Uma das maiores dores da área de TI é integrar os setores de Desenvolvimento e o de Operações. Enquanto um quer ir para um lado, outro quer seguir por outro. 

A primeira equipe está preocupada com o ciclo de desenvolvimento, trabalhando com códigos para criar produtos inovadores.

Já a segunda equipe busca otimizar o nível de qualidade em termos de características do produto e funcionalidade.

A verdade é que Desenvolvimento e Operações são lados opostos da mesma moeda no departamento de TI. Enquanto o desenvolvimento precisa de agilidade para implementar a melhoria contínua em processos da empresa, a área de operações é mais conservador e espera mudanças mínimas dentro do ambiente de produção, evitando instabilidades de processos prejudiciais.

Integrar e fazer as duas áreas trabalharem juntas parece uma tarefa impossível. 

E aí que surge o DevOps. O próprio nome já mostra a sua premissa:

Unir Desenvolvimento e Operações 

Dev + Ops

A solução envolve a automatização da governança de TI e é ainda mais efetiva com a aplicação do desenvolvimento ágil. 

Basicamente, estamos falando de um termo criado para descrever práticas de integração e favorecer um ambiente de desenvolvimento mais seguro e rápido. O conceito já é bem difundido no meio empresarial.

Continue lendo para entender por que mais e mais empresas têm percebido a importância do DevOps e quais benefícios estão percebendo!

O que é DevOps?

DevOps é um método que integra a área de desenvolvimento e operações. Tradicionalmente, é entendido assim:

DevOps: é uma maneira de derrubar os muros entre as equipes de desenvolvimento e operações.

Nesse modelo, as equipes de desenvolvimento criam recursos, enquanto as equipes de operações mantêm o sistema estável e funcionando sem problemas. 

Entenda porque o atrito ocorre e como o DevOps resolve esse dilema: 

  1. Tradicionalmente: os recursos do desenvolvimento introduzem mudanças no sistema, aumentando o risco de uma interrupção, pela qual a equipe de operações não se sente responsável — mas precisa lidar com isso de qualquer maneira. 
  2. Com o DevOps: torna-se possível fazer alterações mais frequentes e, ao mesmo tempo, com segurança em um ambiente complexo. Sim, é muito legal na teoria… e, também, na prática!

Por que se tornou protagonista?

Afinal, por que DevOps é a pauta do momento nos departamentos de TI? Vivemos intensas transformações na era digital, que remodelam mercados inteiros do dia para a noite. Para fazer entregas rápidas e satisfazer um cliente mais exigente, as empresas precisam eliminar a burocracia e os processos truncados.

No ambiente DevOps, times podem compartilhar códigos com transparência, a integração ocorre de maneira contínua e a automação ajuda a detectar problemas ainda na fase de desenvolvimento.

Isso não ocorre no ambiente tradicional, em que os códigos são simplesmente “lançados” para o departamento de operações ao final do processo.

Vamos tangibilizar para poder explicar melhor e de forma prática!

Em uma linha de montagem tradicional: 

– Cada peça é colocada uma a uma.

– Ao final do processo temos a entrega: o produto completo.

– No padrão tradicional de TI, é nesse momento que será testada a viabilidade da entrega. Ou seja, quando a produção se encerra. 

Percebe o problema aqui caso exista um problema desde o começo em alguma peça? A produção vai ter que voltar lá no início para refazer todas as outras etapas. Isso fará com que a companhia perca tempo e dinheiro.

Rodando no DevOps, isso não acontece porque a equipe de operações recebe feedbacks contínuos de quem está programando.

O que isso garante? 

Entrega mais rápida de soluções para o mercado +

Preservar regras de segurança e operações

Com a metodologia, é possível:

O método trata da integração entre diferentes times. Então, não podemos negar que, além da automatização e otimização de processos, também se trata de uma transformação cultural na organização.

Como funciona e quais as etapas do DevOps?

De uma forma simples, o método funciona em um ciclo contínuo e integrado entre as equipes de desenvolvimento e operações.

Mas como funciona na prática essa integração entre as áreas?

O que pode ser automatizado?

Dentro de um ciclo contínuo e integrado existem 5 etapas divididas entre Dev e Ops.

Ou seja, o fluxo segue essa ordem do início ao fim:

Desenvolvimento >>  Testes >> Integração contínua >> Implementação >> Monitoramento

–> Importante: a integração entre desenvolvimento e operações ocorre continuamente.

Na etapa de monitoramento será constantemente avaliado se algo precisa ser aprimorado. Caso seja necessário, o fluxo se reinicia: desenvolvimento >> testes… e assim por diante.

Vamos falar mais sobre cada uma das etapas a seguir. Confira! 

Uma equipe específica vai planejar e codificar a nova aplicação ou solução. Ocorre depois do feedback da equipe de operações, envolvendo a escolha de módulos e algoritmos que serão utilizados. Depois de planejar, chegou o momento de codificar. 

Antes de implantarmos um novo código em operações, é muito importante fazermos um teste para identificarmos possíveis bugs ou problemas de performance, certo? A melhor forma de se fazer isso é por meio da automação. 

Essa é a parte mais importante do DevOps. A fase envolve o feedback da equipe de operações para o time de desenvolvimento, além da integração entre a etapa de testes e a implementação dos novos sistemas.

É nesse momento que a ação acontece. A equipe de operações deve implementar todas as novas aplicações que foram desenvolvidas e testadas anteriormente. Esse é um momento delicado, que exige o máximo de atenção do time. Justamente por isso, a automação é ainda mais indispensável. 

O monitoramento é uma fase importante não só para detectar bugs que possam ter passado pela etapa de testes, mas também para enviar um feedback para o time de desenvolvimento, que poderá evitar os problemas no futuro. 

Benefícios do DevOps para o seu negócio

Confira, a seguir, quais são as vantagens que sua empresa vai perceber ao implementar uma estratégia de DevOps.

O DevOps encurta o ciclo de desenvolvimento 

Organizações tradicionais costumam demorar meses para lançar uma nova solução ou aplicação. O grande diferencial do DevOps é a diminuição abrupta do ciclo de desenvolvimento, podendo ser realizado em dias ou até horas.

Tudo isso ocorre por conta da integração constante entre desenvolvimento e operações, além da automatização de uma série de processos. Com o método, passamos a operar com a ideia de desenvolvimento contínuo.

Cria o ambiente para inovação

Nos moldes tradicionais de desenvolvimento, muitas vezes o departamento de TI fica mais preocupado em resolver e corrigir problemas do que em desenvolver soluções inovadoras.

Isso acontece porque a equipe de operações fica deslocada e demora muito tempo para colocar qualquer nova aplicação em produção.

Como os ambientes são integrados e o ciclo é acelerado, podemos concentrar esforços em inovar, em vez de apagar incêndios.

Otimiza os recursos da empresa

Investir no modelo DevOps também significa otimizar os recursos da organização. Afinal, a automatização é, por si só, uma forma de reduzirmos os custos e o tempo necessário para terminar os processos.

Além disso, a capacidade de produção aumenta, já que os colaboradores não ficam “aprisionados” nos mesmos projetos por muito tempo.

Melhora a experiência do usuário 

Proporcionar uma boa experiência para o usuário é uma das prioridades na era digital. Para isso, precisamos de aplicações focadas nas necessidades deles e que funcionem sem erros. DevOps é a solução para fazermos entregas de qualidade.

Como vimos, a equipe de desenvolvimento terá liberdade para criar novos códigos, enquanto que o time de operações gastará menos tempo para colocar as novas aplicações em produção. Em resumo, teremos uma solução mais confiável e menos instável.

Amadurece a cultura organizacional

Na maioria das organizações, desenvolvimento e operações vivem uma verdadeira guerra. Há um muro invisível dividindo os departamentos e, em alguns casos, o clima de hostilidade entre eles é real, o que afeta a produtividade.

Com a integração dos times, proporcionamos um ambiente e um clima organizacional mais amigável e harmônico.

Passo a passo para implementar

Agora que você já entendeu (quase!) tudo sobre DevOps, vamos te mostrar o passo a passo para implementar na sua empresa. 

Algumas abordagens facilitam essa transformação e ajudam a trazer resultados mais rapidamente. É claro que isso varia entre de acordo com as particularidades de cada departamento de TI. 

Agora, mãos à obra! É hora de começar a construir a estrutura necessária para a sua TI funcionar no desempenho máximo.

1 – Desenvolver o planejamento inicial

Esse ponto é o primeiro e não é à toa! Logo de cara é importante dividir e estabelecer papéis e incentivar a participação de profissionais de alto nível para “patrocinar” o projeto DevOps na empresa.

Se você lembrou do Design Thinking aqui, acertou em cheio! Ele também é uma ferramenta indispensável para identificar as necessidades da organização.

2 – Crie um centro de excelência

Uma implementação bem-sucedida do DevOps passa diretamente pela escolha dos profissionais que serão responsáveis por essa virada de chave. Portanto, esse ponto é primordial.

Caso você não tenha especialistas em DevOps na sua empresa, peça ajuda! Nesse caso, é altamente recomendável ter a assistência de um participante externo, que realmente entenda do assunto. Esse profissional será a peça-chave para facilitar a transição para o novo modelo.

3 – Estabelecer um programa de governança

Esse Programa de Governança vai:

– Definir uma comunicação protocolo;

– Estabelecer abordagens e ferramentas;

– Definir os KPIs que serão usados ​​pelo time.

4 – Promova o conhecimento internamente 

Para que novas práticas sejam implementadas com sucesso, é muito importante que toda a equipe esteja alinhada e preparada para participar dessa transição. E a melhor forma de empoderar colaboradores é compartilhando conhecimento. 

Palestras, workshops, pequenas reuniões internas com especialistas e gestores, cursos online e qualquer outra forma de transmitir conhecimento é válida. Basta escolher a que funciona melhor para o perfil e realidade da sua corporação. 

5 – Torne o programa DevOps escalável

Depois de conduzir projetos-piloto, você pode (e deve!) escalar o DevOps para outras equipes, projetos e lançamentos. É a virada de chave para o processo de integração e constante feedback.

O futuro da TI é o DevOps!

Para finalizar, é sempre bom lembrar que o DevOps descreve uma cultura e um conjunto de processos que unem equipes de desenvolvimento e operações para concluir o desenvolvimento de software. 

Essa “filosofia” permite que as organizações criem e aprimorem produtos em um ritmo mais rápido do que podem com as abordagens tradicionais de desenvolvimento de software.

Desenvolvimento e Operações não precisam mais brigar: DevOps chegou para acabar com esse problema. Se você quer se aprofundar ainda mais neste tema e tornar a sua TI ainda mais estratégica, baixe agora mesmo nosso ebook clicando no banner abaixo.