Fique por dentro! Assine nossa newsletter

10/24/2013
Por
MJV Team

O que é gamificação e como aplicar na sua empresa?

Esta mecânica invadiu ambientes corporativos e transformou objetivos e tarefas do dia a dia em atividades dinâmicas

A vida corporativa ficou mais competitiva, dinâmica e estratégica. Buscar conhecimento, a fim de se diferenciar dos concorrentes, trouxe ao mercado uma tendência que une o mundo dos games à realidade dos negócios: a Gamificação.

Um de seus principais objetivos é melhorar processos, otimizar o aprendizado e promover a participação voluntária da equipe. Mas você sabe o que é Gamificação e como aplicar na sua empresa?

Para além do entretenimento e da diversão, a Gamificação é um caminho didático de fácil assimilação para transformar comportamentos e despertar características da vida humana no ambiente de trabalho.

Acompanhe o texto para saber como a Gamificação funciona, quais seus principais benefícios e como aplicá-la nas empresas.

  • O que é Gamificação;
  • Como funciona a Gamificação;
  • Como aplicar a Gamificação em uma empresa;
  • 4 benefícios da Gamificação.

O que é gamificação

É errado pensar que Gamificação é uma ciência que trata do ato de criar jogos. Em vez disso, ela pode ser definida como uma metodologia através da qual aplicam-se mecanismos de jogos à resolução de problemas ou impasses em outros contextos.

De forma resumida, a Gamificação é o uso de mecânicas dos jogos em contextos diversos, com o objetivo de incrementar a participação e gerar engajamento e comprometimento por parte de potenciais usuários. 

Em linhas gerais, a aplicação da Gamificação aponta para circunstâncias que envolvam criação ou adaptação da experiência do usuário a determinado produto, serviço ou processo, intenção de despertar emoções positivas, explorar aptidões pessoais ou atrelar recompensas virtuais ou físicas ao cumprimento de tarefas.

Como funciona a Gamificação

O desenvolvimento da Gamificação – também chamada de Ludificação – vem de uma constatação um tanto óbvia: seres humanos sentem-se fortemente atraídos por jogos.

Ao longo dos séculos, praticamente todas as civilizações conhecidas estiveram associadas a algum tipo de disputa ou competição de grande importância para a estruturação social da comunidade à qual pertenciam, como as gregas (Jogos Olímpicos da Antiguidade), romanas (duelos de gladiadores, corridas de biga) e astecas (Jogo de Bola Mesoamericano).

Para o atual guru de Gamificação, Yu-kai Chou, a maior contribuição que a metodologia pode oferecer à sociedade seria opor o tradicional modelo de “Design Focado em Funcionalidade” ao “Design Focado no Aspecto Humano”.

De acordo com sua teoria, a maioria dos sistemas de produção conhecidos visa fazer com que as tarefas sejam realizadas no menor tempo possível. 

A simples consideração de que as pessoas que desempenham estes trabalhos possuem sentimentos, inseguranças e opiniões a respeito do que espera-se delas, ou sobre a forma como deveriam atingir seus objetivos profissionais, por si só, representa um atalho para que suas verdadeiras motivações sejam ativadas.

Como aplicar a gamificação em uma empresa?

Conhecer o que é Gamificação não basta. Para as empresas, implementar o uso de games nos negócios pode ser uma estratégia eficaz para quem busca inovar. Mas você sabe como implementar o processo? Para trazer a gamificação para dentro da empresa é preciso seguir os seguintes passos.

1. Compreenda o problema, contexto e a missão do jogo

A Gamificação consiste em propor jogos aos funcionários. Porém, não é qualquer jogo. Devem ser elaborados canais interativos que possam oferecer similaridade com o ambiente de trabalho.

Antes de começar a aplicar a mecânica dos jogos no seu negócio, é preciso fazer uma imersão no contexto da empresa e dos problemas que precisam ser contornados. É necessário também compreender quais mudanças precisam ser realizadas e quem é o público-alvo.

Essa ação conta com o auxílio do Design Thinking, que possibilita a análise, ideação e o teste de protótipos anteriores à implementação do projeto.

 “Quais são os objetivos que eu preciso alcançar?” e “Que perfis irão fazer uso da gamificação?” são algumas das perguntas que devem ser feitas para traçar objetivos, metas e chegar à melhor solução gamificada que se alinhe com as expectativas da empresa.

2. Saiba quem são os jogadores e os critérios norteadores

Para uma estratégia assertiva, é preciso conhecer quem serão os jogadores ou a equipe envolvida no game e suas principais motivações. Hábitos, características comportamentais e demográficas vão definir a estratégia para o desenvolvimento do jogo.

3. Crie a mecânica e desenvolva as ideias

A mecânica é o núcleo do jogo. Por meio dela é que se estabelecem os objetos e tudo mais que pode ser visto ou manipulado no game, como personagens, placares e fichas, além das regras e atividades que o jogador deve concluir. 

É neste processo que são definidas também as conquistas e recompensas, a forma de pontuação, as moedas virtuais ou até mesmo bonificação em dinheiro.

Não menos importante é o desenvolvimento da narrativa do jogo. Para chegar a um roteiro que esteja de acordo com a realidade da empresa, é preciso realizar um brainstorming. Assim, é possível gerar múltiplas ideias e, em seguida, chegar a um formato de jogo que estimule os participantes e cumpra com os objetivos da empresa.

4. Faça testes

Utilizando o Design Thinking como metodologia, é nesse momento que chegamos na fase da prototipação. Um protótipo é qualquer tangibilização de uma ideia que permita gerar aprendizado. 

Por meio do método, a equipe que produz o jogo aprende sobre ele ao simular conceitos e ações junto aos futuros usuários, processo que envolve, como consequência, insumos para o aperfeiçoamento da proposta.

CTA - Blog - Gamificacao
Quer se aprofundar mais nesse assunto? Então baixe o Livro Gamificação – Como Reinventar Empresas A Partir De Jogos.

5. Implemente o game e avalie os resultados

Após a prototipação, é chegada a hora de implementar o game! Posteriormente, é necessário avaliar os resultados para um processo de melhoria contínua.

Entre os KPIs a serem medidos, podemos destacar itens como:

  • Engajamento despertado;
  • Número médio de ações empreendidas;
  • Índice de reincidência do jogo;
  • Progresso alcançado pelos jogadores. 


Além disso, informações sobre o tempo dispensado à atividade e retenção de participantes também são necessárias. 

Para mensurar e avaliar o ROI alcançado, é possível analisar o número de participantes ativos, o índice de aumento da produtividade e a redução de custos alcançados.

Benefícios da gamificação

Provando ser mais do que uma tendência passageira, a gamificação mostrou-se de extrema importância para o mercado e uma excelente metodologia para incentivar, engajar e atrair o time para diferentes objetivos. E equipe motivada é capaz de vestir a camisa da empresa e agregar valor na entrega de projetos.

Confira os principais benefícios da gamificação a seguir.

1. Facilita o aprendizado

Nas empresas, a Gamificação está muito presente na área de treinamentos e desenvolvimento. E não é à toa, já que a principal proposta do conceito de Gamificação é facilitar o aprendizado.

Dessa forma, em vez de usar capacitações baseadas em modelos antigos, as companhias apostam em formatos mais atraentes. A gamificação desperta a curiosidade e estimula um comportamento proativo no aprendizado. Os treinamentos, inclusive, podem ser separados em fases repletas de tarefas, que rendem recompensas virtuais.

2. Otimiza a produtividade

Uma coisa é certa: a maioria das pessoas trabalham melhor quando estão motivadas. Fazer com que os colaboradores possam aprender e atingir as metas corporativas de forma mais lúdica é o grande diferencial da Gamificação.

Além disso, por meio da estratégia de games, a equipe tende a ser mais eficiente. Isso é possível quando o time consegue acompanhar o seu progresso e os indicadores de desempenho na medida que fazem as entregas. 

Quando a estratégia contempla a gamificação de treinamentos e as tarefas em grupo, o fluxo dos processos fica mais alinhado e resulta na otimização de tempo de execução, por exemplo.

3. Aumenta o engajamento e estimula mudança de comportamentos

Os jogos são atividades que, por si só, despertam a motivação das pessoas. A gamificação usa essa tendência natural para canalizar a ação dos indivíduos em prol de objetivos.

Por meio do aspecto lúdico dos games é possível criar conexões emocionais, além de melhorar a colaboração entre os membros da equipe. Afinal, os jogos possuem o poder de prender uma pessoa por horas até que ela chegue ao objetivo final.

Recursos como storytelling, ranking e recompensas são adotados para estimular as pessoas a atingirem determinadas metas ou mudarem certos padrões de comportamentos para chegar no objetivo requisitado.

4. Facilita a comunicação

A gamificação estimula a socialização entre os colaboradores em prol de um objetivo comum, o game. A Gamificação faz o padrão dos procedimentos ficar sempre alinhado e também facilita a comunicação ao concentrar dados em um só lugar, por exemplo.

Por serem atividades lúdicas, a gamificação contribui para reduzir o estresse, tornar o ambiente mais descontraído e a comunicação mais fluida. 

Acesse grátis

Livro Gamificação – Como Reinventar Empresas A Partir De Jogos

E agora, posso implementar a Gamificação?

A gamificação é uma estratégia que pode trazer muitas vantagens para o cotidiano das empresas, é um fato inegável. No entanto, não adianta adotar um jogo e esperar que tudo se resolva. É preciso possuir estratégias, planejamento e uma execução efetiva para contornar os problemas e atingir os objetivos esperados.

Agora que você já conheceu o que é gamificação e seus principais benefícios, percebeu como essa estratégia pode conferir uma nova dinâmica à vida corporativa?

Aliar a gamificação de processos aos negócios beneficia todo um ecossistema, impactando positivamente empresas, funcionários e clientes.

Voltar

Fique por dentro! Assine nossa newsletter