12/17/2019
Por
MJV Team

3 pilares do Design Thinking: entenda os conceitos e como aplicá-los no seu dia a dia

Quando falamos em Design Thinking, estamos falando na forma como designer pensa. Ele utiliza um raciocínio pouco convencional no meio empresarial – pensamento abdutivo – no intuito de buscar formular questionamentos através da apreensão ou compreensão de fenômenos.

Sempre elaborando perguntas a partir de informações coletadas durante a observação do universo que permeia um problema.

Dessa forma, ao pensar de maneira abdutiva, a solução é derivada do problema; ela se encaixa nele. Podemos definir o Design Thinking como:

“uma abordagem estruturada de inovação que tem o ser humano como foco e busca gerar soluções que alinham o desejo e as necessidades do usuário consumidor à geração de valor para o negócio”. 

O Design Thinking está ancorado em basicamente três pilares: a empatia, a colaboração e a experimentação. 

Continue lendo para entender cada um e ver de que maneira eles podem potencializar os resultados dos seus projetos!

Os 3 pilares do Design Thinking

1. Empatia

A ideia de empatia consiste em olhar um problema através do ponto de vista de quem o vivencia. Logo, quando temos uma questão de negócio, temos que entender quem será o usuário, quem é o cliente, fornecedor, parceiro comercial etc. 

Cada um desses é um ator, ou um stakeholder, dentro do processo e, para entendermos o problema de uma forma holística, temos que olhar com os olhos deles. 

Por exemplo, ao fazer um projeto de inovação de uma seguradora para automóveis, a equipe talvez precise passar um dia vivenciando o trabalho dos guincheiros para experimentar a realidade destes profissionais. Só assim é possível entender como se dá a relação do profissional do guincho que vai atender a um acidente com o segurado.

Diferente do marketing, que olha para a média, no Design Thinking, olhamos para os extremos, vamos nos detalhes e nos colocamos no lugar de usuários reais e não meramente idealizados ou olhados de forma panorâmica.

2. Colaboração

O Design Thinking também bebe na forma de pensar de áreas como antropologia, tecnologia, administração etc. Isso porque esse método valoriza a colaboração multidisciplinar, sobretudo para obter o olhar sobre um problema de uma forma mais holística. 

Ao juntar profissionais de diferentes campos, aumentam muito as chances de verificar oportunidades de melhorias, gerar ideias mais elaboradas etc. A geração de insights (achados de campos) é bem maior com essa diversidade de olhares. 

3. Experimentação

Por fim, o Design Thinking não existe sem experimentação constante, por meio de técnicas como a prototipagem. 

A ideia é a seguinte: fazer alterações em um produto completo que não esteja apresentando um bom desempenho é difícil e dispendioso. Em vez disso, começa-se pequeno, lançando uma versão minimamente viável de um produto ou serviço e colocando-o na frente do público-alvo. Ao fazer isso, as equipes podem reunir inúmeras informações sobre usabilidade e adequação ao mercado do produto e podem fazer edições críticas antes que recursos extensivos sejam comprometidos com uma versão final. Além de evitar erros dispendiosos, experimentar protótipos pode estimular a conscientização precoce de sua oferta entre os possíveis consumidores finais.

Empatia, colaboração e experimentação: como podem potencializar seus projetos?

Confira agora os motivos que fazem da empatia, da colaboração e da experimentação ferramentas que podem potencializar os resultados dos seus projetos:

  • quando as equipes exploram e interagem com cinco ou mais ideias diferentes, em vez de selecionar uma ou duas idéias e segui-las adiante, elas têm 50% ou mais chances de serem lançadas com êxito;
  • diferentes cabeças pensam melhores juntas; a contribuição de vários pontos de vistas faz com que ideias inovadoras surjam com mais facilidade;
  • também o trabalho colaborativo na hora de tirar uma ideia do papel e colocá-la em prática facilita a execução e pavimenta caminho para a inovação;
  • e a empatia, bem aplicada, ajuda a olhar com os olhos do usuário/cliente; isso é um exercício que requer esforço, por isso o Design Thinking ganha cada vez mais espaço em projetos dos mais variados cunhos. 

As vantagens da aculturar esse pensamento do Design na sua empresa

O Design Thinking não é apenas uma “ferramenta” a ser implementada em sua organização. Para poder utilizar o método ao máximo e colher os verdadeiros benefícios do Design Thinking, você precisa preparar sua organização para a mentalidade e estar aberto a uma cultura que abraça erros, aprendizado, pensamento divergente e comprometimento com o processo.

Além de ser capaz de produzir processos de tomada de decisão bem fundamentados, o Design Thinking também pode ser usado de forma mais prática para criar e avaliar iniciativas de desenvolvimento de negócios, como estratégias e projetos de transformação.

Em suma, o Design Thinking, quando adequadamente adaptado, pode criar uma organização saudável e flexível. Na melhor das hipóteses, o processo de inovação cria um fluxo natural em que você reduz riscos e custos, tempo de colocação no mercado e aprimora a adesão do produto final e das partes interessadas.

Passo a passo para adotar os pilares do Design Thinking no dia a dia do seu time

Para finalizar, confira um passo a passo básico para adotar os pilares do Design Thinking no cotidiano do seu time. 

Colete ideias praticando empatia, observação e entrevistas

Conhecer seus clientes é o primeiro passo para criar produtos e serviços que eles desejam e precisam. Não pense que você sabe o que alguém pensa ou sente. 

A coleta de informações sobre o consumidor-alvo é uma parte essencial da abordagem do Design Thinking. Faça isso de maneira empática, indo além da conversa, observando. E certifique-se de que o seu time também está nessa mesma sintonia. 

Crie protótipos desconexos para aprender sobre necessidades não atendidas

Você e seu time não precisam de muito tempo ou recursos para criar protótipos.

Comecem com caneta e papel ou outros recursos acessíveis, como um deck de slides, para simular ideias e obter feedback que o ajudarão a entender melhor as necessidades dos clientes antes de investir na produção.

Transforme problemas em perguntas

Quando apresentar um problema, resista ao desejo de encontrar uma solução imediatamente. Faça com que seu time mude sua mentalidade para fazer uma pergunta que possa aproximá-la da raiz do desafio ou apoiar uma melhoria incremental.

Quer saber mais sobre o assunto? Baixe agora o nosso livro Design Thinking – Inovação em Negócios!

 

 

 

Voltar