A informação é um dos bens mais valiosos que uma pessoa ou empresa pode ter. E hoje em dia grande parte de tudo o que somos, temos e queremos se encontra no meio virtual. É por isso que a segurança de dados é tão importante, pois ela resguarda a informação que circula pelos computadores.

Em um mundo cada vez mais competitivo, é fundamental proteger os dados corporativos. E não estamos falando apenas de guardar as informações, mas de tê-las à disposição sempre que necessário de forma segura.

Semelhante a outras abordagens, como segurança de perímetro, segurança de arquivos ou segurança comportamental do usuário, a segurança de dados é um método de avaliar e reduzir o risco que resulta do armazenamento de qualquer tipo de dados.

Acompanhe o artigo e saiba porque a segurança de dados é tão importante para as empresas e as principais tendências na área!

O que é segurança de dados?

A segurança de dados é um processo de proteção de arquivos, bancos de dados e contas em uma rede. O sistema adota um conjunto de controles, aplicativos e técnicas que identificam a importância relativa de diferentes conjuntos de dados, sua sensibilidade e requisitos de conformidade normativa e, em seguida, aplicam proteções apropriadas para protegê-los.

A segurança de dados é uma das variadas formas de estruturar sistemas de segurança de informação. Então, o que torna esse processo melhor que os concorrentes?

A maioria dos outros processos de Segurança da Informação estão focados no usuário. Algumas questões sobre as quais estes processos estão debruçados são se o usuário tem permissão para acessar determinados dados e se está autorizado a entrar em uma certa rede.

Acesse grátis

Cibersegurança x Privacidade

Quais são os pilares da segurança de dados?

Segurança de dados e segurança da informação são temas que se confundem. Então vamos, primeiramente, retomar rapidamente os 3 princípios da Segurança da Informação:

Confidencialidade

A confidencialidade garante que o acesso às informações seja realizada somente pelo proprietário da mesma. No caso de uma empresa, por exemplo, as informações confidenciais não podem ser divulgadas para pessoas fora da organização. 

Integridade

A integridade se refere à manutenção das informações em seus formatos originais. Ou seja, que não houve manipulação dos dados, alterando-os sem conhecimento do seu proprietário.

Em caso de mudanças, a integridade é mantida através de uma gestão de mudanças, com registro do que foi alterado, data, hora e responsável. 

Disponibilidade

A disponibilidade visa garantir que a informação esteja sempre disponível para acesso legítimo, ou seja, pelos proprietários da informação ou pessoas autorizadas por eles.

Tá, mas e a segurança de dados?

Para além destes, a segurança de dados considera alguns outros valores, como:

Qual a importância da segurança de dados?

Pesquisas indicam que um a cada cinco brasileiros já foi vítima de roubo de dados. O número do telefone é a informação mais procurada para quem tem a intenção de aplicar golpes. O e-mail, o CPF e o número do cartão de crédito também são alvos de estelionatários, pois por meio de qualquer uma dessas informações é possível se cadastrar em sites de compra e venda, por exemplo.

Fraudes, troca de informação sigilosa de clientes entre companhias, derrubada de sistemas são algumas das consequências que a falta de segurança pode acarretar. Os hackers estão prontos para atacar ao menor sinal de vulnerabilidade.

Por motivos como este, é importante que as empresas estejam sempre preparadas para proteger seus ativos de dados, evitar e até repelir ataques. E nisso, a segurança de dados é fundamental.

Confira agora 5 tendências em segurança de dados para implementar na sua empresa!

1. Colete menos dados

A última década do gerenciamento de TI, viu uma mudança na forma como os dados são considerados. Anteriormente, ter mais dados era uma vantagem.

Hoje, os dados são uma responsabilidade. A ameaça de uma quebra de segurança de dados pode destruir uma reputação e resultar na perda de milhões de reais ou em multas regulatórias rígidas.

Esses aspectos reforçam a ideia de que coletar qualquer informação, além da quantidade mínima de dados confidenciais necessários, é extremamente perigoso.

Para reduzir seus riscos, analise todos os procedimentos de coleta de dados. Documente porque cada ponto de dados é necessário do ponto de vista comercial.

2. Autenticação de dois fatores

A autenticação de dois fatores acrescenta uma camada suplementar de segurança no processo de login de uma conta. Essa tecnologia é bastante utilizada por instituições financeiras, já que reduz drasticamente os riscos de um password roubado ser usado para acessar informações confidenciais na organização.

A autenticação não é um método sem falhas, mas é um excelente obstáculo para evitar a intrusão indesejada nas contas online da sua empresa. Essa autenticação faz com que o criminoso não só tenha que descobrir a senha do usuário, como tenha que saber o segundo fator, que é muito mais complicado de se conseguir, já que implicaria ter que acessar os dados de um celular e ou conectar-se a uma conta de e-mail.

3. Segurança em Nuvem

O aumento da demanda por aplicações empresariais na nuvem tem acentuado a imprescindibilidade da segurança de dados nesses ambientes. Por esse motivo, as soluções têm trazido novos métodos para garantir a segurança em backup, restauração e proteger o sistema, conservando-o a longo prazo e atendendo os requisitos das instituições.

4. Cuide do processo de ETL

Os dados que não estão na sua rede são dados que não podem ser comprometidos, correto? Então, reduza sua chance de problemas colocando em funcionamento, sistemas que rastreiam o acesso às informações, para que arquivem automaticamente as que não são acessadas ​​há anos.

Com o volume de aquisições de dados da atualidade é bem provável que redes de qualquer tamanho significativo, tenham vários servidores esquecidos, que são mantidos por motivos que ninguém tem certeza.