Compartilhar:

Categorias:

5 min read

Descarbonização: o que é, desafios e oportunidades

A descarbonização tem o objetivo de diminuir o lançamento de gás carbônico na atmosfera, por meio da utilização da energia renovável. Conheça agora os benefícios de adotar essa técnica sustentável!


Desde que os combustíveis fósseis foram descobertos, o mundo mudou e chegamos ao que conhecemos hoje. Por meio deles, indústrias foram criadas e oportunidades surgiram em diversas áreas. Porém, o uso desses recursos prejudicou o planeta em larga escala, como uma faca de dois gumes: progresso em detrimento do meio ambiente.

Justamente por causa disso, a sustentabilidade ganhou força e trouxe à tona a descarbonização, um processo ecologicamente correto que pretende reduzir a emissão de gás carbônico (CO2) na atmosfera. 

Mas algumas questões podem aparecer quando pensamos em mudar hábitos que, muitas vezes, são maléficos ao planeta. Quer entender o que é a descarbonização e como colocá-la em prática? Continue lendo o artigo!

O que é descarbonização?

Em linhas gerais, descarbonizar significa diminuir a emissão de gases oriundos de combustíveis fósseis no meio ambiente, ao longo do tempo. Exemplos próximos desses tipos de combustíveis são o carvão e o petróleo, usados em larga escala por diversos setores, como o petrolífero.

A temperatura do planeta é afetada diretamente por esses gases porque, ao serem lançados, são os responsáveis pelos buracos na camada de ozônio –  além do gás carbônico alterar a composição do ar. Ou seja, o gás carbônico é um dos principais causadores do efeito estufa e, consequentemente, pelas mudanças no aquecimento global.

A descarbonização passa por um processo chamado de transição energética, na qual, além de mudar estruturalmente a forma como os gases são emitidos, a economia também sofre alterações na maneira como é gerada: só poderá ser produzido aquilo que o planeta conseguir suportar.

→ Leia também: Transição energética: o que é e como ser mais sustentável?

Quais os benefícios da descarbonização?

A descarbonização pode ser feita tanto por pessoas quanto por empresas e, em ambos os casos, as vantagens do investimento em energia sustentável são surpreendentes.

  • A longo prazo, é o método que mais vai reduzir gastos com energias;
  • Para as empresas, estar atrelada a práticas ESG é um ganho tanto para o valor quanto para posicionamento de marca porque tornou-se uma forma de se colocar no mercado, de forma consciente e verde;
  • Empresas alinhadas ao propósito sustentável, em diversas partes do mundo, podem receber incentivos fiscais e isenção de impostos;
  • Ajuda no desenvolvimento de práticas sustentáveis na economia;
  • Por último, e não menos importante, colabora com a sociedade e o meio ambiente.

O que fazer para colocar em prática?

Antes de qualquer atitude, até mesmo da implementação da energia limpa, é importante entender que a principal estratégia para a descarbonização é minimizar o desperdício de matéria-prima.

A equação é simples: quanto maior o desperdício, maior o gasto desnecessário de recursos naturais. 

E ainda podemos tangenciar mais, aplicando o risco que um desperdício qualquer pode causar à sustentabilidade: o descarte desnecessário de uma lâmina desencadeia a produção de mais materiais; fabricação esta que utiliza métodos que emitem bastante gás carbônico na atmosfera.

Já que estamos falando em maquinaria industrial, outro ponto de atenção é o uso de novas tecnologias, menos poluentes e mais eficientes, em processos de larga escala. Máquinas recentes evitam desperdícios e trazem um excelente custo benefício.

Utilizar energia proveniente de uma fonte renovável, como a solar, é a etapa fundamental do processo de descarbonização. Em produções em larga escala, usando essa fonte energética, não terá emissão de carbono no planeta e o processo torna-se limpo. É bom tanto para sua empresa quanto para a sociedade.

Vale ressaltar também que a conscientização coletiva para a adoção de energia limpa é essencial para que a descarbonização atinja níveis ainda maiores, no futuro.

Quais os desafios da descarbonização?

Embora a descarbonização traga inúmeros benefícios, há muitas questões que a cercam e não há uma única resposta para resumir o motivo pelo qual ela ainda não é utilizada em grande escala.

Conseguimos, entretanto, elencar alguns dos desafios que impedem que a energia renovável seja consumida por boa parte da população:

  • O valor do investimento inicial é alto, mas, a longo prazo, economiza os custos;
  • Falta de conhecimento sobre a descarbonização retarda o investimento no processo;
  • As indústrias precisam aderir a novas máquinas e tecnologias, principalmente em relação aos motores;
  • Compreender as vantagens da energia de fontes renováveis e incorporar a cultura sustentável no seu negócio.

Iniciativas que estão impulsionando a descarbonização

Em 2015, o Acordo de Paris determinou que os principais países, até 2025, atingissem o pico de emissão de gases. A partir de então, a missão é que os índices caiam até limitar o aquecimento global a 1,5 °C acima dos níveis pré-industriais, antes da grande expansão das fábricas. 

Mais de meia década se passou e as notícias são animadoras: boa parte dos setores, em especial os da iniciativa privada, está cumprindo o acordado.

Desde então, foi criado o Net Zero, que visa reduzir drasticamente o lançamento de carbono no meio ambiente, até 2050, e compensar as emissões indiretas, entendidas como a cadeia produtiva envolvida nas atividades do emissor. Neste ponto, incluem-se terceirizados, clientes e fornecedores.

Ressaltamos ainda o importante papel desempenhado por governos ao redor do mundo por isentar impostos e adotar políticas de incentivos fiscais a empresas alinhadas ao desenvolvimento sustentável.

A principal iniciativa que podemos citar, em âmbito nacional, é a de apoiar companhias a zerar a emissão de carbono por meio do selo “Carbono Zero”, que também tem como intuito promover o reflorestamento de áreas desmatadas.

Uma das empresas que firmou compromisso com a Net Zero foi a JBS. Há mais de dez anos, a empresa monitora toda a sua cadeia produtiva, principalmente os fornecedores, para que possa se tornar cada vez mais uma aliada à agenda socioambiental.

Lá fora, no Reino Unido, criaram o programa “Business Climate Leaders”, cujo propósito é reduzir o máximo que puder as emissões de CO2 na atmosfera pelas pequenas empresas, pelo menos até 2030. 

Conclusão

Para que possamos avançar enquanto sociedade, é necessário pensar de uma forma que dialogue e contribua com a manutenção do meio ambiente. 

Apesar de não ser um termo tão conhecido, a descarbonização tem tomado espaço principalmente depois da convenção das práticas ESG, método que posiciona as empresas perante a compromissos socioambientais. Em pouco tempo, o mesmo será ainda mais comum seja na vida das pessoas, seja no mundo corporativo.

A chave para efetuar essa mudança está na conscientização. Portanto, devemos ter em mente que a descarbonização garante estabilidade, eficiência e economia, além de cuidar do planeta e garantir a manutenção sustentável das indústrias.

Para entender ainda mais sobre o assunto, clique no banner abaixo e acesse agora mesmo o “Report de Tendência em Energia 2023”!

Voltar