários para chegar a essa visão de longo prazo tornam-se visíveis. Finalmente, suas inovações têm uma direção de longo prazo.

Ao ilustrar esse objetivos de longo prazo e comunicá-los aos nossos públicos – da maneira que os verdadeiros futuristas fazem – o caminho da inovação imediata torna-se mais claro.

Futurismo é expansão das perspectivas

E isso acontece de forma mais colaborativa e eficaz quando damos às pessoas a oportunidade de se alinharem com nossa visão compartilhada do futuro.

As inovações devem então parecer um caminho de migalhas de pão nos guiando para o futuro delineado em nossa visão futurista. Em um mundo de fluxo eterno, empresas que compartilham visões fortes e plausíveis de realidades futuras têm a oportunidade de representar algo maior — e reunir mais participantes em torno de sua visão.

Ao estudarmos Musk, Bezos e os futuros que eles nos apresentam, tendemos a ter uma visão unilateral, construída por um indivíduo e não pelo coletivo.

No entanto, quando vamos analisar a fundo, torna-se evidente que precisamos da participação de uma ampla gama de empresas, governos, ONGs e indivíduos para desafiar a percepção do futuro próximo com suas vozes únicas.

Em outras palavras, para retratar não apenas um futuro, precisamos de muitos tipos diferentes de perspectivas, elementos de fusão das várias narrativas e pontos de vista a serem explorados. Isso é bastante parecido com a inovação em si. Quase nunca é possível inovar com visões únicas, com senso comum. É preciso colaborar, intercambiar ideias.

Como o Futurismo pode guiar novos negócios?

Atualmente, está ficando cada vez mais difícil para as empresas conseguirem lançar novos produtos e serviços. Primeiro, há uma necessidade crescente de ser mais rápido. Os cronogramas de desenvolvimento de novos modelos de negócios podem, mas não devem, ser longos, como sabemos.

É aí que o Futurismo tem se tornado um guia para as empresas mais inovadoras. A capacidade de antecipação das necessidades dos consumidores modernos é fundamental. Também a facilidade para prever e aproveitar tendências, bem como estabelecer novos padrões, também é muito importante.

fornecem cenários importantes sobre como os clientes e as indústrias podem evoluir. Eles são profissionais guiados pela inovação e, principalmente, experimentados em tecnologias disruptivas e visão empreendedora.

O Futurismo dá às empresas uma vantagem não apenas sobre seus concorrentes, mas também sobre os concorrentes que elas ainda nem sabem que existem oi mesmo existirão.

Futurismo e a Quarta onda da revolução tecnológica

Por fim, é essencial olhar o Futurismo sob a ótica da quarta onda da revolução tecnológica.

A tecnologia digital evoluiu através de quatro grandes ondas de desenvolvimento. A vida sofreu grandes mudanças quando a Internet tornou a tecnologia de computação disponível para todos e, novamente, quando a Internet móvel tornou os serviços digitais acessíveis em qualquer lugar.

Uma nova onda de mudança está ocorrendo hoje com a Internet das Coisas (IoT) digitalizando o mundo físico. Mas é uma quarta onda de tecnologia que as organizações devem considerar em suas estratégias. Ela inclui a Inteligência Artificial e a Robótica.

As máquinas estão apenas começando a aprender por conta própria, descobrem novos conhecimentos de forma independente e agem de forma autônoma. Algoritmos e automatização extrema são sintomas claros da quarta onda.

Em suma, o Futurismo não é possível sem que a quarta onda da evolução tecnológica esteja em perspectiva. É a utilização de métodos e sistemas dentro dessa onda que proporciona ferramental para os times de TI e negócio preverem possíveis futuros. Por meio de aplicações de Business Analytics, por exemplo, é possível olhar em retrospectiva e, ao mesmo tempo, fazer análises preditivas de maneira sistematizada.

Você entendeu o que é futurismo, qual sua relação com a inovação e como ele pode ser útil nos seus negócios? Aprofunde-se ainda mais; baixe agora o e-book Business Analytics: A Era dos Dados já começou!

ACESSAR AGORA

Voltar