Fique por dentro! Assine nossa newsletter

06/15/2020
Por
MJV Team

O que é CoE (Center of Excellence) de RPA e quais os benefícios?

O desenvolvimento de um CoE (Center of Excellence) de RPA ajuda as organizações a desenvolverem robôs de maneira ordenada. Assim, mantemos padrões de qualidade, evitamos ruídos de comunicação e falhas no processo de desenvolvimento.

O que, no passado, era coisa de ficção científica, hoje já é uma realidade: os robôs integram a rotina de consumidores e empresas no mundo todo. Esse processo de automação não aconteceu do dia para a noite. A implementação das novas tecnologias se deu aos poucos e nem sempre de maneira ordenada.

Quando falamos em RPA (Robotic Process Automation), no entanto, não nos referimos apenas à implementação de novos processos. É preciso ter um controle total de tudo o que é desenvolvido e implementado para garantir o melhor desempenho e evitar problemas. É justamente por isso que devemos contar com o CoE (Center of Excellence). 

Nesse post, vamos apresentar tudo o que você precisa saber sobre esse conceito. Você vai perceber que o CoE é fundamental sempre que trabalhamos com a implementação de automação robótica em uma organização e deve ser criado o quanto antes. Acompanhe!

O que é CoE (Center of Excellence) para RPA?

O CoE é criado para que as organizações mantenham um padrão de qualidade no processo de desenvolvimento de automação robótica. Isso acontece para evitarmos ruídos de comunicação e mantermos uma boa performance do time de desenvolvimento

Basicamente, elegemos profissionais responsáveis para serem guardiões desses padrões e criamos manuais de programação, além de toda a documentação, para preservamos a linha escolhida pela empresa.

O grande objetivo de um CoE em uma organização é a garantia de um processo de desenvolvimento ordenado e pensado no futuro. Afinal, se criamos padrões diferentes em toda a aplicação, no final temos uma amálgama de códigos e dificilmente manteremos a escalabilidade das aplicações. Além disso, os CoEs devem:

  • Implementar as tarefas;
  • Monitorar a execução dos trabalhos;
  • Priorizar as demandas do time;
  • Dar suporte a toda a operação.

Por isso, o CoE deve ser implementado mesmo antes de desenharmos as primeiras linhas de código da organização. 

Quais os benefícios do CoE?

Como deve imaginar, o CoE (Center of Excellence) traz uma série de vantagens competitivas para o seu negócio. Afinal, se a equipe de desenvolvimento enxerga com clareza todo o padrão estabelecido, ela desempenha seu trabalho de maneira mais rápida e garante o padrão de qualidade.

Redução do ciclo de produção

Pense com a gente: se estabelecemos os padrões e criamos documentações e manuais, encurtamos todo o ciclo de produção e trabalhamos da maneira mais otimizada possível, não é verdade?

Monitoramento mais preciso

É com normas e com uma equipe dedicada que monitoramos o desenvolvimento de novas aplicações e processos robóticos de maneira ordenada. Isso é fundamental para garantirmos o padrão de qualidade.

Integração de informações

Se todos os profissionais de desenvolvimento falam a mesma língua, garantimos que o processo aconteça de maneira integrada. Além disso, com o CoE, não importa se a equipe é interna ou externa, já que o padrão deve ser seguido por qualquer programador.

Redução nos erros e custos operacionais

Menos retrabalho e mais eficiência significa, também, a redução de todos os custos operacionais relacionados ao desenvolvimento de processos no seu negócio. Otimização e melhoria contínua são pilares de um CoE.

Mais segurança aos dados

Se detalhamos com clareza todos os processo e a maneira como vão ocorrer, também estabelecemos as normas para que dados sensíveis da empresa e seus clientes sejam protegidos.

Escalabilidade do negócio

A medida que implementamos mais e mais robôs, mais difícil é a manutenção da escalabilidade do negócio. O CoE surge justamente para criarmos padrões que tornem isso possível na sua empresa.

Maior qualidade de serviço

No final das contas, o CoE serve para mantermos a qualidade de serviço. As entregas acontecem de maneira mais rápida, segura e satisfatória para o usuário final da aplicação, o que é fundamental para melhorar a percepção sobre o negócio.

Como implementar?

Com alguns passos simples, sua empresa também pode contar com um CoE para melhorar o processo de implementação de processos robóticos. Aqui vai uma proposta da MJV para que crie seu próprio Centro de Excelência!

Escolha o melhor modelo

Como veremos mais à frente, existem três tipos de CoE: descentralizado, centralizado e híbrido. Em primeiro lugar, você deve escolher qual vai ser o modelo implementado pela empresa para entender quais serão as necessidades e o qual deve ser a estrutura para suportar o seu time.

Configure o time do CoE

Cada membro do ROT (Robotic Operating Team) possui papéis claros e responsabilidades para que a automação seja desenvolvida da maneira mais rápida e eficiente possível no seu negócio. Alguns dos membros que compõe a equipe são:

  • Developer;
  • Sponsor;
  • Change Manager;
  • Architect;
  • Business Analyst;
  • Supervisor;
  • Support;
  • Infrastructure Engineer. 

Estabeleça um modelo de governança eficaz

A Governança é responsável por priorizar atividade e identificar oportunidades de melhoria em todo o desenvolvimento de RPA. Além disso, também estabelece quais serão os padrões e templates para o desenvolvimento e design das novas soluções robóticas.

Ative o seu CoE

Com todas as etapas anteriores prontas, podemos ativar o CoE. Isso significa que o time precisa se reunir para estabelecer os padrões e começar todo o processo de monitoramento que vai acontecer na empresa. O objetivo é pensar em processos escaláveis no longo prazo.

Quais são os tipos de CoE?

Qual é o melhor modelo de CoE? Não há uma resposta pronta. Cada empresa possui sua cultura, estrutura e necessidades diferentes. O mais importante, portanto, é conhecer os modelos e olhar para os processos para entender qual deles tem um fit maior com o seu negócio. Aqui vão os três tipos de CoE:

CoE Centralizado

Nesse primeiro modelo, as atividades do CoE são focadas em apenas um time e estrutura, que vão priorizar as demandas e definir os padrões de RPA para toda a organização.

Alguns dos benefícios são o compartilhamento de experiências e aprendizados de maneira mais rápida e o aumento do controle e padronização dos processo. A desvantagem é a dificuldade de flexibilização para cada unidade do negócio, além de que a expansão das atividades passa a ser mais lenta.

CoE Descentralizado

Nesse modelo, não possuímos apenas um centro com os recursos para o desenvolvimento das atividades do CoE. Todos os processos que envolvem a priorização de novas demandas são executadas por cada uma das unidades do negócio de acordo com as suas necessidades.

O modelo traz benefícios como a personalização da ação do CoE em diferentes regiões, por exemplo, ou o dinamismo. No entanto, também tem obstáculos, como a dificuldade de capacitar muitos profissionais e a dificuldade de compartilhamento de aprendizado.

CoE Híbrido

Por fim, temos também CoEs híbridos, que misturam características do modelo centralizado e descentralizado. Na realidade, podemos dizer que grande parte dos CoE são assim, já que eles transitam entre os diferentes tons.

Um bom exemplo é quando existe a troca constante entre as unidades para o compartilhamento de experiências (característica de um CoE centralizado), mas todas elas atuam de maneira autônoma.

O padrão de ouro para o seu futuro

Como pode ver, o desenvolvimento de um CoE é o que garante a manutenção de padrões de qualidade do seu negócio e, o mais importante, permite que você tenha uma visão focada no futuro, com a escalabilidade garantida.

Aqui na MJV podemos implementar o CoE e o RPA do seu negócio com um time super qualificado. Quer conhecer nossas soluções? Então entre em contato conosco e descubra como podemos ajudá-lo!

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter