Fique por dentro! Assine nossa newsletter

09/10/2014
Por
MJV Team

5 passos para montar um comitê de inovação em sua empresa

Ao grupo de profissionais que se encarrega de fomentar a cultura inovadora dentro de uma empresa, chamamos de comitê de inovação. Seu papel é de apoiar e incentivar atividades que abram caminho para pensamentos e atitudes inovadoras.

Obviamente, conforme a empresa, o papel do comitê de inovação varia, porém, em linhas gerais, suas atividades consistem em criar o portfólio de inovação, selecionar ideias, intermediar debates, mensurar e comunicar resultados das discussões e ações em torno da inovação.

O comitê de inovação deve ser um grupo heterogêneo, composto por pessoas com as mais variadas formações e de todos os níveis hierárquicos. Afinal, inovar é construir soluções novas para os problemas, entregando valor para todos os envolvidos e gerando resultados reais para a empresa. Assim, quanto maior a pluralidade de ideias, mais inovador se torna o ambiente corporativo.

Mas, por onde começar para criar o comitê de inovação da sua empresa?

Dê o pontapé inicial seguindo estes 5 passos:

1 – Defina a estratégia de inovação

A estratégia é a base de tudo. Antes de juntar pessoas para um comitê, defina em que aspectos sua empresa deve inovar (produtos, serviços, processos etc), elencando prioridades. A inovação deve estar ligada ao planejamento de negócios e, para isso, ter orçamentos e metas definidos.

2 – Conquiste as lideranças

Os gestores devem ser os primeiros a comprar a ideia da inovação. Também devem ter autonomia para fazer os ajustes necessários para que questões operacionais não os impeçam de abrir caminhos para a cultura inovadora. Não é possível proporcionar um ambiente inovador quando o líder só tem mecanismos de avaliação de sua equipe para critérios operacionais, por exemplo.

3 – Chame pessoas preparadas

Quem são as pessoas mais alinhadas com o negócio e que ao mesmo tempo estão sempre demonstrando interesse em quebrar paradigmas em sua empresa? É preciso conhecer a equipe e saber o potencial que os profissionais têm para oferecer.Também considere lideranças não oficiais, tendo em mente que estas pessoas devem ser replicadoras do movimento inovador.

4 – Patrocine os melhores projetos

Um comitê de inovação só tem razão de existir se ele puder propor inovação real, não meramente conceitos teóricos. Ele deve ter autonomia para montar times de investigação e criação de soluções inovadoras, mas quando essas ideias surgirem elas precisam de patrocínio. E por patrocínio entenda-se investimentos financeiros, mas também apoio institucional, reconhecimentos públicos e outras formas de incentivos.

5 – Reconheça que ninguém inova sozinho

Ofereça ao comitê de inovação a oportunidade de trabalhar com fornecedores que possam melhorar as percepções e o autoconhecimento na busca pela inovação. Uma consultoria especializada, por exemplo, pode proporcionar um folego de novas ideias e trazer metodologias que facilitem o trabalho.

Quanto mais aberto for o processo de aculturamento, melhores serão os resultados.

Acesso ao livro Design Thinking
Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter